• quarta-feira, 6 de março de 2013 14:21

    Os temporais do Musicanto

    Há alguns dias, no Bem-te-vi, anunciávamos que havia um nome antigo do PP indignado com os rumos do Musicanto. Os rumores, traduzidos em verdade logo em seguida, indicavam o descontentamento de Aquiles Giovelli com a indicação da jornalista Nice Richter para presidir o festival deste ano. A rusga foi além, tendo o advogado retirado seu nome das fileiras partidárias nas quais militou a vida toda.

    Mas, passado este vendaval, quando tudo indicava a um encaminhamento, surgem nas ruas novas informações, desta vez sobre um desalinhamento entre o secretário de Cultura, Anderson Farias, e a presidente recém-empossada. Em geral, nestes falatórios sempre há um fundo de verdade... mesmo que apenas fundo.

    Averiguamos no final de semana, cientes que o episódio relatado a nós era verdadeiro. Na segunda-feira, em contato com Anderson, ele mesmo confessou que houve o atrito, que classificou como irrelevante.

    A esta altura já circulava nos bastidores a notícia que Nice renunciaria. Anderson mostrou-se surpreso, pois estava em Porto Alegre. O fato se confirmou ontem, e, o festival agora corre mais uma vez contra o tempo.

    De tudo isso, a certeza: o Musicanto sobreviverá. Ele é maior que as desavenças que o cercam desde a sua criação, isso há 30 anos.