• sábado, 26 de novembro de 2016 10:46

    Moroni: colocando lenha na fogueira

    Colocando lenha na fogueira, que por ora não é a lenha do próprio Moroni, muito embora possa ser logo adiante.
    Foi bom o debate sobre o destino do Ginásio João Batista Moroni, considerando as premissas jurídicas envolvidas. Também surpreendeu a adesão da comunidade à enquete realizada pelo site do Jornal Noroeste. O tema fervilha em cada esquina. E, sinceramente, mediante as considerações da promotora, da ONG e da Prefeitura, não vejo solução no curto prazo. É imenso o abacaxi que o juiz terá para descascar.
    Não sei até que ponto a comunidade de Santa Rosa já se deu conta que há dois debates instalados acerca deste tema. E, da forma como estão postos, confundem-se a ponto de as pessoas imaginarem que se trata de apenas uma discussão. E não é. Uma situação é a preservação (ou não) do Moroni; outra é a necessidade de um ginásio novo, moderno e grandioso.
    Quem defende a preservação do ginásio tem em mente o aspecto histórico da Cidade Baixa, os espaços onde o povoamento iniciou e onde estão as raízes do Município. Não se trata apenas do Moroni, mas da memória afetiva de um todo. Nessa trincheira também estão aqueles que pensam que é possível reformar a estrutura e colocá-la em uso para fins de menor vulto, como era até a interdição. Esse é um debate.
    Outra discussão é a necessidade de Santa Rosa receber/construir um ginásio de grande porte, a tal arena multiuso. Concordo, precisamos sim dela, levando em consideração que o Ginásio Dom Bosco não comporta jogos em certames oficiais de futsal, apenas para ficar em um exemplo. Diga o Luis Carlos Volkmer ao organizar a Taça Noroeste sem saber se terá local para sediar a competição.
    Habilmente, o governo e as entidades esportivas têm amarrado os dois debates, vendendo à comunidade a ideia de que a construção de uma arena depende de se desfazer do terreno onde está assentado o Moroni. Observando assim, o impacto torna-se agradável. Ocorre que com R$ 3 milhões (quem deu essa cifra foi o prefeito) dá para construir apenas 25% do moderno empreendimento. O restante há ser buscado.
    Quem defende preservar e reformar (ou fazer outro ginásio de pequenas proporções ali) está pensando em utilizar o espaço para escolas, para CPMs, para pais e filhos, escolinhas esportivas, etc., que, se teme, não terão vez na arena.
    Sugiro, pelo que já ouvi nas esquinas, que se for à venda o terreno, que a Justiça conduza o processo de leilão, até mesmo ao bem dos envolvidos, porque não faltará quem aponte o dedo ao prefeito ou a empresários compradores. E, se o dinheiro entrar nos cofres da Prefeitura que haja rubrica apenas para este fim, sob pena de enquadramento na Lei de Responsabilidade Fiscal.
    Tanta coisa caindo numa semana só, e nem é brincadeira ligada ao esporte... É caindo pacote do Sartori no colo dos gaúchos, caindo Ministro da Cultura, caindo graúdo nas malhas da fiscalização sanitária... E pelo modo como sopra o vento, o que cai logo adiante é o Moroni.
    P.S: volto ao tema no debate deste sábado.

     

  • sábado, 26 de novembro de 2016 10:45

    Novela acabada.

