• quinta-feira, 5 de março de 2015 07:51

    Mulher no Século XXI

    Ser mãe, esposa e profissional no século XXI não é uma tarefa simples....
    Foi-se o tempo em que as mulheres dedicavam-se apenas aos afazeres domésticos e aos cuidados com os filhos. Nos dias de hoje, as mulheres são parceiras fundamentais para complementação da renda familiar e até mesmo, em alguns casos, principais mantenedoras do lar. Toda essa mudança ao longo de gerações trouxe novos desafios à família como um todo, que teve sua configuração totalmente alterada. Com a mulher no mercado de trabalho, passou-se a compartilhar mais com os pais a criação dos filhos e a divisão de tarefas dentro de casa. Além disso, as mulheres hoje estudam mais do que os homens, apesar de não terem um salário igualitário (e esta realidade ainda parece muito longe). Foram muitas mudanças em um curto período de tempo...
    O grande desafio da mulher hoje é dar conta de todo este mundo que ela conquistou e que, portanto, sua carga e responsabilidade ficaram maiores. Mesmo sendo mais emotivas e tidas como "sexo frágil", as mulheres provaram que sim, dão conta de qualquer desafio!
    Tenho minhas dúvidas se as mulheres realmente queriam igualdade ou liberdade ao lutar pelos seus direitos naquele fatídico 8 de março de 1917, porque homem e mulher nunca serão iguais, cada um tem habilidades ímpares que acabam se complementando. E isto é bom, isto é ótimo! Mas sei que as mulheres descobriram ao longo do tempo que são muito mais fortes e guerreiras do que pensavam e que podem conquistar tudo o que quiserem com muito mais charme e que seu papel na sociedade não tem limites!
    Feliz Dia Internacional da Mulher a todas nós!
    Mariana Queiroz Wiedtkenper
    Sócia proprietária da Le Petit - Festas de Criança

  • quarta-feira, 4 de março de 2015 15:48

    Mulher no Século XXI

    "Para gerações anteriores, a palavra que melhor representava a mulher era Independência. Hoje já ultrapassamos isso. Penso que a mulher no século XXI representa liberdade. Liberdade, de fugir do senso comum, dos padrões estabelecidos pela sociedade tradicional e de poder viver como ela quer e escolher o que é melhor para si, pois cada um tem o seu padrão de felicidade, dentro do seu conceito de vida. O pré-conceito ainda persiste, mesmo que de forma inconsciente, mas penso que cada vez mais, as novas gerações de mulheres, virão para mostrar que a liberdade parte do princípio do respeito a si, e ao próximo".
    Lisandra Steffen Danda - Jornalista
    Colabore Comunicações e Hosp. Vida & Saúde

  • quarta-feira, 4 de março de 2015 09:14

    Você acaba de ganhar 40% de vida adulta. E agora o que fazer?

    Lidere a si mesmo e aproveite o aumento da expectativa de vida para viver uma vida que vale a pena.

    Quando se fala em líderes, muitos pensam diretamente em liderar outras pessoas, as vezes milhares - mas a maioria não pensa em autoliderança. Como a “Autoliderança” ainda é um recurso pouco difundido ela é deixada de lado muitas vezes, - porém, quando trabalhada mais a fundo, os líderes passam a perceber a importância de liderar a si próprias, tomando as rédeas da própria vida e consequentemente do seu destino.

    Segundo Domi Müller, especialista em autoliderança, líderes comandam milhares de pessoas e, para aqueles que olham de fora, acreditam que eles estão no controle de sua vida e de seus negócios - mas, por dentro, será que eles realmente possuem esse domínio? “Como liderar uma família, corporação, comunidade, cidade ou um país, se ao final do dia você se dá conta que aquilo que mais importa você mesmo, ficou para depois?", questiona o especialista.

    Müller lembra que a expectativa de vida mudou e hoje podemos viver cerca de 30, 40 anos a mais do que se vivia no século XX. Portanto a vida não é mais curta como ainda dizem aí fora. Esta é uma crença do passado. Agora a vida é longa e absolutamente todos, podem recomeçar, e fazer um novo futuro, construir um novo relacionamento, um novo negócio, uma nova profissão, uma nova família, uma nova visão sobre a sustentabilidade, um novo ser.

    “E se a vida é longa, não basta existir, é preciso prosperar. Entendo que para poder aproveitar esse tempo com a qualidade que a vida merece, a autoliderança é o primeiro passo em direção a ser mais feliz. E é esse o objetivo do 1º Congresso Internacional de Autoliderança (C.I.A): Fazer com que as pessoas reconheçam este novo paradigma de que irão viver até os 100 anos ou mais, e que podem autoriderar-se para viver com prosperidade", elucida.

    Pensando nisso, Müller idealizou o C.I.A, onde serão desenvolvidos 12 Palestras centradas nos “8 Pilares do Líder Próspero” para uma vida de 100 anos ou mais, e que contará com a participação de líderes empresariais importantes, como o fundador da Marcopolo SA - Paulo Bellini, Marlin Kohlrausch, Presidente da Calçados Bibi, Hans Donner, designer alemão e Scott Blais, Co fundador do Santuário de Elefantes no Tenessee, que irá contar sua história como pioneiro na criação de Santuários de elefantes no mundo e como isso tem a ver com a sustentabilidade do planeta - “afinal, como estamos vivendo mais, a sustentabilidade passou a ser um dos pilares do líder próspero”, explica o especialista.

    Além disso, também estarão presentes, o especialista internacional em autoliderança corporativa, Richard Daft (EUA), a Coach Paula Abreu, especialista em propósito de vida e outros empreendedores e Profissionais relacionados ao tema do Congresso.

    Durante o Congresso também será lançado o Livro Saia do Piloto Automático e Lidere Seu destino do especialista Domi Müller.

    O Congresso presencial acontecerá em Gramado, RS, nos dias 25 e 26 de abril, sendo que todas as palestras serão gravadas e transmitidas para o congresso online que terá 24 palestras e acontecerá entre os dias 5 e 12 de maio - assim, aqueles que desejam saber mais sobre o assunto e não puderem estar presentes fisicamente ou estarão e querem rever, também terão a oportunidade de aprender com os especialistas.

    Ficou curioso para conhecer mais sobre os “8 Pilares do Líder Próspero” e saber como autoliderar-se e começar a viver com longevidade para uma vida que valha a pena?

    Acesse e saiba mais em www.congressodeautolideranca.com

  • terça-feira, 3 de março de 2015 15:13

    Cabelo, cabelo meu...

    Depois das férias, da praia, das piscinas, da exposição ao sol, do “esquecimento”, o cabelo volta a se tornar peça chave na composição do look diário da mulherada.

    Eu que fiquei “esquecido” mereço cuidado agora, para voltarmos com tudo à escola, ao trabalho, às festas e nossa rotina do dia-a-dia.

    Mas para que a gente faça as pazes eu preciso de cuidados especiais, pois se não você vai dizer que eu estou revoltado, rebelde, sem formas, sem cor, tem algumas que ousam dizer que estou sem vida.

    Sou seu cabelo, preciso de atenção e vou te ajudar a fazer isso, hoje temos vários recursos hidratantes, umectantes, emolientes, selagens, cauterizações, botox.

    Para garantir nosso entendimento eu preciso de um bom tratamento depois destas férias, vamos falar de alguns, se eu estiver muito ressecado, poroso, desidratado, sem cor ou até mesmo esverdeado, calma vamos solucionar isso com um bom profissional e seu conhecimento.

    As hidratações me agradam muito após este período, pois elas garantem que eu recupere, “massa” e volte a ter uma forma agradável, tratamentos com cremes umectantes e emolientes me tornam mais maleáveis e soltos, já as selagens fazem com que cutículas, estas que são minhas fiéis escudeiras sejam fechadas, diminuindo assim volume e dando uma aparência de liso por um tempo, o botox que veio com tudo no verão passado, hoje continua em alta, pois além de realinhar a fibra capilar ele devolve massa e leveza ao fio.

    Quanto aos produtos como, escova mineral, indiana, marroquina, inteligente, de chocolate, de baunilha, etc... Se não contiver formol eu também aceito, pois o formol me isola cria o efeito cross link, o que faz com que eu fique liso, mas aos poucos eu vou enfraquecer e cair, sem contar nos danos que o formol trás para você e ao seu cabeleireiro principalmente.

    Portanto para passarmos o resto do ano sem brigas e ao chegar e perguntar ao seu espelho:

    - ESPELHO, ESPELHO MEU...? E você goste da resposta que vai ter, siga meus conselhos e converse com um bom profissional.

    Jeferson Scherer - HairStyle/ Orientador de Imagem Pessoal do Senac Santa Rosa