• terça-feira, 16 de fevereiro de 2016 09:05

    10 dicas para economizar no supermercado

    Por Lélio Braga Calhau

    No último ano os preços dos produtos de supermercado sofreram alguns reajustes bem salgados. Essas empresas têm botado pressão em seus fornecedores para que as margens de lucro sejam reduzidas e os aumentos não cheguem tão fortes ao consumidor final. Algumas fábricas lançaram produtos menores para tentar manter as vendas ao consumidor que “só olha o preço”.

    Muita coisa vem sendo feita nesse interessante mercado, mas cabe a você consumidor fazer a sua parte na luta pelo equilíbrio financeiro.

    Sendo assim, seguem 10 dicas para te ajudar a economizar quando for ao supermercado:

    Nunca vá ao supermercado com fome - Quem vai, acaba comprando mais do que realmente queria, só por conta da fome, pois ela atrapalha você calcular a quantidade exata das coisas que você realmente precisa.
    Tenha metas - Estipule um valor máximo para gastar na sua compra. Lembre que é você quem prioriza as demandas de sua vida e não as famosas “promoções” de qualquer estabelecimento comercial. Bateu no teto que você fixou, pare de comprar. É seu equilíbrio financeiro que está em jogo.
    Faça uma lista prévia do que você realmente precisa e a siga com disciplina dentro do estabelecimento - Planejamento é tudo, evita desperdícios, como comprar produtos repetidos ou em quantidade superior a que você precisa.
    Use o carrinho somente em última necessidade - Algumas pesquisas sobre o comportamento do consumidor apontam que há uma tendência em se comprar “até tampar o carrinho”. É só lembrar que os carrinhos de supermercado têm crescido de forma assustadora nos últimos trinta anos. Isso não é coincidência. É estratégia das empresas para você consumir mais.
    Levar, ou não, a criança ao supermercado? - Esse é um dos pontos mais polêmicos em educação financeira. Há prós e contras. Não levando, você compra sem a pressão de ter de adquirir produtos supérfluos, já que as crianças são alvos fáceis para o marketing. Levando, há um desgaste em muitos casos, mas é uma excelente chance para demonstrar aos pequenos que nem tudo que se quer pode ser comprado.
    Não vá ao supermercado passear - Só vá a esse estabelecimento se for comprar, além de tomar as cautelas citadas acima. Algumas ficam perambulando com carrinho e ouvindo uma boa música pelo supermercado e são alvos de centenas de estímulos para consumir. Assim, fica difícil resistir às compras por impulso, um dos motivos de grande endividamento dos consumidores na atualidade.
    Evite comprar em supermercado lotado - Isso pode gerar uma falsa percepção no consumidor de “senso de urgência” e ele pode acabar comprando mais produtos que o realmente necessário.
    Priorize comprar na segunda quinzena do mês - A imensa maioria dos consumidores compra no início do mês. Na segunda quinzena há uma queda normal de vendas e as empresas ficam mais propícias para fazer promoções reais para melhorar o fluxo de caixa.
    Priorize pagar as compras no cartão de débito ou à vista - Evita a criação do efeito bola-de-neve nas dívidas do consumidor.
    Fique atento com as gôndolas - Os produtos mais caros, no geral, estão na parte mais alta e os menos caros na parte inferior da gôndola. Alguns produtos complementares são colocados lado a lado para incentivar a compra dos dois ao mesmo tempo (mesmo se você tiver um deles em casa). Chocolates, por exemplo, costumam ser colocados em muitos casos no alcance das crianças. Produtos essenciais costumam ficar no fundo do supermercado para estimular a movimentação de consumidores em todos os setores.

    Pesquise, pesquise e pesquise e boas compras!

    Lélio Braga Calhau é Promotor de Justiça de defesa do consumidor do Ministério Público de Minas Gerais. Graduado em Psicologia pela UNIVALE, é Mestre em Direito do Estado e Cidadania pela UFG-RJ, palestrante e Coordenador do site e do Podcast "Educação Financeira para Todos".

  • quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016 10:28

    Celulite estética atinge 96% da população feminina

    A celulite estética (HIDROLIPODISTROFIA GINÓIDE ) é perturbadora dos contornos corporais de 96% dos corpos femininos . A pele fica com aspecto de casca de laranja e se apresenta nas regiões que acumulamos mais gordura como: coxa, quadril , glúteos e abdomem . São mais frequentes nos corpos femininos devido alterações hormonais e a grande pré disposição genética . Ainda devemos fazer referência ao sedentarismo ; tabagismo; dietas ricas em sal,gorduras , carboidratos,embutidos;excesso de peso, pouca injesta de líquidos e estresse.

    Os desejos de pele lisa ,contornos corporais bem definidos fazem o mercado da estética vender sonhos e tratamentos com efeito cinderela . Embora hoje exista profissionais trabalhando para o seu cliente ter uma reestruturação global ,sem arriscar seu corpo e com tempo para resposta terapêutica . Isso nos remete a estruturar junto ao cliente suas possibilidades de melhorar seu estilo de vida, a fazer exercício, a alimentar-se adequadamente e a se inserir em tratamentos com cuidados constantes para melhora da pele . Isso significa nutrir a pele, hidratar e melhorar a eslasticidade .

    “ Na minha experiência clinica ofereço tratamentos com protocolos específicos para aquele biotipo de paciente . Avalio o paciente e observo até onde podemos chegar com minha proposta terapêutica e a partir daí conseguimos firmar uma parceria de cuidados corporais , com tecnologia específica , avançada e segura. “

    O mercado oferece inúmeros aparelhos que melhoram o fluxo sanguíneo , a elasticidade e que permitem trabalhar a estrutura do colágeno .Além disso, já conseguimos utilizar produtos tecnológicos no consultório e para uso domiciliar.

    Com conhecimento científico, experiência clinica e a participação do paciente conseguimos chegar a 90% de eficácia nos tratamentos . Por isso, sempre é tempo de cuidar do seu corpo.

  • quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016 09:42

    Dica para as mulheres:

    Usar sutiã mais de duas vezes sem lavar faz mal à saúde. Entenda a razão

    Além de proteger os seios, garantir sustentação, ser um artifício de sedução e evitar deslizes na hora de compor um visual, o sutiã é peça fundamental no guarda-roupa de qualquer mulher. Além de saber escolher corretamente qual tipo de sutião combina com seu corpo, você ainda deve prestar atenção à forma com a qual lava a lingerie.

    Nem todas as mulheres sabem, mas especialistas afirmam que usar o mesmo sutiã mais de duas vezes seguidas sem lavar pode fazer mal à saúde. O corpo humano é fonte de calor e, por isso, costuma abrigar diversos tipos de bactérias. Os seios e as axilas, áreas que entram em contato direto com o sutiã são quentes e, por isso, a peça deve ser trocada e higienizada corretamente.

    Lavar o sutiã na máquina de lavar não é recomendável, já que, por ser bastante delicado, pode ter sua elasticidade afetada e ter sua vida útil diminuída. Para limpar a peça sem provocar estragos, você pode conhecer 7 dicas de lavagem simples que não estragam a peça e não roubam seu tempo.

    1. Sabão em pó ou líquido: prefira as fórmulas próprias para água fria, sem perfume e sem corante (informações especificadas na embalagem). Eles não provocam desbotamento e contêm menos substâncias químicas que possam causar alergias.
    2. Abotoe o sutiã para evitar que os fechos enrosquem em outras peças ou torçam muito.
    3. Coloque a peça dentro um saco específico para lingerie, que protege o tecido, o bojo e os arames da estrutura. Se não tiver, você pode utilizar uma fronha de travesseiro bem fina: coloque o sutiã dentro e dê um nó.

