• quinta-feira, 22 de junho de 2017 10:48

    Amor pra vida toda: recém nascido

    No comecinho de vida da Kauany seus olhos brilhavam sempre em minha direção, me encantava e dizia “Ela está olhando pra mamãe!”.

    Tudo ia bem até a ciência provar o contrário. Nesse comecinho de vida a visão é o menos desenvolvido dos cinco sentidos do bebê, afinal, ela não foi exigida durante o período da gestação. Ele enxerga tudo embaçado e não distingue o contorno do rosto da mãe ou de objetos distantes, pois é míope.

    Seu olhar é atraído apenas por cores e movimentos.

    Sim tudo isso. Mas eu ainda acredito que aquele olhar cheio de amor era pra mim. E uma prova disso é que Melissa veio ao mundo olhando fixamente pra mim (tenho certeza).

    Já a audição é bem definida, uma vez que o feto ouve a voz da mãe desde o quinto mês de gestação - consequentemente, logo nos três primeiros dias após o nascimento, o recém-nascido já pode reconhecê-la.
    E aquela tremidinha na barriga, quem nunca?

    E de repente o bebê começa soluçar e as avós correm colocar algo da cor vermelha para eliminar o incomodo.

    Os soluços são comuns: sinal de frio ou de que o bebê está engolindo ar enquanto mama. É importante colocá-lo para arrotar. A musculatura é pouco desenvolvida e os reflexos, involuntários.

    Neste primeiro mês, além de muitas descobertas para a mãe, reconhecendo esse pequeno ser alguns sustos irão surgir. Muitas vezes o bebê abre e balança os braços, como uma borboleta que bate as asas. São 28 dias em que ele vai praticamente dormir e mamar, enquanto seu corpinho ganha força e a visão do mundo vai ficando mais nítida.

    Especialistas indicam estimulantes visuais e sonoros. Móbiles coloridos e sonoros e conversas ao pé do ouvido ajudam o recém-nascido a desenvolver a visão.

    A loja Criança & Cia possui alguns itens que vão te ajudar nessa fase tão fofa. (https://www.facebook.com/criancaeciasantarosa/)

    Diga palavras positivas, como "Você é linda, amada e forte”.

    Mesmo sem entender, é um recado que fica registrado no inconsciente da criança.

    Amanhã vou falar sobre o primeiro mês dos nosso amores.

    Maternidade

    Amar é cuidar!

    Dicas e sugestões:

    franciele@jornalnoroeste.com.br

  • quarta-feira, 21 de junho de 2017 10:47

    Banho no bebê no inverno

    Se você é daqueles pais que morrem de pena de dar banho no bebê como eu e meu marido quando está frio e acham que não tem nenhum problema não dar banho de vez em quando, esqueça!

    Essa teoria é ultrapassada!

    Faça chuva ou faça sol nossos bebês devem tomar banhos diários. Inclusive, a cabeça precisa ser lavada todos os dias. O banho é muito importante principalmente para os bebês que usam fraldas.

    Algumas mamães dão banho diariamente nos pequenos com receio de assaduras.

    A Melissa, minha pequena, está com dez meses, mesmo com frio ela ama banho. A hora de retirar ela da banheira é que um desafio.

    Para evitar o sofrimento dos nossos amores durante esse inverno que promete ser gelado aqui no Sul, é tentar dar banho nos horários mais quentes do dia, perto da hora do almoço. O ideal é antes de alimentá-lo, caso contrário, o banho deve ser breve.

    A temperatura da água não deve ser muito quente, pois a pele do bebê resseca. Se o dia estiver gelado, uma boa dica para manter o bebê aquecido é colocar uma toalhinha molhada com água morna na barriga durante o banho. Essa técnica utilizei inúmeras vezes quando Mel era recém nascida. Paninhos brancos cobrindo aquele mini corpinho.

    Uma dica legal é durante o banho, deixar as portas e janelas do banheiro fechadas para não haver corrente de ar.

    Nós papais e mamães podemos facilmente perceber se a criança está com frio:as mãos e pés ficam roxos e a face pálida. Nesse caso, acelere o banho, enxugue bem e vista a criança o mais rápido possível, começando pela parte de cima para que o tórax fique aquecido.

    Seque bem o bebê antes de vesti-lo. Não deixe o cabelo molhado se for colocar uma touca. Bebês que possuem pouco cabelo facilitam esse processo, nesse caso as boinas e toucas são indispensáveis.

    Vale lembrar que perdemos muito calor pelas extremidades do corpo, portanto se estiver muito frio, após o banho coloque meias, luvas e touca no bebê, isso irá mantê-lo bem aquecido.

    É interessante separar todos os itens que você utilizará para o banho antes de começar. O banho segue o ritmo igual ao de outras estações. Após terminar o banho, não saia com o bebê pelado do local. Para evitar que o pequeno tenha um choque térmico, coloque a roupa básica dentro do lugar onde o banho foi realizado. Vista primeiro a camisetinha, para proteger o peito do seu bebê, e depois coloque a fralda. Nos outros ambientes coloque apenas as roupas de cima.

    Logo após o banho as extremidades do bebê podem ficar geladas, por isso, aqueça bem o pequeno com roupas a mais até que mãos e pés fiquem mornos. O banho pode ser feito uma vez ao dia e só o realize mais de uma vez caso o bebê se suje muito.

    E você mamãe tem alguma dica?

    Compartilhe o amor pela maternidade.

