segunda-feira, 10 de abril de 2017 07:23

O Deputado Comemora

Nós todos, pelo menos aqueles que acompanham os noticiários, conhecemos algum deputado ou vereador que comemora. Isso mesmo!

O Deputado Comemora (ou vereador) é aquele sujeito que ocupa bem o espaço que a mídia lhe dá. Em geral, ele jamais aparece com algum projeto relevante ou defende alguma bandeira em que ele creia. No entanto, aparece a toda hora na imprensa das pequenas cidades - que precisa de matérias para preencher suas colunas e programas de rádio. Fulano recebeu as soberanas da ExpoAlgumaCoisa e comemora. Fulano visitou a cidade e comemora. Projeto do governo foi aprovado e Fulano comemora.

Nada mais inútil para a sociedade que um deputado ou vereador(a) que comemora. Por que isso, Clairto? Porque ele não está preocupado com os projetos relevantes. Ele se preocupa com a sua reeleição, de preferência que seja eterna - o que nem é tão difícil no Brasil em que há as tais emendas e verbas parlamentares. Esse Brasil em que um vereador ou parlamentar se elege pela oposição e “comemora” nos gabinetes do governo ao qual se opunha até o começo de outubro (gente assim tinha que perder o mandato na hora!).

O Deputado Comemora não quer que mude absolutamente nada na política nacional. Está ótimo assim. Ótimo porque para quem está no trono, com assessores e grana pública à disposição, é tudo muito fácil. Por isso, toda essa conversa sobre reforma política não é interessante para eles. É interessante parecer ao povo que há uma reforma em curso, mas no fundo com intenção que pouco mude efetivamente.

Por exemplo, o voto distrital, ele não entra em questão. Nem mesmo criminalizar o Caixa 2. Mas querem empurrar na reforma o fato de um político concorrer a dois cargos diferentes na mesma eleição. Que show isso! Assim o Deputado Comemora perde em um nível e assegura outro. E, ainda, querem insistir com o voto em lista, que nada mais é que autopreservação da espécie.

O Brasil está no rodapé do mundo em tudo. E regrediu muitos anos em apenas dois. É como um doente, do qual os médicos não tratam adequadamente, pois tende a piorar rapidamente e “involuir” até o estado terminal. Isso o Deputado Comemora acha interessante. Mendicância agrada os políticos porque aumenta a dependência do favorzinho, tapinha nas costas e todas aquelas falsidades que o meio tão bem conhece.

Precisamos da reforma trabalhista. Precisamos da reforma da Previdência. Precisamos da reforma política. Precisamos, porém, que ela seja comprometida com a sociedade toda, e não com as corporações. O que estamos presenciando é justamente o contrário: usa-se o argumento da necessidade, no entanto, as reformas estão a serviço das corporações (algumas delas bastantes criminosas).

Enquanto isso, enquanto o povo assiste aos espetáculos na grande mídia, o Deputado Comemora usa todos os espaços de mídia nas pequenas cidades para seguir seu caminho para a décima quinta reeleição. E comemora!

Pelo fim da reeleição já!

Faça seu comentário