     

    1. Coloque modo de lavagem da máquina no mais suave possível - com temperatura baixa e centrifugação leve.
    2. Separe as peças por cor antes de colocar na máquina (para não correr o risco de alguma delas acabar manchada) e procure lavar somente peças leves - camisas, meias e pijamas, por exemplo.
    3. Nunca coloque os sutiãs na secadora - a movimentação intensa pode esgarçar o tecido e estragar o bojo.

     

    1. Ao retirar da máquina, pendure as peças no varal para que elas sequem naturalmente. Para evitar que o sutiã deforme, pendure pelo centro (a parte de tecido entre as duas taças)
  • quarta-feira, 20 de janeiro de 2016 15:14

    Cabelos, a diferença entre os cuidados

    Hoje vamos falar sobre uma duvida que, frequente entre as mulheres, gera assunto e mesmo após conversar e conversar, não chegam a uma conclusão.

    Você sabe qual é a diferença entre, hidratação, reconstrução e nutrição capilar?

    Estas diferenças ficam muito mais explicitas nesta época do ano, onde a mulherada quer curtir as férias junto a piscinas, mar, lagoas, rios, sem falar no banho de sol... Mas muito bem, vamos diferenciar cada cuidado:

    Hidratação: quando falamos em hidratação, lembramo-nos de água (H2O), assim como nosso corpo o cabelo também precisa de hidratação, reter líquido dentro do fio, para que o mesmo fique maleável. Então para isto existem os produtos, mascaras hidratante, nestes devem conter indicações nos rótulos, de um ou mais ativos que vou citar para vocês:

    • Extratos vegetais de plantas e/ou frutas;
    • Pantenol
    • Glicerina
    • Aloe Vera (Babosa)
    • Silicones
    • Vitaminas (Principalmente do complexo B)
    • Mel e Açucares.

    Reconstrução: está é constituída de proteína (queratina) e aminoácidos, que juntos formam o fio de cabelo, a sua reposição através de reconstrução pode ser chamada também de queratinização, nada mais é do que uma reposição de massa, não confere brilho nem maleabilidade, mas sim resistência aos fios, podendo deixa-los com aspecto rígido, por isso depois de uma reconstrução, sempre é importante usar uma boa mascara hidratante, para devolvermos leveza conforme vimos no paragrafo acima. Aqui é importante salientar que a queratina em excesso pode levar a quebra do fio, por isso use-a com cautela. Produtos para reconstrução devem conter em seus rótulos:

    • Queratina
    • Creatina
    • Arginina
    • Cisteína
    • Colágeno
    • Proteína Hidrolisada do Trigo, Milho, etc...
    • Aminoácidos

    Nutrição: esta lembra de alimentação, nada difere novamente do corpo para o cabelo, a nutrição nada mais é que a reposição de lipídios ou seja gordura nos fios, devolvendo brilho e pode ser feita com óleos vegetais ou com máscaras nutritivas, nesta formulação é importante atentar para os seguintes componentes, indicados nos rótulos:

    Óleos Vegetais (óleo de argan, macadâmia, amêndoas, coco, linhaça, semente de uva...)

    • Ceramidas
    • Manteigas Vegetais ( karité, cupuaçu, abacate, cacu...)
    • Tutano Vegetal ou Animal
    • Ceramidas

    Espero ter ajudado, e lembre-se na duvida procure um profissional com formação e que possa lhe auxiliar no tratamento correto para suas madeixas.

    Curtam a página do salão no face book, Jeferson Scherer Hair Style, https://www.facebook.com/JefersonSchererHairStyle/?ref=hl

    E deixe suas duvidas ou sugestões de assunto no comentário logo abaixo da matéria, quem sabe, o nosso próximo assunto é o seu.

    Jeferson Scherer

    Graduado em Estética e Imagem Pessoal

    Cabelereiro, maquiador, junto ao Spa Vivar e Orientador do Senac Santa Rosa