quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017 08:26

Legal, né?

Diversos estados americanos estão alterando a idade penal para 18 ou 21 anos. Descobriram que adolescentes devem ser tratados de forma diversa dos adultos, justamente porque não são adultos.
Por aqui, a discussão foi grande algum tempo atrás, e ainda não morreu. Mas a experiência dos gringos dá o que pensar.

Enquanto isso, o presidente da República indica para o STF um cidadão filiado ao PSDB (ex-advogado do PCC) para julgar os processos em que o PSDB é réu. Legal, não? A sensação é de que, definitivamente, acabaram com a República.

A retomada dos voos a partir do aeroporto de Santo Ângelo ficou para abril ou maio deste ano. Há obras em andamento na cabeceira da pista, explicam os responsáveis.
O contrato inicial previa que os serviços estariam prontos em outubro de 2014. O atraso é grande. A empresa aérea Gol vem adiando a confirmação da utilização do aeroporto, sem maiores explicações. Além das obras propriamente ditas, há entraves burocráticos envolvendo o Governo do Estado e a ANAC. Entre os políticos, há diversos candidatos a “pai da criança”, o que não é novidade nenhuma.
Em 2014 o aeroporto de Santa Rosa estava na lista, mas obviamente sem preferencia. No ano passado, o governo federal reduziu o programa da aviação regional. Não estamos entre os 100 aeroportos com potencial. Destes, 73 receberão as verbas. Isso significa, em primeira análise, que fomos para o fim da fila. Legal, né?
Nesta semana a mobilização contra a reforma da previdência teve início em todo o Brasil.
Aqui em Santa Rosa também, com a formação do “Comitê Sindical e Popular” contra a reforma, lançado na última quarta-feira. Talvez não haja outra forma de conter a proposta que, na prática, acaba com o Estado de caráter social no país. E também acaba com a aposentadoria.
Em âmbito nacional, a OAB também está se mobilizando, assessorada por entidades de peso, incluindo a Associação Nacional dos Auditores Fiscais.
O governo, malandramente, prega a ideia de que o número de trabalhadores ativos não conseguirá sustentar os inativos. Ora, a Previdência integra o orçamento da Seguridade Social, e esta é superavitária. De onde, então, vem o alegado déficit? Os números apresentados pelos representantes do governo são assustadores, mas eles não dizem, em nenhum momento, de onde saíram estes números.
Se até agora o aposentado é penalizado pelo “fator previdenciário” que lhe rouba parte dos proventos, com a reforma de Temer a coisa vai piorar muito.
Os cálculos feitos pelos especialistas são objetivos: 100 milhões de pessoas serão prejudicadas pela Reforma da Previdência.
Legal, né?

Faça seu comentário