• sexta-feira, 31 de janeiro de 2014 07:29

    Vicini apontou o dedo para todos os secretários e exigiu resultados

    # Moreira Franco reiterou que o projeto do Aeroporto Municipal está a caminho e não corre risco. Ótimo. A capa do Noroeste desta semana já está em Brasília, para efeito de registro e eventuais lembranças futuras.

    # A fala do ministro da Aviação Civil desmonta um clima de apreensão das autoridades empresariais da região. E um clima procedente, porque não circulou mais nenhuma notícia oficial depois do anúncio da obra feito no ano passado.

    # O projeto de ampliação e modernização está estimado em R$ 20 milhões. Pelos padrões avançados e o investimento previsto, tem gente que ainda não acredita. Talvez a declaração de Moreira Franco confunda um pouco os céticos.

    # Segundo o Ministério Público Estadual, o Rio Grande do Sul é um dos estados com menor número de crianças abrigadas na Educação Infantil. A prioridade do órgão é exigir dos prefeitos a recuperação do terreno perdido.

    # A Prefeitura de Santa Rosa tem um TAC assinado com o Ministério Público, no qual se compromete zerar as filas por creches. A fila ainda existe, mas o atual governo já providenciou mais de 700 novas vagas. É um salto de qualidade na formação de nossas crianças. É plenamente elogiável a ação prática.

    # Toda a sorte para Ariosto Sparemberger, que já responde pela pró-reitoria da Unijuí. É um baixinho muito bom de lida.

    # Chico Barcelos, presidente da 83ª Festa dos Navegantes de Porto Mauá, que neste ano cai num domingo: “agora não tem desculpa para quem não prestigiou as edições anteriores por terem caído em dias útil”. A festa vai durar o dia inteiro de domingo e entrará noite adentro.

    # Vicini bem que tentou justificar a exoneração de Amilcar Luconi com palavras amenas, mas não conseguiu. O máximo de película foi a tradicional desculpa de que “não tinha perfil para a função”. Isso, na minha vila, equivale a um “não deu certo”.

    # A exoneração de Amilcar não ocorreu por acaso. Vicini apontou o dedo para todos os secretários e exigiu resultados, sob pena de rolar cabeças. E já rolou.

    # Vicini começa 2014 combatendo dentro de suas próprias trincheiras, no estilo ‘troteia ou saia da frente’.

    # Demorou um ano, mas finalmente saiu a alteração do trânsito da rótula do Dom Bosco.

    # Vida e Obra de João Rigon é uma iniciativa que partiu de familiares. O Noroeste entra com o registro. E com muita satisfação. Tomara que o exemplo frutifique. Tem muitos construtores de Santa Rosa levando para o túmulo suas histórias e feitos.

    # Ninguém sabe se a Brava faliu, foi vendida ou está dando um tempo. Todos sabem que não está operando voos em Santa Rosa.

    # Jeferson e Bohn Gass não alimentaram a vaquinha do Genoíno.

    # É milho que não acaba mais. Colher 200 sacos de milho por hectare era algo inimaginável em Santa Rosa há uma década atrás.

    # Projeto do parquímetro foi sancionado. A informação do veto foi uma bola nas costas da minha fonte.

  • quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 19:15

    Vicini mantém silêncio diante das críticas de Orlando

    # Fundação Municipal de Saúde é presidida atualmente por um servidor de carreira: Aldair Melchior. Isso é notícia por não ser uma prática das mais comuns entre os governantes.

    # Santa Rosa fedeu nesta semana. E isso que a Camera anunciou em nota que estava limpando a fábrica. O processo se chama dessolventização. Na próxima, sugiro aviões sobrevoando a cidade largando bom ar. Isso não pode ser feito sem feder tanto?

    # Vicini foi atrás (pessoalmente) de dados relacionados aos custos que a Mugica tem com a empresa de aterro localizada em Giruá. Repito, fez isso pessoalmente, o que significa que chamou pra si a lambança do aumento da Taxa de Recolhimento de Lixo.

    # E não é que a Prefeitura finalmente licitou os espaços do Mercadão Público. Denir Frosi havia primeiro anunciado que o processo seria suspenso, mas a data foi mantida por ordens superiores.

