sexta-feira, 19 de maio de 2017 11:40

O terceiro movimento

Há muito tenho dito aos meus amigos que o Brasil carece de um terceiro movimento, um terceiro levante popular para acomodar as melancias na carroça. E nenhuma hora é mais oportuna que essa.

Escrevo sem levar em conta os desmiolados, os malucos de plantão da esquerda e da direita. Tal qual como registrei nesta mesma coluna que entendia ser insustentável a permanência de Dilma na presidência, tal o faço agora ao reiterar o que deixei claro noutras oportunidades: Temer e esse governo não podem continuar. A podridão é tanta que o ar contaminado se espalha a todos os continentes.

A saída mais decente ao país é destituir todo o Governo, fechar o Congresso e o Parlamento, e depois implantar um período de transição. Cassação geral. Sem possibilidade de concorrer em eleição de 2018 a qualquer político mencionado em investigações em curso. Quem governaria? Não sei, mas alguém com dignidade, alguém que possa fazer o brasileiro sentir orgulho do Brasil outra vez.

Mas, infelizmente, é pouca a esperança que algo sério aconteça, mesmo diante do atual quadro. Quem dera esteja enganado! A menos que o terceiro movimento ecloda e vá às ruas: um levante popular. Pacífico, mas levante que diga: chega, cansamos!

Pouco importa se você esteve no primeiro movimento, aquele de 2013 que assustou os políticos quando chegou a Brasília antes da Copa. Pouco importa se você esteve no segundo momento, que levou ao impeachment da Dilma. Importa é que estejamos, todos os brasileiros, unidos e nas ruas contra essa corja mafiosa que se adonou das riquezas nacionais e governa a seu bel-prazer.

A Câmara de Vereadores de Santa Rosa deu ouvidos às manifestações em 2013, baixou o número de diárias, congelou salários, e os parlamentares e assessores deixaram de viajar. Hoje ela é exemplo de bom uso da verba pública ao País. Vá conferir os dados e saberá que é verdade. A pressão da imprensa e das pessoas nas ruas mudou o quadro.

Nessa nhaca de governo, com tantos salteadores à solta, não é possível termos um Brasil no futuro. Espero, sinceramente, que os brasileiros acordem hoje, amanhã ou domingo mobilizados pelas redes sociais e saiam às ruas em marcha, sem bandeiras de partidos, sem bandeiras de sindicatos ou agremiações patronais, sem bandeiras de MBL ou sei lá o quê. A nossa bandeira tem que ser a moralidade, a honestidade e o amor pátrio.

Um terceiro movimento tem que chamar o impeachment, o fechamento do Congresso e do Senado. E depois, pode até ser pela internet, um terceiro movimento tem que conduzir à reforma política, estabelecer as novas regras.

A primeira reforma que o País precisa é política, com leis rígidas, sem reeleição em nenhum nível de governo, sem coligações partidárias e que acabe com os excessos de cargos e benesses aos parlamentares.

Um terceiro movimento do povo, já... Antes que destruam o que resta desse País.

Faça seu comentário