• segunda-feira, 10 de julho de 2017 11:05

    Benefícios do corte tardio do cordão umbilical

    Durante nove meses carregamos nossos pacotinhos e a hora da separação é uma mistura de sentimentos. Essa separação pode ser amenizada de uma forma sutil para a mãe e o bebê. É importante saber que o cordão umbilical é responsável por unir o bebê à mãe e, por meio dele, o pequeno recebe sangue, oxigênio e nutrientes necessários para se desenvolver. Tradicionalmente, os obstetras fazem o corte dessa estrutura assim que a criança nasce, mas estudos têm mostrado que adiar esse processo só traz vantagens.

    A passagem dos hormônios - especialmente a ocitocina - para o bebê é um dos pontos positivos. Além disso, o corte tardio do cordão umbilical permite maior passagem de sangue para a criança, o que diminui a chance de anemia na primeira infância.

    E os benefícios não param por aí: ao esperar um pouco mais para realizar a ruptura, a criança tem a oportunidade de ficar mais tempo com a mãe por meio do contato pele a pele e até a respiração é trabalhada nesse momento. Quando o bebê sai do útero e você deixa o cordão pulsando, ele começa a respirar pelo pulmão, mas também recebe oxigênio por meio do cordão umbilical.

    Por quanto tempo esperar?

    Os especialistas acreditam que o corte deve ser feito de 1 a 3 minutos depois do nascimento, mas essa é uma questão que varia de profissional para profissional. Alguns especialistas indicam que o processo seja feito quando o cordão umbilical parar de pulsar.

    E na cesárea?

    O corte tardio da estrutura que liga o bebê na mãe não precisa ser realizado somente no parto normal. Na cesárea, a placenta descola antes e pode ser que o cordão umbilical não pulse por tanto tempo. Mesmo assim, os obstetras podem aguardar um pouco para cortá-lo.

    O corte tardio pode ser feito em todos os casos?

    Não. Em algumas situações que apresentam riscos a técnica não é recomendada - como quando a mãe tem diabetes gestacional ou alterações sanguíneas importantes. Já para os prematuros, o método não é indicado em casos extremos, mas pode acabar beneficiando os bebês que nasceram antes das 37 semanas de gestação. É importante conversar com o obstetra antes do parto para que todas essas questões sejam avaliadas.

    Mas o bebê pode ter icterícia (amarelão)?

    Algumas pessoas acreditam que adiar o corte do cordão umbilical depois do nascimento pode ter relação com o surgimento da doença que acomete os recém-nascidos, deixando a pele deles amarelada.

    Se não fizer a ordenha do cordão - quando o médico puxa o sangue do lado da mãe para o bebê, apertando e forçando a sua passagem - e deixar tudo correr espontaneamente -, não há ampliação da icterícia.

    E agora que sabemos um pouco mais sobre esse assunto, que tal conversar com seu médico e ver a melhor forma de realizar esse processo. Até nossa próxima troca de experiência!

    Maternidade

    Quem ama cuida!

    Sugestões e Dicas

    franciele@jornalnoroeste.com.br

  • quinta-feira, 6 de julho de 2017 11:19

    Dois meses: descoberta das mãos

    A percepção do bebê está cada vez mais aguçada. Ele começa a abrir os dedos e descobrir as mãozinhas. É provável que passe um tempão olhando para as próprias mãos e mexendo os dedinhos.

    Minhas moças amavam olhar para as mãozinhas. Fase pra lá boa e encantadora não é, mamães!
    Logo eles começam a agarrar os objetos e levá-los à boca - outra grande novidade desse período. Neste mês, a boca do bebê é uma das maneiras que o ajuda a conhecer o mundo. Ele ainda não leva os pés à boca, mas adora saborear as mãozinhas, juntamente com brinquedinhos de textura macia que consegue pegar.

    A coluna está mais firme. Mais perto do próximo mês o bebê já consegue erguer bem a cabeça, o tronco, esticar os bracinhos e girar a cabeça à procura de objetos coloridos ou sons conhecidos.

    Escolha bem os brinquedos que o bebê leva à boca. Eles devem ser macios, de borracha, atóxicos e antialérgicos. E nada de peças pequenininhas, que ele poderia engolir.

