• sexta-feira, 20 de janeiro de 2017 10:16

    Quarenta e seis toneladas de lixo por mês soa como se estivéssemos produzindo pouco lixo. Agora, 46 mil kg é de arregalar os olhos. É muito lixo.

    # Quarenta e seis toneladas de lixo por mês soa como se estivéssemos produzindo pouco lixo. Agora, 46 mil kg é de arregalar os olhos. É muito lixo.
    # Tem uma turma de ótimos profissionais desenvolvendo o Programa Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos. Pode ser o mais completo e mais bonito programa do mundo, mas não dará em nada se o gerador do lixo não assumir sua parte.
    # É tipo a questão da dengue (autoridades sanitárias locais estão tremendo de medo diante de iminente explosão de uma epidemia da doença). Se a população não fizer sua parte, ‘adeus Tia Chica’.
    # Em tempo: lixo é para os antigos. A alusão correta para os dias de hoje são resíduos sólidos. É mais chique!
    # Marino Martins voltou a ser vereador, assumindo a cadeira de Lires Zimmermann Führ, que foi para a Secretaria de Educação. Deu um bafafá nas redes sociais e eu não sei porquê.
    # Marino não é um vereador cassado. Ele foi condenado em primeira instância por ter utilizado os caminhões para cooptar bostas e votos. Teve seus direitos cassados por 8 anos e o registro da sua candidatura, daí, sim, cassado.
    # Mas isso tudo transcorreu em primeira instância. A lei dá o direito a Marino Martins discordar da decisão da Justiça local e buscar provar sua inocência na instância superior (TRE). Se você gosta ou não disso, saiba que isso faz parte do jogo.
    # Servidores municipais só têm uma garantia de Vicini: ninguém ganhará abaixo do salário mínimo. Será compensado por um abono recauchutado até março. O resto é tudo uma incógnita.
    # O funcionalismo, sempre acostumado a receber como reajuste a inflação e alguma coisa de ganho real, dificilmente repetirá tal acerto.
    # Nosso Tape Porã na mira do vandalismo. E sem bares vendendo cerveja e drinks.
    # Não adianta discutir porque seres humanos que gravitam entre nós arrebentam duas portas do banheiro do Tape Porã. A reação da Prefeitura é que deve ser rápida, como está sendo com o anúncio feito por Santo Altamiro Martins: portas mais fortes, vigias até às 10 da noite e videomonitoramento na maior parte possível do parque.
    # Vida & Saúde é disparadamente mais visitado do que a Rua da Xuxa. Desta vez o prefeito de Carazinho e dois secretários vieram conhecer como funciona uma instituição que cresce num cenário onde tantas outras estão quebrando.
    # Parabéns Sávio Lenz: Paparella campeão da 18ª Taça Noroeste de Futsal, patrocinada por Vencal, Deltasul e Sicredi. Parceria com Os Augusto, de Horizontina, foi decisiva.
    # Avançam conversações sobre o Carnaval de Santa Rosa. Vai sair.
    # Errei. O ex-secretário da Fazenda dos governos do PP de Tuparendi foi ‘transferido’ para a sub-prefeitura de Cinquentário (tudo a ver as duas funções!). Eu Citei Correio. Só não mandaram o Toco para a Argentina porque não existe amparo legal.

  • sexta-feira, 13 de janeiro de 2017 10:28

    Joel Capeletti afirma que concorrerá à reeleição e que em breve fará o anúncio publicamente

