segunda-feira, 26 de março de 2018 08:16

Fatos da semana

# Salvas para o espírito aventureiro de Henrique Scalco Franke, que começa a empreender viagem hoje rumo ao Monte Everest, a maior montanha do mundo.

# Para Henrique, só o cume interessa.

# PR insiste com a candidatura de Itálico Cielo à deputação estadual. Ele faria dobradinha na região com Betto Almeida.

# Milton Dummel desapareceu para a imprensa. Não atende repórter nem através de sessão mediúnica.

# Prefeito Alcides Vicini lidera uma comitiva de santa-rosenses numa viagem marcada para segunda-feira a Brusque/SC, na sede da Havan. A pauta é única: assegurar uma loja para Santa Rosa. O ministro Osmar Terra se une à caravana na cidade catarinense.

# Uma longa e linda história. Começou em 2006 com um grupo de 10 empresários que constituíram e assumiram o Conselho Administrativo do Hospital Vida & Saúde. Circunstancialmente, alguns nomes tiveram que sair, mas foram substituídos. Saíram Vanoli Kist, Fernando Dall’Agnese, Aldemir Ulrich e Anderson Mantei. Anderson foi presidente durante cinco mandatos (10 anos).

# São 10 empresários, cada um emprestando seu talento à condução do hospital. O grupo atual: Rubem Zamberlan, Elton Walker, Sidnei Strejevitch, Valdir Carpenedo, Sergio de Oliveira, Pedrinho Steffen, Admilson de Vlieger, Eduardo Manjabosco, Nei Rotta e Luciano Luft.

# Em 2006 o grupo assumiu com o planejamento de reverter o quadro negativo da época e modernizar o Vida & Saúde num prazo de 20 anos. Muitas metas foram antecipadamente cumpridas.

# O Vida & Saúde, em 2006, era um hospital em crise. Tinha uma dívida de R$ 18 milhões e um patrimônio avaliado em R$ 14 milhões. Se vendesse tudo ainda faltariam R$ 4 milhões para saldar débitos.

# Hoje o hospital tem R$ 8,8 milhões renegociados no longo prazo, dos quais R$ 2 milhões são impostos já perdoados através de um programa federal.

# O que menos preocupou o grupo, em 2006, foi o montante da dívida. Chamou um por um dos credores e negociou tipo “quer assim, recebe, não quer assim vá procurar teus direitos”.

# Renegociadas as dívidas, transferiram para o hospital uma visão de negócio. Criaram varias frentes de novos serviços de alta complexidade, o que, automaticamente, elevou o faturamento.

# O modelo de gestão do grupo prevê, para grandes investimentos ou ações, sete votos para implantá-los. Se a maioria for simples (6 a 4), os seis precisam convencer mais um ou os quatro convencem três.

# É natural afirmar que a comunidade deve muito para todos os nomes citados.

# Na política, uma fiscalização de duas comissões apurou que da frota de 30 carros da Fundação de Saúde, 18 estão sem condições de rodar. Denunciaram o sucateamento da frota e uma tendência de terceirizar viagens longas e deslocamentos curtos.

# Anderson Mantei contestou a citada tendência terceirizacionista, declarou que carro que roda todos os dias naturalmente estraga, anunciou a compra de novos veículos e disse que os resultados financeiros provam que pagar viagens de ônibus para pacientes do SUS é bem mais barato do que deslocamento por ambulância.

# Na política, também destaque para a manifestação nada amistosa de Sônia Conti contra Douglas Calixto, ao saber que a CPI do Painel foi arquivada sem nenhum relatório e nem pedido de prorrogação de prazos.

# Sônia: “foi o Douglas que estimulou a mim e ao Dado Silva a pedir a instalação da CPI e, depois de instalada, fez questão de presidi-la”.

# Sônia: “antes da CPI disse ao Douglas Calixto que estava satisfeita com minha ação, o prefeito havia retirado o painel reconhecendo sua ilegalidade e, com isso, o Ministério Público arquivou minha denúncia. Porém, o Douglas disse ‘não deixe assim’, tem que se descobrir quem autorizou a instalação do painel e tem coisa por trás disso”.

# Douglas Calixto faz o contraponto na segunda-feira, às 07h30min sobre os espetaços de Sônia Conti. Sônia diz que tem testemunhas das alusões de Calixto ‘tem coisa por trás disso’.

Faça seu comentário