    # Novela acabada. Anderson Mantei será o próximo presidente da Fundação Municipal de Saúde. Toda a sorte para ti. Competência tem de sobra, só não conheço o teu grau de tolerância.
    # Anderson é filiado ao PDT. Sinceramente não sei se sua ida à Fundação teve a bênção do partido. Independente disso, Mantei passa a ser identificado como um político vinculado ao PP. Isso fica selado a partir de agora.
    # Vicini anuncia mais um secretário e não é vereador eleito. Trata-se do jovem Rafael Rufino, do PTB. Partido não tem cadeira na Câmara, mas apoiou Vicini e Benvegnú.
    # Eleitores de Santa Rosa renovaram a Câmara de Vereadores em quase 50%. Vicini está ‘desrrenovando’ a Casa ao chamar vereadores não reeleitos. Dois já estão garantidos: Douglas Calixto e Marino Martins nos lugares de Lires Zimmermann (Educação) e Rodrigo Bürkle (Infraestrutura).
    # Se Vicini confirmar Aldair Melchior para a Secretaria de Desenvolvimento Social, ‘desrrenovará’ em 20% a futura legislatura.
    # Vale aqui uma ressalva. O próximo suplente não é Fernando Classmann, mas sim Nerci Rufino da Costa, ambos do PTB.
    # Se Vicini confirmar Melchior como secretário, de qualquer forma Classmann será vereador. Rufino, com o filho comandando a Cultura, ‘renunciaria’ a cadeira.
    # Confirmadas todas as especulações acima grifadas, só Timirinho será uma cara nova do PP na Câmara. Aliás, não tão nova, porque assumiu como suplente na atual Legislatura.
    # Vicini viajou em férias, sem fechar novembro com o secretariado completo. O problema está nos nomes do PPS para comandar a Agropecuária. Fontes dizem que Vicini não vai com a cútis dos citados pelo partido de Miro Jesse.
    # Ontem a UTI do Dom Bosco registrava três pacientes internados. Creiam: começou a virada num hospital que só se viu enrredado com dívidas e problemas de toda ordem financeira nas últimas décadas. Méritos para Milton Dummel e lideranças políticas do andar de cima do PMDB, PT e PP.
    # Osório é prefeito pela segunda vez. A primeira foi em 2006, no quarto mandato de Vicini (Mário Bauken era o vice). A segunda é agora, também com Vicini na Prefeitura.
    # Ginásio Moroni continua rendendo debates intensos. Chegaremos a um denominador comum?
    # Empresários ligados à Acisap teriam, segundo Vicini, aprovado a medida do turno único por 90 dias.
    # Cruzes. Seis mil quilos de alimentos vencidos ou contraindicados para consumo humano em três supermercados de Santa Rosa? Isso é proposital, inexperiência do funcionário do setor, falta de um software simples que resolveria tudo ou a busca do lucro sem levar em conta o escrúpulo? Vamos se respeitar!
    # Autoridades fizeram suas partes nesta semana, atuando três estabelecimentos. Mas a grande ação deve partir do consumidor. Deixe preço e marca para depois. Primeira vá direto à data do vencimento.

  • sexta-feira, 18 de novembro de 2016 16:02

    As Secretarias

    # A vontade inicial e pessoal de Rodrigo Bürkle era a de exercer o mandato de vereador. Foi convencido a ser secretário de Infraestrutura, da maneira que o tabuleiro de Vicini avançava.

    # Valmor Bürkle, pai de Rodrigo, com a boca quase grudando nas orelhas veio prestigiar o anúncio.

    # Fonte fidedigna confidenciou que até sábado (amanhã), Anderson Mantei dirá a Vicini se aceita ou não ser o presidente da Fundação Municipal de Saúde. Anda ali para deixar a lista dos especulados.

    # Então, não fica dúvida nenhuma de que a ida de Mantei à Fundação realmente estava sendo costurada.

    # Borela, ao que tudo indica, não comandará nenhuma pasta. Por que?

    # Como Rodrigo Bürkle está oficializado no comando da Secretaria de Infraestrutura, surge uma nova especulação. É a de que Aldair Melchior assuma a Habitação e Mobilidade Urbana.

    # Aldair é outro que, a exemplo de Rodrigo, gostaria de assumir seu mandato na Câmara.

    # Se o PSB fizesse mais 1,4 mil votos nas eleições proporcionais, Carlos Alberto Nasi seria vereador eleito. Ele concorreu na coligação com o PPS. A coligação teria três cadeiras.