    # Os 27 anos de poder até agora incontestável de Joel Capeletti na Coopermil, será confrontado por Milton Racho, publicamente lançado candidato à presidência da cooperativa.
    # Joel foi eleito em sete mandatos sempre por aclamação, sem nenhuma oposição. Isso torna o próximo pleito um momento histórico à cooperativa.
    # Milton defende uma assessoria jurídica mais forte na Coopermil que, segundo ele, perdeu cerca de R$ 20 milhões numa operação com a Giovelli de Guarani das Missões “por falta de garantias reais”.
    # Joel Capeletti afirma que concorrerá à reeleição e que em breve fará o anúncio publicamente.
    # Taça Noroeste de Futsal em sua 18ª edição será decidida hoje à noite em Horizontina. A segunda maior cidade da região Noroeste do estado não tem um ginásio de esportes que atenda as exigências da Lei Kiss. Horizontina tem!
    # Papparella, do Sávio Lenz, com uma parceria com Os Augusto de Horizontina, Mac Bom Sorvetes e Bar do Cidinho está em mais uma final. Decide o título contra Ijuí, que matou o Vila Romana nos pênaltis.
    # Dois quiosques no Tape Porã numa primeira vista parece ser uma ótima ideia. Mas já pararam para pensar no que pode virar as imediações com a venda de bebida alcoólica?
    # Lindo como está o Tape Porã, dói em nós qualquer ato de vandalismo. E um filho de chocadeira conseguiu quebrar uma porta do banheiro.
    # Não teremos carnaval de rua, mas teremos carnaval. Ninguém seria tão radical a ponto de desconhecer o momento de crise. Mas, zerar o carnaval por falta de dinheiro é colocar em risco o maior período de longevidade da nossa folia. Algo será feito no Tape Porã e envolvendo as escolas de samba.
    # Em Tuparendi, ex-secretário da Fazenda dos governos do PP foi deslocado para trabalhar numa agência do Correio (que não funciona) em Cinquentenário. Cruzes! Isso ainda existe?
    # Leonel, sei que você é gente boa e não tem tempo e nem saco para picuinhas. Não te deixe envolver por algumas cabecinhas que ainda cospem soda caustica ao natural.
    # Sindisaúde partiu para o ataque. Agora diz que o Hospital Dom Bosco tem problema de gestão. É uma pressão pelo pagamento do vale-refeição, que virou ação na Justiça.
    # Milton Dummel: “se pagarmos tudo o que eles pedem no vale-refeição, com multas projetadas pela Justiça, logo ali adiante fatalmente voltaremos a atrasar salário. O que pedimos é compreensão”.
    # Se formos vítimas de uma invasão de escorpiões, chamem o Barcelos. Quando ele era Ouvidor do Governo Terra, criou uma campanha dando um quilo de feijão por cada escorpião apresentado morto. Pobre dos escorpiões. Foram dizimados.
    # Aldair Melchior queria exercer por três meses o mandato de vereador e depois, sim, assumir a Secretaria do Desenvolvimento Social. Vicini não aceitou. Empossou Ivete Correa em definitivo. Aldair queria apenas experimentar e conhecer a função legislativa.
    # Concurso na Câmara teve quase 3 mil inscritos. Quantos deles falaram mal da Câmara em algum momento?
    # Adair Philippsen assumiu a Prefeitura de Santo Cristo fazendo 250 quilômetros na curva.

  • sábado, 24 de dezembro de 2016 08:41

    Nunca vi uma diplomação cercada de tantas incerteza

    # Desemprego no PMDB. Neusa Kempfer está na FEPS (Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde) e Miguel Oliveira na TV Educativa. Ambas serão extintas, de acordo com projeto aprovado nesta semana na Assembleia.

    # Quando, na história de Santa Rosa, teremos num único dia e numa única ocasião dois ministros da República, o governador do Estado e um secretário estadual da Saúde?

    # Não se trata de arrogância dos santa-rosenses. Isso faria tremer uma cidade qualquer, mas a nossa história nos deixou mal acostumado e até desrespeitosos com fatos atípicos como o que ocorreu na sexta-feira passada, no Hospital Dom Bosco.

    # Nossa história convive com autoridades de projeção estadual e nacional desde os tempos de Noli Joner, Germano Dockhorn, Ariosto Jaeger, Antônio Carlos Borges (que trazia o governador Amaral de Souza para cá na hora que quisesse), Alcides Vicini (como deputado estadual), Orlando Desconsi (como deputado federal), Artur Lorentz (presidindo a Sulgás), Vicente Bogo (deputado federal Constituinte e vice-governador), Jeferson Fernandes, Elvino Bohn Gass, Alberto Beltrame (Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde) e mais recentemente Osmar Terra como ministro da República.

    # Leve a caravana que esteve aqui na sexta-feira passada para Três Passos, por exemplo. A cidade paralisa para saudá-los. Nós ignoramos. Precisamos rever nosso conceito do que é uma autoridade federal e estadual.

    # Em 1986 a parceria entre as empresas sistemistas locais e a Maxion estava consolidada. Nascia, então, o SIMMME-SR. Momento histórico para Santa Rosa. Parabéns aos metaleiros.

    # Nunca vi uma diplomação cercada de tantas incertezas, do tipo fulano será diplomado, beltrano não e cicrano talvez sim.

    # De todas as ações, quem mais está complicada é Beate Petry, condenada em primeira instância e por unanimidade em segunda instância. As demais denúncias ainda não foram julgadas aqui.