    Amar é cuidar.

    Contatos: franciele@jornalnoroeste.com.br

    facebook: https://www.facebook.com/blogdafrancimadril/?ref=aymt_homepage_panel

  • terça-feira, 20 de junho de 2017 09:38

    Translucência Nucal

    Quando descobri que seria mãe, uma das primeiras sensações que senti foi uma felicidade imensa misturada com um amor profundo.

    Depois de visualizar o positivo no exame de sangue, a felicidade se misturou com preocupação. “Será que está tudo bem com meu bebê?”, “Será que está se desenvolvendo como deve ser?”.Existem alguns exames que mostram se está ou não tudo bem com o desenvolvimento do nosso bebê. Já ouviu falar em medida de Translucência Nucal (TN) ?.

    O nome é estranho, mas é bem fácil de entender como funciona.

    A Translucência Nucal é medida durante a ultrassonografia realizada entre a 11a e 13a semana gestacional. A ultrassonografia geralmente é abdominal, mas se a medida não for possível, pode ser necessária a realização da ultrassonografia transvaginal. Se houver um acúmulo excessivo de líquido na região da nuca do feto, aumenta o risco do bebê ter uma alteração cromossômica, malformações ou alguma síndrome genética.

    É importante destacar que a TN não faz o diagnóstico, isto é, não oferece certeza absoluta, mas revela um risco grande daquele feto que está com acúmulo de líquido na região da nuca apresentar alguma alteração.

    O diagnóstico de alguma alteração precoce é fundamental para a realização de um tratamento o mais breve possível.

    Enquanto aguardava minha vez para realizar o exame uma mãezinha disse que iria fazer o exame que detecta a síndrome de down. Ela não estava errada.

    Síndrome de Down - A mais conhecida das alterações cromossômicas é a Síndrome de Down, onde, além da TN, a idade materna e a história anterior na família de alteração cromossômica também são importantes para calcular o risco.

    Mas para se ter certeza do diagnóstico de Síndrome de Down é preciso realizar outros exames como o estudo de cariótipo fetal (aminiocentese).

    Dos fetos que apresentam a TN aumentada e o cariótipo normal, há grandes chances de malformações do coração, síndromes genéticas ou mesmo o não desenvolvimento pleno do feto resultando em abortos espontâneos.

    Todas as mulheres estão sujeitas a algum risco de dar a luz a um bebê com alguma alteração cromossômica. Se a mamãe tiver 25 anos, o risco inicial é de 1/430, isto é, a cada 430 mamães, 1 terá um filho com anomalia cromossômica. Caso tenha 35 anos, o risco sobe para 1/125.

    Mas esse número pode aumentar ou diminuir de acordo com os fatores já mencionados aqui, entre os quais a idade da mulher (quanto mais velha a mamãe grávida, maior é o risco) e de história na família de alterações, chamado de risco ajustado ou individual.

    Como é um exame simples e não invasivo, ou seja, não há risco para mamãe e nem para bebê, esse exame deve ser realizado rotineiramente no pré-natal em todas as mamães grávidas.

    A partir do cálculo desse risco deve-se então verificar a necessidade de se realizar exames mais invasivos para se ter a certeza do diagnóstico, possibilitando tratamento mais específico e o aconselhamento genético para o casal sobre as possíveis anomalias do seu bebê.

    Dicas

    A Translucência Nucal também proporciona verificar com mais precisão a idade gestacional da mulher, facilitando o acompanhamento do crescimento fetal.

    Caso a TN estiver aumentada, não tenha medo e pergunte tudo o que lhe passar pela cabeça na consulta médica.

    Quanto mais conhecer o seu bebê, melhor você vai poder cuidar da maior preciosidade que você carrega.

  • segunda-feira, 19 de junho de 2017 15:14

    Parto Humanizado

    A gravidez é um momento mágico para toda mulher. Um dos momentos marcantes dessa magia é o dia do nascimento. O número de mulheres que buscam o parto humanizado cresce constantemente.

    Diante dessa questão surge o termo "Parto Humanizado". Que não pode ser entendido como um "tipo de parto", onde alguns detalhes o definem como tal, como o uso da água ou a posição, a intensidade da luz, a presença do acompanhante ou qualquer outra variável.

    Relatos de partos via cesariana mostram a frustração de algumas mulheres de não terem parido naturalmente, com as próprias forças, os seus filhos. Querem e precisam vivenciar o nascimento de seus filhos de forma ativa, participativa, inteira. Viver os processos naturais e humanos por inteiro muitas vezes envolve dor, incômodo, conflito, medo.

    A humanização proposta pela ‘humanização do parto’ entende a gestação e o parto como eventos fisiológicos perfeitos (onde apenas 15 a 20% das gestantes apresentam adoecimento neste período necessitando cuidados especiais), cabendo a obstetrícia apenas acompanhar o processo e não interferir buscando ‘aperfeiçoá-lo’.

    Em Santa Rosa a Maternidade do Hospital Vida & Saúde possui projetos de adaptação de parto humanizado com o uso da água. De acordo com a assessoria de comunicação, já existem recursos confirmados para essas melhorias. Algumas ações nesse sentido já estão sendo realizadas, como a presença do pai durante o trabalho de parto e convivência rápida do bebê com toda a família.

    Que momento cheio de vida, amor e carinho!

    Confira algumas imagens extraídas da internet de partos humanizados e apaixone-se: