• quarta-feira, 8 de abril de 2015 09:22

    Legumes ao Molho de Queijos

    A pedido de várias amigas, tanto do trabalho quanto do facebook, está aqui a receita que preparei na terça-feira a noite. Como postei somente as fotos sem dizer o que era, e por estar em criação sem ter provado e ter recebido a aprovação, deixei somente com fotos.

    Adoro cozinhar e em especial criar e alterar receitas já existentes.

    Pensei em usar o nome de Legumes ao molho de queijo.

    Ingredientes usados para um prato refratário médio:

    *3 batatas médias

    *1 chuchu

    *2 cenouras médias

    *brócolis e couve flor quanto quiser

    Legumes descascados, cortei as batatas e cenouras em comprido de espessura de 1 cm, chuchu em rodelas da mesma espessura. Coloquei em uma panela as batatas e o chuchu com um pouquinho de sal e água somente para cobrir e coloquei à ferver, em outra panela as cenouras para não misturar os gostos.

    O brócolis e a coube flor somente coloquei água fervente e deixei reservada para uma pré cozida. Deixando todos os legumes “al dente”.

    Enquanto isso, preparei o molho de queijo com um caldo de legumes, o queijo que eu tinha na geladeira, (prato, colonial e parmesão ralado) piquei em pedaços pequenos, um creme de leite, mas na próxima irei substituir por requeijão e meio copo de leite, coloquei para cozinhar até derreter bem o queijo e engrossar o molho.

    No refratário alternei as lâminas de batatas e chuchu, acrescentei o brócolis, couve flor e para um colorido as cenouras, derramei o creme de queijo e na hora de servir, como preparei a noite para o almoço coloquei no forno de microondas até borbulhar o molho. Na próxima quero colocar no forno.

    Para acompanhar fiz um molho a bolonhesa.

    Ficou uma delícia, aprovado!

    Acredito que para servir com peixe fica perfeito.

  • sexta-feira, 6 de março de 2015 16:39

    Mulher do século XXI

    Se olharmos para trás e observarmos o sofrimento a que muitas mulheres foram submetidas para que as primeiras portas fossem abertas, parece irreal diante de tudo o que fazemos hoje.
    As primeiras oportunidades abraçadas foram decisivas para mostrarmos que somos capazes sim, de trabalhar, produzir igualmente e contribuir para uma sociedade mais justa e igualitária.
    As mulheres do século XXI são formadoras de opiniões, empreendedoras, capazes de abraçar diversas funções para não perder seu espaço. Tudo sem contar a capacidade de gerar filhos, frutos da sociedade do amanhã.
    É claro que vivemos dificuldades para moldar todas estas transformações, mas com certeza chegaremos a um ponto de equilíbrio com maturidade, feminilidade, capacidade intelectual indiscutível e grande força de vontade.
    Com objetivo de contribuir para uma sociedade melhor, estamos prontas para buscar conhecimento, aprimorar nossas atividades e validá-las em qualquer setor.
    Por isso, a mulher do século XXI firma sua importância social e faz história para que as próximas gerações colham bons frutos.
    Raja Hamoui - Fisioterapeuta
    Clinica Santa Clara

     

  • sexta-feira, 6 de março de 2015 16:40

    Mulher do século XXI

    A mulher contemporânea, ao longo das últimas décadas, vem acrescentando papéis ao seu estilo de vida. Essa mesma mulher quebrou velhos paradigmas impostos pela sociedade, em busca de novas possibilidades, conquistas e modelos de vida.
    Esses diferentes papéis desempenhados pelas mulheres exige equilíbrio e talento. E isso as mulheres fazem com maestria.
    Suzane - Empresária Treter Revestimentos

  • sexta-feira, 6 de março de 2015 16:35

    Mulher do século XXI

    Faço parte de uma geração de mulheres que foi criada para vencer na vida, fomos orientadas a estudar, trabalhar e acima de tudo nos tornarmos independentes. Acredito que desta forma vive uma razoável parcela de mulheres no século XXI.

    Sou integrante desta geração que veio para ser parceira e não dependente, tanto na vida afetiva como profissional. Movidas por essa crença vivemos em busca do próprio espaço, tendência forte entre as jovens mulheres deste começo de século. Este pensamento é uma força motriz: dar conta de si e ter e dar resposta a tudo que a sociedade espera.

    Viver significa correr riscos. Nosso cotidiano é feito de inúmeras promessas e poucas garantias e, diferente de outras épocas, compete-nos dar certo sozinhas. Precisamos fazer o novo acontecer a cada dia e vivendo todos os personagens que nos são cabíveis: a mulher profissional, a mulher esposa e a mulher mãe. Encontrar esse equilíbrio é por vezes desgastante e exige a serenidade que só vamos adquirindo gradualmente, a cada nova experiência vivida.

    Inseridas no contexto que nos foi dado e com todos os desafios inerentes a nossa época, vamos construindo o nosso sonho de felicidade. O importante é que vivamos com consciência e tendo presente que cada momento é único, que não volta mais e que dificilmente nos é dado uma nova oportunidade. O tranquilizador é que, ao mesmo tempo em que temos asas para voar por livre iniciativa, temos a certeza das nossas raízes fortes que nos ancoram.

    Camila Preissler - Arquiteta