• sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014 16:40

    Caponata

    Ingredientes

    . 2 colheres (sopa) de óleo
    . 1 cebola picada
    . 2 dentes de alho picados
    . 1 berinjela grande picada em cubos
    . 1 pimentão vermelho picado em cubos
    . 1 pimentão amarelo picado em cubos
    . 1 cenoura picada em cubos
    . 1 abobrinha picada em cubos
    . 1/2 xícara (chá) de azeitonas picadas
    . Sal e pimenta a gosto
    . 1/2 xícara (chá) de azeite
    . 1/3 de xícara (chá) de vinagre
    . 1/2 xícara (chá) de suco de laranja
    . 1 colher (sopa) de açúcar
    . 1/2 xícara (chá) de passas brancas
    . 8 mini pães redondos para servir
    . Castanha-do-pará para salpicar

    Modo de preparo

    1. Aqueça o óleo, doure a cebola e o alho.

    2. Refogue a berinjela, os pimentões, a cenoura e, por último, a abobrinha. Desligue o fogo e misture a azeitona.

    3. Adicione o sal, a pimenta, o azeite, o vinagre, o suco de laranja e o açúcar. Misture as passas. Deixe descansar durante 30 minutos com a panela tampada.

    4. Corte uma tampa de cada pão, retire o miolo, com cuidado para não furar.

    5. Distribua a caponata nos pães, salpique a castanha-do-pará e sirva em seguida.

    Dica: a caponata deve ser servida gelada. Mantenha-a na geladeira até a hora de consumi-la.

  • terça-feira, 4 de fevereiro de 2014 09:18

    Torta de banana com Ricota

    A nutricionista estética e esportiva Camila Mai, preparou para os leitores algumas receitas especiais para você que deseja estar em forma neste verão.

    A dica de hoje é super fácil de preparar.

    Torta de banana com Ricota.

    Ingredientes:

    Bananas

    1 ricota light (200g)

    , 1 pacotinho de pudim diet de baunilha

    1 copo de leite

    Canela a gosto.

    Modo de preparo: forre uma forma com banana em tiras.

    Bata no liqüidificador 1 ricota light (200g), 1 copo de leite, 1 pacotinho de pudim diet de baunilha. Coloque sobre as bananas e leve ao forno por 25min, salpique canela.

    Mais dicas você pode encontrar pessoalmente com a Camila, no Spa Vivar.

  • domingo, 2 de fevereiro de 2014 09:34

    Cabelos no verão

    Falar de cuidados com os cabelos nesta época é bastante normal. Pois com o sol, mar, piscina e até mesmo o suor que é mais intenso nesta estação prejudicam o fio.

    Várias perguntas passam na cabeça da mulherada, como por exemplo:

    Porque meu cabelo loiro ficou verde?

    O que o mar faz com o cabelo?

    O suor também danifica meu fio?

    E o sol o que ele tem a ver com os cuidados com meu cabelo?

    Vamos esclarecer estas perguntas e sanar suas dúvidas.

    O cabelo LOIRO fica verde na piscina, não pelo cloro como sempre é dito, ele não é o vilão e sim o SULFATO DE COBRE, que por suas propriedades tem a coloração esverdeada e o cabelo com mechas, descoloração ou coloração loira, fica mais poroso(cutículas abertas), suscetível a absorção de pigmentos, quais quer que tiverem contato. Não faça coloração ou mechas durante um período de pelo menos 2 semanas pois os metais encontrados na água da piscina reagem com a química e o estrago pode ser ainda maior.

    A maioria das mulheres, não tem a preocupação de amarrar o cabelo em coque sobre o topo da cabeça, e muito menos em não mergulhar as madeixas na piscina. Uma dica muito importante para que isso não aconteça, é o uso de leavin, que se torna a cada ano mais popular e faz a cabeça da mulherada, ficar mais saudável e protegida, inclusive hoje temos várias marcas com FPS, que também é muito importante para o cuidado dos cabelos, o leavin garante a impermeabilização do fio e deve ser reaplicado assim como o FPS corporal ou facial, evitando assim que o cabelo fique ESVERDEADO e danificado pela ação dos RAIOS ULTRAVIOLETAS.

