• quinta-feira, 31 de agosto de 2017 15:31

    A importância da avaliação nutricional nas fases da vida

    Há dois anos fiz reeducação alimentar. Confesso que no inicio não acreditava, pois o chocolate é irresistível. Mas uma avaliação nutricional pode te ajudar a emagrecer comendo. Isso mesmo comendo alimentos certos, nutritivos e saudáveis. Gente, emagrece de verdade!

    Durante a gestação emagreci. A reeducação alimentar vai ter tornar uma mãe mais feliz!

    Hoje é dia da nutricionista e para marcar essa data conversei com a nutricionista do Blog Maternidade, Mirelli Papalia (Parabéns pelo teu dia) sobre a importância da avaliação nutricional nas fases da vida.

    A avaliação nutricional tem como objetivo identificar os distúrbios nutricionais, possibilitando uma intervenção adequada de forma a auxiliar na recuperação e/ou manutenção do estado de saúde do indivíduo. Esta avaliação nutricional completa e individualizada, que compete ao profissional nutricionista, é a grande responsável pelo sucesso do tratamento dietético, seja ele qual for: perda de peso, ganho de massa muscular, reeducação alimentar, tratamento de doenças gástricas, hepáticas, renais, cardiovasculares, metabólicas, câncer.

    Os métodos utilizados são: antropometria (medidas, peso, altura, circunferências), composição corporal (massa magra e gorda), exames bioquímicos e avaliação do consumo alimentar. Cada fase da vida tem suas particularidades e o nutricionista a tem capacidade de avaliar cada caso.

    A intervenção nutricional tem como objetivo a prevenção de doenças, a proteção e a promoção de uma vida mais saudável, consequentemente, leva ao bem-estar geral do indivíduo. Com a avalição nutricional é possível encontrar o método mais eficaz para auxiliar o paciente na busca do seu objetivo.

    Nutricionista Mirelli Papalia

    CRN 12531D - Casa Dioro 55 98112-1446

     

  • quarta-feira, 30 de agosto de 2017 11:11

    Educação Emocional para crianças

    A Educação Emocional é uma das dimensões afetivas da inteligência e essencial para o sucesso e a autorrealização pessoal e profissional. Parece complicado, mas não é. Vamos aprender hoje em nosso bate papo mais sobre inteligência emocional.

    Conforme Goleman, a Inteligência Emocional engloba auto consciencialização e autoconhecimento, na prática um reconhecimento e identificação das próprias emoções, a autorregulação que é a capacidade de adequar as emoções às situações, a automotivação, quando ocorre o redirecionamento das emoções para determinados fins, a empatia, quando acontece o econhecimento e identificação das emoções dos outros e capacidade de manter e gerir relacionamentos.

    Todas as emoções determinam a maneira como encaramos as diferentes situações do dia a dia e o modo de ver a vida. Aquilo a que normalmente chamamos “força de vontade” é uma escolha emocional que fazemos com base na nossa emoção e motivação. Quando equilibradas, as emoções tornam-se uma ferramentas essenciais em nossas vidas, porém podem constituir também um enorme obstáculo e uma ameaça à integridade quando não são reguladas nem integradas saudavelmente, tal como podemos observar nos casos, cada vez mais frequentes, de bullying, assédio e violência escolar, agressão social, abuso físico e psicológico, humilhação, difamação, intimidação e chantagem que levam ao isolamento, depressão, transtornos de ansiedade, autoagressão, tentativas de suicídio e ainda, álcool e drogas como agentes compensatórios.

    De acordo com a psicóloga Daniara Wolf Kerkhoff a criança é como uma esponja: absorve informações e reproduz o que vê ao seu redor. Como muitas vezes as pessoas responsáveis por ela não se dão conta de suas angústias, de seus sentimentos, os pequenos não estão preparados emocionalmente para verbalizar o que sentem. Precisamos auxiliar e incentivar as crianças de como expressar os seus sentimentos, de modo que consigam compreender conceitos como alegria, medo, tristeza, raiva, ciúmes. Sentimentos que podem ser facilmente percebidos pelos adultos que as rodeiam, mas que usualmente deixamos passar.

    O projeto de Educação Emocional desenvolvido pela psicóloga Daniara tem o objetivo de auxiliar os pais e as crianças a refletirem sobre as suas emoções, de maneira que descubram a melhor forma de expressá-las.

    Quer participar?

    clique no link:https://www.facebook.com/daniarawolf.kerkhoff.5

    https://www.facebook.com/daniarawolf.kerkhoff.5

  • terça-feira, 29 de agosto de 2017 10:16

    Festa de Unicórnio

    Fran por que unicórnios?

    Porque eles invadiram tudo. Cadernos, acessórios,pantufas (fofas) e festas. A decoração fica muito linda e na moda. Uma mãezinha me enviou um email dizendo que gostaria de usar esse tema,mas estava sem ideias. Então lá vai seguidora Pâmela Silveira, algumas ideias.

    Na próxima postagem sobre decoração o tema será chuva de amor!

