• sexta-feira, 28 de agosto de 2015 08:14

    Nem precisava tanta briga

    # Luiz Antônio Benvegnú voltou de Brasília nesta semana. Perguntado sobre o que trouxe (na linha de recursos), respondeu: nada, nem esperança.
    # Cláudio Schmidt respondeu Vicini: “ele é professor e faltou-lhe educação. Foi mal educado, mas não pretendo polemizar mais a respeito”.
    # Afinal, quem chamou quem para conversar? Schmidt admitiu que foi ele quem propôs para Vicini uma conversa para amenizar algumas questões de confronto já instaladas.
    # Mudança no cenário político local. Rodrigo Cola é o novo presidente do PSDB. Diz que prioridade do partido é concorrer em faixa própria no pleito majoritário (já ouvi isso 200 vezes).
    # Deram um jogo de corpo em Carlos Nasi na nova executiva do PSDB. Ele não consta nem em cargos de suplência.
    # Schmidt: “o Cola envenenou o Vicini contra mim, saiu do PP e agora surge como presidente do PSDB. O Bolinha brigou com o Vicini por minha causa, deixou a vice-presidência do PP, mas está de malas prontas para morar no Mato Grosso”. Schmidt acha que ele foi usado para que os citados justificassem decisões que já haviam tomado.
    # Leonardo Vicini era muito mais vibrante e útil quando estava livre, sem amarras partidárias. Entrou no PSC e desapareceu.
    # A presidência do PSDB para Rodrigo Cola é uma articulação que vinha andando pelo menos nos últimos 30 dias antes do desfecho.
    # E Cola, ele próprio, admite concorrer a prefeito em 2016.
    # PP reúne-se hoje à noite no Piquete Esteio do Rio Grande para promover novas filiações. É a campanha eleitoral aos poucos ganhando ritmo.
    # Já o PMDB se reúne neste sábado na Câmara para eleição de novos membros do diretório e executiva municipal.
    # Consulta Popular foi um fiasco em Santa Rosa, onde apenas 3.297 eleitores votaram. No ano passado foram 9.988 votantes. Então, neste ano, a participação caiu 2/3 se comparada com 2014.
    # O recordista foi Porto Mauá, onde de cada 100 eleitores 67 votaram.
    # O governador Sartori não paga nem os servidores, vai pagar demandas de Consulta Popular? Deve ter sido a pergunta feita pelos eleitores locais para justificar ausência nas urnas.
    # Dirigentes da Alibem reiteram na ACISAP nesta semana, que estão em busca de uma nova fábrica. O que não está claro é onde será instalada a nova planta.
    # Tape Porã é uma realidade. Nem precisava tanta briga. A questão está no útero (definição da paternidade), porque a obra é incontestável.
    # Meu novo hobby: ler e reler o Portal Transparência da Prefeitura de Santa Rosa.
    # Buracos abertos pela Corsan e destapados, voltam a ser um cenário comum na cidade. Menos mal que a Prefeitura caneteou a empresa.
    # Este sábado e domingo, saiam de casa para algo diferente e emocionante. Vamos para o Ginásio do GEGA, ver o SOJÃO na 3ª Etapa da Liga Noroeste de Basquete.

  • segunda-feira, 24 de agosto de 2015 08:25

    “Ele não é sério” foi a mais leve das citações.

    # Pagamento do 13º não está confirmado na Fundação Municipal de Saúde, se repasses continuarem sendo retidos pelo Estado.

    # Vicini deu um pau nesta semana, desmontando Cláudio Schmidt. “Ele não é sério” foi a mais leve das citações.

    # Tudo porque Vicini, segundo ele a pedido de Schmidt, teria articulado um acordo com a Família Martins. Porém, ao chegar o encontro, sempre segundo Vicini, Schmidt teria dito que os termos do acerto já haviam sido definidos pelo prefeito.

