sexta-feira, 31 de março de 2017 14:59

Carne, leite e o Movimento MBL

No último domingo não houve movimento nas ruas, mesmo chamado pelo MBL - Movimento Brasil Livre. Não houve porque o brasileiro não legitima o governo e o MBL colocou esse governo ali. Ponto.

Por que inicio a coluna escrevendo sobre o fracasso da mobilização nacional? Para fazer com que o leitor atente ao trabalho coordenado e tático/técnico desencadeado pela grande imprensa brasileira nos últimos anos, especialmente no ditame dos rumos políticos. Há uma orquestração magistralmente formulada. Nada é acaso.

Os vazamentos das gravações envolvendo Lula eram legítimos (mesmo ilegais). Os vazamentos atuais envolvendo o governo são crime de Estado. As notícias não ecoam a tempo de provocar alguma reação, pois mal elas surgem na tela, a tempo de você fazer um print ou compartilhar na rede social, logo somem.

Perceberam, leitores, que durante toda a semana passada, a imprensa nacional, a serviço dos caciques partidários, falou tão-somente sobre a operação contra os frigoríficos? Era estratégico para passar no Congresso a Lei da Terceirização. Logo encontrarão outro cenário para dar ampla cobertura (só que não ampla) à medida que avançará a reforma da Previdência com ditames de equilíbrio fiscal.

Voltando ao tema da Operação Carne Fraca... Somente eu percebi a reportagem em que o delegado da Polícia Federal afirmou que o esquema desviou milhões para as campanhas políticas do PMDB e do PP? Por que esse assunto não obteve importância? Da mesma forma desapareceu dos noticiários o envolvimento do ministro da Justiça do atual governo na indicação do mentor de todo o esquema... E ele segue ministro. Em que País estamos?

A imprensa nacional, certamente a mando dos políticos, passou a semana toda tentando fazer com que a Polícia Federal arcasse com as consequências de o Brasil perder exportações e mercados de carne, bem como arcar com o fechamento dos frigoríficos e postos de trabalho... Santo Deus! A Polícia faz o trabalho dela, certíssimo, e é acusada de trabalhar contra os interesses nacionais? Então, ela deveria silenciar, legitimar o roubo?

A culpa não é da Polícia Federal. A culpa é dos fiscais corruptos que atuavam no esquema, aliados com os partidos políticos que moviam a roda, incluindo aqueles salafrários que os indicaram. Entendam, leitores, que é esta máquina nacional de distorcer fatos que precisa ser desfeita.

Para finalizar: não é de hoje que tenho escrito a respeito dessas leis severas demais contra os pequenos produtores familiares que já não podem vender ovos, leites e derivados de produtos animais na cidade. Essa construção tem apenas um viés: proteger os grandes conglomerados nacionais e internacionais. E nesse aspecto, pouco se fez nos últimos anos, mesmo em governos petistas que deveriam, na teoria, observar justamente estes negócios.

Eu defendo a ideia de que o consumidor deve ter o direito de escolha sobre o que vai comprar. Se ele quer comprar o leite do verdureiro, o queijo feito em casa, o frango da vizinha, etc, é um direito dele. Eu busco leite na vizinhança. Pronto. E tenho certeza que faz bem menos mal que estes que são vendidos nas caixinhas. Uma coisa é fiscalizar e aplicar regras a quem produz em escala industrial. Outra é impor um código que penaliza os pequenos.

Se a intenção é gerar mais mendigos no campo ou expulsar todos os pequenos, parabéns, vão conseguir bem rapidinho.
Ah, e o MBL deveria passar a MBLP - Movimento Brasil Livre dos Pobres (pois em tal ritmo, logo estarão exterminados).

Faça seu comentário