    # Recesso da Câmara termina na semana que vem. Como é ano eleitoral, excessos de elogios entre os pares devem ser substituídos, pelo menos em parte, por debates frontais.

    # Ademir Meinerz, filho de Evaldo Meinerz e neto do centenário Albino Meinerz entrega em março o Imigrantes Hotel. Santa Rosa dará mais um salto em qualidade na área hoteleira. Não basta ser empreendedor. Tem que empreender aqui. Dá-lhe Ademir!

    # Vale novo alerta: para locar o Centro Cívico, todos os interessados devem antecipar datas no decorrer de fevereiro. É só preencher um formulário, já disponível no próprio Centro Cívico.

    # Luiz Trevizan não faz crítica pessoal a ninguém sobre o avançado processo de desarborização instalado em Santa Rosa. Tenta acordar a todos nós, que estamos fazendo o mais fácil (derrubando).

    # Vale a ressalva de que Trevizan é um técnico. Não se trata da opinião de mais um leigo.

    # Leonides Freddi vai presidir o Sindilojas durante os próximos quatro anos, após ter sido reeleito na segunda-feira passada.

    # Antônio de Paula continua à frente da 14ª Coordenadoria de Saúde. Diz que segue orientação da direção estadual do partido.

    # Vicini deve vetar o projeto do parquímetro. A emenda que suspende a cobrança entre 11h30min e 14h30min desestimularia empresas de concorrer.

    # Douglas Calixto foi atrás do CIEE. Plano B seria a contratação de jovens indicados pelo CIEE para monitorar o estacionamento rotativo pago.

    # Vicini mantém silêncio diante das críticas de Orlando. Consentiu?

    # Porém, me contaram que as críticas de Orlando ao governo atual teria sido pauta de discussão interna do PP (vereadores e secretários).

    # Mugica disse que prepara dados da estrutura de custos do recolhimento de lixo para mostrar a Vicini.

  • quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 19:27

    IPTU volta a ser debatido

    # O assunto da semana na área política foi a decisão de Vicini de chamar pra si as explicações detalhadas sobre o aumento da Taxa de Recolhimento de Lixo. Ao invés de percentuais, ele trata do assunto através de valores.

    # Vicini concorda que o percentual de 77% agride, mas diz que em valores não tem nada de absurdo. Sua área fazendária fez um cálculo que dá para quase aplaudir em pé o aumento: uma casa de 100 m² pagará pouco mais de 10 centavos por dia.

    # Vicini se esforçou. O argumento é bom, se fosse único. Tudo o que está à nossa volta está subindo. O IPVA, se calculado quanto custa por dia, é uma miséria. A luz, a água, o material escolar, a gasolina, enfim, qualquer despesa se calculada pelo custo diário, é uma moleza. O problema é que tudo sobre. E a Taxa de Lixo vai subir 77%.

    # Mas o fato mais importante nisso tudo é que Vicini veio à imprensa e se expôs. Parece o Vicini dos dois primeiros mandatos. Antes, nesse mesmo episódio, deixou quase transparecer que o assunto não era com ele.

    # Se Vicini planejou governar Santa Rosa evitando choques, já está tendo uma grande decepção. Na hora do confronto, é com ele a bronca. Aliás, quando se esquiva, fica pior ainda o cenário.

    # A primeira linha de defesa de um governo, bem antes da bancada de situação na Câmara, são os secretários municipais. Os secretários de Vicini, na grande maioria, se desviam do confronto. Deixam tudo para o prefeito. Já vi Vicini acompanhado de secretários bem mais combatentes em governos anteriores. Parece que os atuais não se ofendem, não são tocados. Governo é conjunto.

    # Para o movimento ‘Acorda Santa Rosa’, que lutou pelo Passe Livre Municipal: é baixíssima a adesão dos estudantes ao benefício. Vamos acordá-los?

    # Enquanto cooperativas de produção falem à nossa volta, é bom ver a Cotrirosa alugando a Cotap de Giruá por 10 anos.

    # Câmara aprovou o projeto do Parquímetro com uma ressalva: o prefeito não poderá encaminhar questões relacionadas ao sistema por decreto, ou seja, decretando. Terá que criar leis municipais, ou seja, discutindo com o Legislativo.

    # Sonho da Avenida América prolongada está saindo do papel. Cartas do edital serão abertas na terça-feira que vem.

    # Alcides e Vicini e Osmar Terra governaram Santa Rosa num tempo em que o prefeito podia puxar para si a missão de ilustrar o marketing do governo. Hoje os tempos são outros. A informação se universalizou e anda muito rápido. Ninguém faz isso sozinho (alô secretários!).

    # A petista Rozane Dalsasso comanda a 1ª CRE - Coordenadoria Regional de Educação. Parabéns. Muito do que ela aprendeu na vida, aplicou primeiro em Santa Rosa.

    # Vicini silenciou diante da nota 3 de Orlando. Estratégia? Falta de tempo? Ou ninguém disse a ele que ficar quieto é consentir?

  • quinta-feira, 16 de janeiro de 2014 19:25

    IPTU volta a ser debatido

    # O assunto da semana na área política foi a decisão de Vicini de chamar pra si as explicações detalhadas sobre o aumento da Taxa de Recolhimento de Lixo. Ao invés de percentuais, ele trata do assunto através de valores.

    # Vicini concorda que o percentual de 77% agride, mas diz que em valores não tem nada de absurdo. Sua área fazendária fez um cálculo que dá para quase aplaudir em pé o aumento: uma casa de 100 m² pagará pouco mais de 10 centavos por dia.

    # Vicini se esforçou. O argumento é bom, se fosse único. Tudo o que está à nossa volta está subindo. O IPVA, se calculado quanto custa por dia, é uma miséria. A luz, a água, o material escolar, a gasolina, enfim, qualquer despesa se calculada pelo custo diário, é uma moleza. O problema é que tudo sobre. E a Taxa de Lixo vai subir 77%.

    # Mas o fato mais importante nisso tudo é que Vicini veio à imprensa e se expôs. Parece o Vicini dos dois primeiros mandatos. Antes, nesse mesmo episódio, deixou quase transparecer que o assunto não era com ele.

    # Se Vicini planejou governar Santa Rosa evitando choques, já está tendo uma grande decepção. Na hora do confronto, é com ele a bronca. Aliás, quando se esquiva, fica pior ainda o cenário.

    # A primeira linha de defesa de um governo, bem antes da bancada de situação na Câmara, são os secretários municipais. Os secretários de Vicini, na grande maioria, se desviam do confronto. Deixam tudo para o prefeito. Já vi Vicini acompanhado de secretários bem mais combatentes em governos anteriores. Parece que os atuais não se ofendem, não são tocados. Governo é conjunto.

    # Para o movimento ‘Acorda Santa Rosa’, que lutou pelo Passe Livre Municipal: é baixíssima a adesão dos estudantes ao benefício. Vamos acordá-los?

    # Enquanto cooperativas de produção falem à nossa volta, é bom ver a Cotrirosa alugando a Cotap de Giruá por 10 anos.

    # Câmara aprovou o projeto do Parquímetro com uma ressalva: o prefeito não poderá encaminhar questões relacionadas ao sistema por decreto, ou seja, decretando. Terá que criar leis municipais, ou seja, discutindo com o Legislativo.

    # Sonho da Avenida América prolongada está saindo do papel. Cartas do edital serão abertas na terça-feira que vem.

    # Alcides e Vicini e Osmar Terra governaram Santa Rosa num tempo em que o prefeito podia puxar para si a missão de ilustrar o marketing do governo. Hoje os tempos são outros. A informação se universalizou e anda muito rápido. Ninguém faz isso sozinho (alô secretários!).

    # A petista Rozane Dalsasso comanda a 1ª CRE - Coordenadoria Regional de Educação. Parabéns. Muito do que ela aprendeu na vida, aplicou primeiro em Santa Rosa.

    # Vicini silenciou diante da nota 3 de Orlando. Estratégia? Falta de tempo? Ou ninguém disse a ele que ficar quieto é consentir?