    A Loja Criança & Cia possui alguns objetos fofos e seguros que poderão te auxiliar nessa fase repleta de amor e descobertas:

    https://www.facebook.com/criancaeciasantarosa/

    Particularmente a melhor parte de todas as descobertas é quando começam a descobrir o som da própria voz, em balbucios, como se respondessem quando alguém fala com eles.

    Maternidade

    Amar é cuidar!

    Dicas e sugestões: http://franciele@jornalnoroeste.com.br

    franciele@jornalnoroeste.com.br

    • A Loja Criança & Cia possui alguns objetos fofos e seguros que poderão te auxiliar nessa fase repleta de amor e descobertas:  https://www.facebook.com/criancaeciasantarosa/ A Loja Criança & Cia possui alguns objetos fofos e seguros que poderão te auxiliar nessa fase repleta de amor e descobertas: https://www.facebook.com/criancaeciasantarosa/
  • quarta-feira, 5 de julho de 2017 14:22

    Alimentos calmantes

    Uma alimentação saudável e equilibrada ajuda a aplacar os efeitos nocivos da ansiedade sobre a saúde. Alguns alimentos, como a alface, o farelo de aveia e o abacate, atuam no combate ao estresse, favorecem o sono e fornecem a matéria-prima de que o organismo precisa para fabricar neurotransmissores - substâncias químicas que regulam o humor e induzem ao relaxamento, provocando sensação de bem-estar. A tripla jornada das mamães merece pelo menos um desses alimentos, para manter toda calma do mundo.Confira abaixo algumas dicas da Nutricionista Mirelli Papalia das melhores fontes de nutrientes:

    Banana e aveia

    São alimentos ricos em triptofano, que por sua vez é precursor da serotonina , hormônio do prazer e do bem estar.

    Chá de camomila

    O chá de Camomila seca apresenta propriedades relaxantes e ligeiramente sedativas que ajudam a tratar a insônia, a relaxar e a tratar a ansiedade e o nervosismo.

    Alface

    As folhas de alface possuem propriedades calmantes e podem ser ingeridas de duas formas: na salada ou chá com as folhas.

    Agora inspira e respira....e vá na feirinha comprar esse alimentos para manter a calma!

    Maternidade

    Quem ama cuida.

    Dicas e sugestões

    franciele@jornalnoroeste.com.br

  • segunda-feira, 3 de julho de 2017 14:15

    Animal de estimação e crianças

    Antes de dizer sim e se render aos encantos de um peludo, é preciso levar muita coisa em consideração. Aqueles filhotes fofos e gordinhos que encantam qualquer criança são mesmo irresistíveis. Nós temos um pincher chamada Pitty. Ela ama ficar pertinho das crianças.

    Ter um animal de estimação é na verdade ter mais um membro na família. Antes de se decidir, leve em consideração todos os aspectos que podem impactar em sua casa.

    De acordo com o Departamento Científico de Alergia e Imunologia da Sociedade Brasileira de Pediatria a primeira coisa a se considerar é a saúde de seu filho e de sua família. Alergias a animais de estimação ocorrem com apenas 10% da população. As mais comuns são rinite, asma ou erupções cutâneas. Mas isso não quer dizer que as crianças que tenham alergia não tolerem a presença desses animais.

    Conforme o veterinário da Multibichos, Alex de Souza Batista, atualmente são muitas linhas de estudos que crescem quanto aos benefícios do convívio de cães com bebês e crianças. Muitas alterações imunológicas positivas são evidenciadas, resultado dessa interação. Ele ressalta que crianças são menos suscetíveis a doenças alérgicas, rinites e dermatites quando expostas a esse convívio.

    Outros benefícios como à melhora nas habilidades motoras e redução da ansiedade também são muito valorizadas em estudos nessa linha de convívio com os animais. A preocupação dos pais com essa relação de animais com seus bebês e criança é visível, porém havendo a possibilidade de se obter um cão, é importante levar em consideração os benefícios disso para a criança e para a família de um modo geral, tudo com uma boa orientação de um(a) Medico(a) Veterinário(a), somente esse profissional poderá indicar um controle de vermes, vacinas, ectoparasitas e cuidados gerais adequados para uma convivência segura e feliz.

    Os animais fazem um bem inestimável para todos nós, basta abrir um espacinho no coração que surgira um sentimento grande e prazeroso.

    Maternidade

    Amar é cuidar!

    Dicas e sugestões:

    franciele@jornalnoroeste.com.br