    # E daí, Vicini? Quem será teu secretário de Gestão e Fazenda? A pasta é estratégica.

    # Gostei dos nomes de Ivete (Ação Social) e Cristiano Dallagnol (Planejamento). Valmiro Eisen vem do interior e seu trabalho iremos conhecer aos poucos. De qualquer forma, seja bem vindo ao círculo Valmiro.

    # A 18ª Taça Noroeste de Futsal terá que ser disputada em Horizontina, porque Santa Rosa não tem um ginásio esportivo que atenda às recomendações de segurança exigidas por lei e fiscalizadas pelos bombeiros. Isso é uma vergonha!

    # Hospital Dom Bosco vive um paradoxo. Euforia por finalmente operar a UTI e apreensão na sua relação com os trabalhadores. Tomara que uma solução seja encontrada.

    # Sicredi vai operacionalizar as folhas de Tuparendi e Porto Mauá, que antes estavam com o Banrisul. Será uma tendência?

    # Atenção, povo. O Dia do Povo só volta em fevereiro.

    # Então é Natal. Feliz Natal para todos os que me agüentaram durante 2016. Querem presente? Vão para o camelódromo.

  • sábado, 17 de dezembro de 2016 10:20

    Cassação

    # O meio político local foi sacudido pela representação que o Ministério Público apresentou ao Cartório Eleitoral contra o vereador Miro Jesse. A justificativa: compra de votos.

    # Pelo menos até o meio da tarde de ontem, Miro ainda não havia sido oficialmente comunicado. Faltava o despacho do juiz Adalberto Hommerding. A partir da citação, Miro Jesse terá cinco dias para apresentar defesa junto ao MP.

    # Como a Justiça Eleitoral estará em recesso de 20 de dezembro a 20 de janeiro, significa que este assunto terá seu andamento transferido para o ano que vem. A partir da defesa, o magistrado terá dois caminhos: julgar pelas provas apresentadas pelo acusador (MP) e acusado (vereador) ou chamar as partes para ouvi-las. Nas duas opções, é o juiz que se sentirá convencido sobre o aspecto oportuno de sentenciar (inocentar ou culpar).

    # O quociente eleitoral em Santa Rosa, que garante uma cadeira na Câmara para um partido que concorre sozinho ou para uma coligação, é de 2.984 votos. E mais: para ser considerado eleito o candidato deve obter no mínimo 10% do quociente (299 votos).

    # Nem de longe estamos aqui pré julgando Miro Jesse. Aliás, torço que prove sua inocência e mantenha sua cadeira à próxima Legislatura. Porém, a título de informação, precisamos apresentar alguns números.

    # Miro é acusado por compra de votos pelo MP. Compra de votos, além da cassação, provoca a perda dos votos.

    # PPS, PSB e Solidariedade concorreram em coligação nas eleições proporcionais. Sem os votos de Miro, esta coligação garantiu 4.153 votos. É uma votação superior ao quociente exigido para uma cadeira. O primeiro suplente é Carlos Alberto Nasi, do Solidariedade, que fez 634 votos, 16 votos a mais do que Jadir Teixeira (PSB).

    # Vicini começou o atual governo com 14 secretarias, mais a Fundação. Na segunda-feira a Câmara aprovou a reforma administrativa que vai vigorar no próximo mandato e que reduz para 10 secretarias.

    # Ainda não são conhecidos os futuros secretários de Gestão e Fazenda, de Planejamento Urbano e Habitação e de Desenvolvimento da Infraestrutura Rural e do Desenvolvimento Social. Ou seja, 40% do primeiro escalão ainda não é um assunto público.

    # Lina Michalski chegou a ser anunciada como titular da pasta de Gestão e Fazenda.

    # Vicini, enquanto uma investigação interna não produzir mais detalhes sobre culpabilidades de envolvidos no Caso Limpa Fossa e da decisão da Justiça em segunda instância, decidiu afastar Lina Michalski da Secretaria de Administração e Governo. Também afastou Dema de uma diretoria da pasta do Desenvolvimento Sustentável. E transferiu Borela, que é do quadro de carreira da Prefeitura, para a Secretaria de Cultura.

    # Deve ter doído para Vicini afastar Lina, secretária de grande influência dentro de seu governo e com as mesmas expectativas manifestadas antes para o 5º mandato.

    # Os quatro denunciados, os três citados mais o vereador Marino, recorreram junto ao Tribunal de Justiça do Estado.

    # Não se trata de uma piada de mau gosto, mas sim um esclarecimento. Os bilhetinhos que orientavam os endereços dos ‘beneficiados’ do Limpa Fossa eram de papel A4. Não era papel higiênico, como alguns chegaram a especular.