sexta-feira, 2 de março de 2018 15:53

O tempo da mentira máxima

Há um festival em Nova Bréscia que premia a maior mentira contada. Os promotores deveriam enviar troféus às dezenas a Brasília.

Sério, agora! Caso alguém me pergunte que tempos são esses, direi que são tempos de cólera. Caso questionarem a respeito das características de nossa época, direi que reina a mentira, irmã gêmea da hipocrisia.

Poucas coisas me aborrecem tanto quanto a mentira. Não aquela que contamos a nós mesmos para satisfazer nossos egos ou encobrir nossas falhas. Tampouco é referência àquela mentira inofensiva, no âmbito da vida pessoal, que interessa apenas aos envolvidos.

Eu me importo com a mentira que alimenta os ingênuos, que se faz de cão para guiar o rebanho aos despenhadeiros.

Hoje, boa parte de nossas vidas ocorre no ambiente da internet, nas redes sociais. Temos amigos virtuais, temos namoros virtuais, temos trabalhos virtuais. Eis o lugar perfeito para a mentira, ou então, para que se revelem as verdadeiras faces escondidas pela cera aplicada todos os dias antes de ligar a webcam.

Não é um texto contra as redes sociais, contra o virtual. Eu tenho Instagram, uso Whats e Face, tenho Email, navego bastante durante o dia em meu trabalho. O furo é mais embaixo.

Outra vez, repito, não é a mentira que o Juca contou para a Zefa no Facebook que me importa. Isso é entre eles. A irritação é com a grande quantidade de mentiras que as pessoas espalham nas redes sociais. São inescrupulosos, maldosos, agitadores e bandidos. Sim, é necessário que se qualifique como bandido quem dissemina informações completamente falsas e distorcidas.

É a sociedade da mentira que se alastra. A mentira criminosa visa obter algum lucro ou prejudicar alguém. Tem que ser crime. A história nos ensina que a mentira vence, muitas vezes, infelizmente. Já vimos isso na eleição do Collor, no impeachment da Dilma, na Alemanha de Hitler. Vemos isso todos os dias. Ela está no poder.

Quanta mentira se dissemina o tempo todo pela internet! Não “de valde” alguns a chamam de Infernet. Os tempos já são confusos demais por si só, não precisamos alargar os horizontes da mentira e da hipocrisia. Não compartilhe Fake News, não caminhe com os ignorantes, desconfie antes de ser imbecil.

O tempo é da mentira máxima. E da vergonha mínima.

Essa mentira máxima que se apresenta nas redes sociais é a mesma mentira que me diz que para ser feliz eu preciso de um carro novo, uma mansão e muita grana no bolso. Pergunte a alguém que acaba de enterrar um filho se não trocaria isso tudo pelo abraço daquele que partiu...

Não debalde no centro da palavra mentira está o pronome (ti). E o centro da verdade dá.

Faça seu comentário