    # Só para atualizar: dos sete vereadores da coligação de Vicini na Câmara, dois estão confirmados para o secretariado: Lires Zimmermann Führ e Rodrigo Bürkle. E mais um, Aldair Melchior pode também ir para o Executivo.

    # Do jeito que andam as coisas, é admissível que Vicini promova uma renovação de 100% em sua bancada situacionista.

    # Mais uma. Nas articulações que ele próprio vem fazendo, Vicini quer contemplar Fernando Classmann com uma cadeira na Câmara.

    # Vicini convidou Miro Jesse para ser secretário de Agropecuária. Miro rejeitou.

    # Orlando Desconsi mantém-se nos holofotes: é assessor parlamentar de Jeferson Fernandes.

    # A ideia é ótima, porque o PT mostrou-se um partido de oposição xoxa na atual Legislatura. Mais próximo, talvez Orlando forneça a pimenta que faltou.

    # E o PMDB? Alguma novidade?

    # Procuradoria Geral da República e Governo Vicini em nova rota de colisão.

    # A Procuradoria não admite os resultados pífios alcançados com a dengue e aponta despreparo dos agentes de endemias.

  • sexta-feira, 11 de novembro de 2016 08:35

    Até o final de novembro terá todo o secretariado definido

    # Lires Zimmermann Führ foi confirmada nesta semana como futura secretária municipal de Educação. Ela figurava no grupo dos nomes fortemente especulados. Por isso, não causou nenhum impacto.
    # Ao ser questionado sobre Fernando Borela, a reação facial de Vicini não nos transferiu firmeza sobre a especulação.
    # O disse-me-disse na Prefeitura continua intenso sobre a montagem do novo secretariado. A nova especulação é a de que Rodrigo Bürkle venha ser o secretário de Habitação e Mobilidade Urbana (pasta terá outro nome na reforma administrativa).
    # O destino de Carlos Lozekan é incerto.
    # Deslocando Lires e Rodrigo para o governo, Vicini devolve os mandatos de Douglas e Marino à Câmara.
    # Aliás, falando em reforma administrativa, Vicini ainda não enviou o projeto à Câmara.
    # Mais um antigo santa-rosense se foi. Desta vez quem nos deixou foi Airton Fridrich, ex-dirigente do Dínamo e do Juventus. Morreu no sábado passado, dia 5, aos 76 anos.
    # Governo Vicini concluiu nesta semana um longo processo que durou oito anos: a licitação do transporte coletivo urbano de Santa Rosa.
    # A Expresso Toda Hora, da família Vione, histori-camente vinculada à nossa cidade, foi a vencedora da licitação. O prazo inicial da concessão é de 15 anos, renovável por mais 15 anos.
    # Foi decisivo neste processo a habilidade da Procuradoria Geral do Município, especialmente na figura da advogada Leila Piekala.
    # Não por acaso, Leila já foi anunciada e permanecerá no cargo no próximo governo.
    # Que destino Vicini dará à professora Ivete Correa, que comandou a área de Educação do seu atual governo e foi uma dos grandes destaques do primeiro escalão?
    # Novo secretariado de Vicini avançará a partir das definições dos nomes que o PPS indicará para algumas pastas que restaram.
    # Vicini garante que até o final de novembro terá todo o secretariado definido.
    # Depois de Orlando, agora surge o nome de Osmar Terra numa lista de denunciados no plano nacional. Ele faz parte de um grupo de ministros que teriam utilizado aviões da FAB para viagens sem justificativas. O número maior de viagens injustificáveis teria sido para sua cidade de origem, ou seja, Santa Rosa.
    # Convenhamos, a questão de Terra merece nossa compreensão. Vocês imaginaram o que ele sentiu quando viu um aviãozinho oficial dando sopa em Brasília? Ou viajava, ou enlouqueceria.