    • Decoração simples mas especial! Decoração simples mas especial!
    • Esses balões são mais que fofos! Esses balões são mais que fofos!
    • Bolo fake. Você pode usar a vontade eva dourado. Bolo fake. Você pode usar a vontade eva dourado.
    • Varal encantado. Varal encantado.
    • Algodão doce para uma festa doce! Algodão doce para uma festa doce!
    • O que os olhinhos na decoração O que os olhinhos na decoração
    • tons pastéis em contrastes com as cores do arco íris. tons pastéis em contrastes com as cores do arco íris.
    • Criatividade é o nome dado para essas lembrancinhas especiais! Criatividade é o nome dado para essas lembrancinhas especiais!
    • Doce e mais doce! Doce e mais doce!
    • Colorindo a vida dos convidados Colorindo a vida dos convidados
    • Docinhos personalizados. Docinhos personalizados.
    • Sacolinha para encher de amor. Sacolinha para encher de amor.
    • docinhos personalizados e cheios de brilho! docinhos personalizados e cheios de brilho!
    • Você pode usar o feltro com recheio de fibra de algodão ou, usar uma cartolina branca encapada com o feltro! Outra estratégia é usar rolinhos de papel higiênico encapados, já começa a juntá-los por aí Você pode usar o feltro com recheio de fibra de algodão ou, usar uma cartolina branca encapada com o feltro! Outra estratégia é usar rolinhos de papel higiênico encapados, já começa a juntá-los por aí
  • terça-feira, 22 de agosto de 2017 16:03

    Grávida aos 40!

    O desejo de se tornar mãe existe no coração de praticamente todas às mulheres.

    Tornei-me mãe pela primeira vez aos 17 anos, tudo fácil, rápido e cheio de novidades. A segunda gestação ocorreu aos 30 anos, difícil, demorado e ainda cheio de novidades.

    Nem sempre querer é poder. Muitas mulheres passam anos tentando engravidar, realizam tratamentos médicos e buscam alternativas para realizar o sonho de ser mãe.

    O tempo passa e bum...grávida aos 40!

    O momento de tornar esse desejo realidade é algo a ser discutido em nossa conversa de hoje. A Médica da família Ediléia Fischer ressalta que atualmente existe um grupo de mulheres que buscam liberdade financeira e estabilidade na carreira profissional e acabam optando em serem mães aos 40 anos.

    Essa decisão pode causar alguns riscos. As anomalias genéticas podem ocorrem em 5% dos fetos em gestações com mulheres com essa idade, a síndrome de down, por exemplo, está entre as anomalias.

    O risco de abortamento salta de 10% em uma gestante de 20 anos para 40% em uma gestação de uma mãe de 40 anos. A diminuição na taxa de fertilidade aumenta o risco de diabetes gestacional e doença hipertensiva. “Mulheres que tem este desejo aos 40 anos deverão consultar um médico antes de engravidar”, destaca Ediléia.

    Mas é claro que nem tudo são números, porcentagens e fatores de risco. Existe o lado glamuroso da gestação nesse período. A maturidade deixa a mulher mais segura, tornando-se mães maravilhosas.

    Zenaide Lenz, adovogada tornou-se mãe pela segunda vez aos 43 anos. “Depois de 26 anos, após o nascimento do meu primeiro filho Charles, meu presente de Deus chegou, Joaquim”. Zenaide afirma ter tido uma gravidez, calma, tranquila “quase parando”, brincou.

    A mãe destaca que não teve medo da gravidez, mas sim de começar tudo novamente.

    O melhor motivo de todos para ser mãe aos 40 é que sua vida irá começar toda de novo. Tudo o que já havia se tornado cansativo, rotineiro e sem emoção, irá renascer pelos olhos do seu filho. A cada pedacinho do mundo que você apresenta a seu filho, você também o conhece de novo como se fosse à primeira vez.

    Precauções para ser mãe aos 40:

    1. Será necessário prestar atenção especial à alimentação, comendo frutas e verduras, legumes, cereais integrais, ácidos graxos ômega-3; assim como proteínas tanto vegetais como de origem animal e é preciso evitar o excesso de sal, as gorduras e os doces em excesso.
    2. É necessário manter um peso saudável, para o qual colaborarão uma dieta saudável e o exercício diário.
    3. Realize exercícios moderados todos os dias, onde os passeios e pequenas caminhadas diárias contribuirão para o bom estado físico.
    4. Claro que você deve evitar o excesso de café e as bebidas alcoólicas.
    5. Não tome medicamentos sem consultar o seu médico e siga todas as orientações que ele tenha recomendado.

    Quando fazer tratamentos para engravidar depois dos 40 anos?

    Caso após algumas tentativas a mulher não conseguir engravidar, ela pode optar pelas técnicas de fertilização assistida ou adotar uma criança. Algumas técnicas que podem ser usadas quando a gravidez natural não acontece são:

    • Indução da ovulação;
    • Fertilização in vitro;
    • Inseminação artificial.

    Estes tratamentos são indicados quando o casal não consegue engravidar sozinho após 1 ano de tentativas. Eles são uma boa alternativa para quem tem dificuldade em engravidar mas também podem ser bastante desgastantes pois a cada ano que passa as chances da mulher conseguir engravidar ou manter uma gravidez vão sendo reduzidas e cada um destes tratamentos só devem ser realizados 1 vez por ano.

    Dicas para engravidar mais rápido

    Se você tem 40 anos e deseja engravidar, aqui estão algumas dicas que podem ajudar:

    • Realizar um check-up antes de começarem as tentativas para engravidar;
    • Verificar sua taxa de fertilidade através dum exame de sangue para checar os níveis de FSH e/ou estradiol no início do ciclo menstrual. Os níveis destes hormônios podem sugerir que os ovários já não respondem aos hormônios que induzem a ovulação.
    • Começar a tomar ácido fólico 3 meses antes de começarem as tentativas para engravidar;
    • Praticar exercícios físicos de forma regular e se alimentar bem;
    • Evitar o estresse e a ansiedade;
    • Ter relações durante o período fértil. Para saber quando é o seu próximo período fértil insira seus dados:

    Maternidade - Amar é cuidar!

    • Zenaide Lenz, grávida aos 43 anos Zenaide Lenz, grávida aos 43 anos
    • Joaquim Joaquim