    # Os Martins se revoltaram e encerram a conversa.

    # Bolinha, por exemplo, renunciou à vice-presidência do PP, argumentando que não pretende prejudicar qualquer articulação de aproximação entre o PP e o PMDB.

    # O advogado Sergio Cola tem um histórico recente de descontentamento com a direção do PP.

    # Tendência é de que Cola assine ficha no PSDB.

    # Aliás, o PSDB faz encontro na próxima segunda-feira para novas filiações, intensificando um processo de renovação partidária. Zilá jantará com os tucanos numa churrascaria de Cruzeiro.

    # Cláudio Schmidt contesta declaração dada por Vicini: “foi ele quem me chamou para conversar”. Schmidt chegou, inclusive, a pensar em pedir a quebra de seu sigilo telefônico para provar sua tese.

    # PP e PMDB podem até sonhar em concorrer juntos no pleito majoritário do ano que vem, mas este episódio dá uma mostra do tamanho das arestas que precisam ser aparadas.

    # Consulta Popular foi morna, comparada às edições anteriores. Números oficiais serão publicados na terça-feira.

    # Termina hoje a greve de três dias dos servidores públicos estaduais, com ampla adesão em Santa Rosa.

    # Ao invés de doar para o Criança Esperança da Globo, doe dinheiro, alimentos, materiais e carinho direto para crianças e pessoas de todas as idades de Santa Rosa, assistidas por entidades que vivem diariamente com os todos os tipos de dificuldades.

    # Teresa Christensen é a Patronesse da 12ª Feira do Livro. Antes tarde, do que nunca. E às favas à Nomenclatura Gramatical Brasileira: Teresa é minha ‘ídola’.

    # Alibem parou dois dias e tocou o horror. A interdição veio justamente no momento em que a indústria comemorava a primeira remessa de carne suína à China. Menos mal que tudo foi contornado.

    # O “Vem Pra Rua de Santa Rosa” foi um fiasco. Não veio ninguém. Ou quase ninguém. Domingo de tarde nosso povo prefere dormir ao invés de protestar.

  • sexta-feira, 14 de agosto de 2015 10:34

    Clima de antagonismo

    # Reunião aberta do Conselho Municipal de Cultura que discutiu o destino do Ginásio Moroni teve Vicini como protagonista. Chegou cedo, pediu a palavra, apresentou seus argumentos, mas reagiu em voz alta às primeiras manifestações dos conselheiros. Levantou e foi embora.
    # Vicini, sobre o tema, consolidou um clima de antagonismo com o Conselho.
    # Eu sou a favor da demolição do Ginasião. Porém, frontalmente contrário à venda do terreno.
    # Confesso: fui favorável à preservação da Prefeitura Velha, que depois virou preservação só da parte frontal. Se fosse hoje, depois de todos os desdobramentos de uma obra que nunca acaba, seria contra.
    # A questão é que demolições e tombamentos me confundem em Santa Rosa, quando não vejo clareza nas intenções do futuro da área física. Do tipo, ‘vamos demolir aqui, vender ali e aplicar o dinheiro lá’. Simples.
    # Cláudio Schmidt assinou acordo com o Ministério Público num processo que a Família Martins ajuizou contra ele por danos morais (Schmidt chamou os Martins de primatas). Se deixar a cidade por mais de 30 dias, Schmidt precisa comunicar ao MP. Assim, o processo está arquivado.
    # Rodrigo Cola deixou esta semana as fileiras do PP. Confirmou pessoalmente a saída e disse que tem muitos motivos que justificam sua decisão.
    # Cola já tem um novo partido definido onde irá atuar. O anúncio oficial é para breve. Deve virar bico grande.
    # Bolinha renunciou nesta semana a vice-presidência do PP. Não se sabe oficialmente porque deixou o cargo. Especula-se que não teria gostado de ver Vicini conversando com Cláudio Schmidt.
    # Você é a favor ou contra a demolição do Ginásio Moroni? Se posicione, para que o debate amplo mostre o melhor caminho à comunidade.
    # Orlando Desconsi diz que está tranquilo quanto aos assuntos que tramitam na Câmara e passíveis de julgamento no plenário em breve.
    # PP deu uma sacudida regional em almoço de confraternização em Tucunduva.
    # Quarta-feira é dia de votar na Consulta Popular.
    # Vicini se mostrou perplexo diante da declaração feita pelo governador Sartori, de que o governo estadual atrasará repasses aos municípios e aos hospitais.
    # O dinheiro à saúde pública de Santa Rosa passa pela Fundação Municipal de Saúde. O presidente Luis Antônio Benvegnú informa que o atual governo já acumula um débito de R$ 3 milhões, dos quais R$ 1 milhão é dinheiro da Fundação e R$ 2 milhões dos hospitais.
    # Benvegnú também disse que o governo estadual anterior terminou 2014 com R$ 3 milhões de atraso. Ou seja, até aqui, só de repasses à saúde, o Governo do Estado deve mais de R$ 6 milhões para Santa Rosa. Em alguma ponta, isso forçosamente irá estourar.

  • sexta-feira, 7 de agosto de 2015 11:08

    Quatro assuntos

    # PSC pede passagem no cenário político local, cheio de propostas inovadoras e que confrontam a política tradicional.

    # Os argumentos são reformadores. O principal deles, na nossa humilde opinião, é o que conclama o santa-rosense a debater Santa Rosa. Na mesma intensidade também se destaca o que desprofissionaliza a política local.

    # Nas redes sociais nós temos experts em assuntos nacionais e estaduais, mas não sabem, por exemplo, quanto tem em caixa o Fundo de Gestão Compartilhada (relação entre Prefeitura e Corsan), entre tantas outras questões locais.

    # Gostei de ver o PSC surgindo com força e combatendo benesses pessoais na política.

    # Carlos Alberto Nasi defende a demolição do Ginásio João Batista Moroni. E você?

    # Santa Rosa é uma cidade pequena, que ainda abriga pessoas que procuram evitar expor o que pensam sobre questões polêmicas, com receio de ‘se queimar’.

    # Vicini e Cláudio Schmidt teriam conversado nesta semana. O futuro dirá se realmente ocorreu a conversa e, principalmente, o seu efeito prático.

    # Orlando Desconsi será amplamente citado neste segundo semestre na Câmara. Ele tem a Conta de Governo de 2012, a Conta de Gestão de 2010 e a manifestação do Tribunal de Contas do Estado com relação ao acordo firmado com a Corsan que gerou dinheiro para obras de asfalto, tudo para ser apreciado e votado. O TCE aponta renúncia fiscal de R$ 2 milhões no acordo com a Corsan.

    # Ainda no segundo semestre (aqui também temos pautas-bomba), a Comissão Especial criada para investigar o contrato da Prefeitura com a Mugica terá que ter um desfecho.

    # Os quatro assuntos, dependendo das circunstâncias, poderão ser bombásticos nos debates de plenário.

    # Timirinho assumiu e resolveu o problema da ponte entre o Ouro Verde e o Bela Vista. Não contabilizou o mérito, porque ganhou mais espaço na mídia a estimativa de custo que ele fez de R$ 80 mil à obra.

    # Sônia Conti (PCdoB) pediu informações (até cego via que R$ 80 mil seria demais para aquela obra) e a Prefeitura informou o custo real: foram gastos menos de R$ 15 mil.

    # Não tinha ninguém na Prefeitura, enquanto Timirinho trabalhava na ponte, para rever a estimativa que gerou reação na comunidade?

    # Conselho Municipal de Trânsito e prefeito Alcides Vicini autorizam um aumento de passagem de ônibus que não durou cinco dias. Foi vetado pela Justiça, que alega um processo que tramita. Conselho e o prefeito conhecem esse processo? Se bem lido, talvez possa evitar novos micos futuros.