    O MAR, inimigo mortal do cabelo, danifica os fios por ter partículas, grãos de sal, que propagam ainda mais o calor emitido pelo sol, fazendo com que eles literalmente queimem, por isso aquele resultado espigado principalmente nas pontas. Para evitar isso NUNCA mergulhe os cabelos no mar, se fizer isso, faça antes de ir para casa e ao chegar tome aquele banho e lave muito bem os fios e o couro cabeludo, e não esqueça do uso do nosso companheiro leavin, que deve ser companheiro inseparável em todas as estações.

    Outra grande dúvida é porque os cabelos ficam tão ressecados na região da nuca, nesta parte o culpado é o suor, que também tem partículas pequenas porem não menos inofensivas de sal, que é eliminado do nosso organismo através do suor e geralmente fica concentrado na região da nuca, fazendo com que o cabelo fique mais danificado. Mas aí tem outra pergunta, amarrar o cabelo também não o danifica? Sim também, mas menos que a ação do sal, sol e cargas de metal encontradas nos tratamentos da água da piscina.

    Portanto antes de ir para praia, piscina, ou até mesmo ao banho de sol frequente, procure um profissional que possa hidratar seu cabelo, mas isso só não basta, durante a exposição a estes fatores você deve ter o cuidado de usar uma linha que promova a hidratação e o tratamento do fio. E logo após as merecidas férias, volte a procurar um cabeleireiro para fazer uma reconstrução, plástica capilar, hidratação profunda nas madeixas.

    Jeferson Scherer

    CABELEIREIRO/ SALÃO NOOSSO PHIO, ORIENTADOR EDUCACIONAL SENAC/ SANTA ROSA

     

  • segunda-feira, 27 de janeiro de 2014 14:53

    Proteja os pequenos da insolação

    A insolação é causada pela exposição prolongada aos raios solares ou ao calor. Quando isso acontece, a temperatura do corpo aumenta rapidamente junto com a transpiração, que acaba sendo insuficiente para resfriá-lo.

    Os principais sintomas, além da desidratação por causa da perda de água pelo suor, são: pele avermelhada e aquecida, febre,dor de cabeça, sede intensa e indisposição. Em situações mais graves, acontecem também vômitos, alteração térmica acima de 38° C e sonolência excessiva.

    Esses sinais são ainda mais perigosos em crianças. Por isso, tenha cautela no verão, principalmente quando for a praias, clubes, parques e outros locais ao ar livre.

    Como prevenir?

    Cristiane Dal Magro, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), cita algumas medidas básicas que afastam os riscos:

    - evite o sol das 10 horas às 16 horas;

    - bonés, chapéus e óculos escuros são acessórios obrigatórios, lembrando sempre de adequar os modelos às faixas etárias;

    - procure ficar em locais com sombra e frescos;

    - prefira · filtro solar de Fator de Proteção Solar (FPS) alto - nunca abaixo de 30 -, especialmente para peles claras. Reaplique a cada duas horas ou depois de longa permanência na água. Quanto à quantidade, o ideal é não deixar manchas brancas em nenhuma área. Lembre-se de não usar em bebês de até seis meses devido ao risco de absorção de substâncias químicas presentes na fórmula desses produtos;

    - escolha roupas claras e arejadas, que permitam a transpiração. Já existem no mercado peças que são confeccionas com proteção contra os efeitos dos raios solares;

    - hidratação sempre! Adote a água natural como fonte principal, pois é absorvida mais rápido pelo organismo. Coco, sucos de frutas e chás gelados são boas opções, assim como os picolés - mas preste atenção para não acabar consumindo açúcar em excesso;

    - fique de olho nos dias nublados: o mormaço também pode fazer mal.

    O que fazer?

    Os efeitos da insolação preocupam sempre, principalmente no caso das crianças. Por isso, perguntamos à pediatra Maria Amparo Martinez, do hospital Santa Catarina, o que fazer pra minimizar os sintomas até que elas sejam atendidas por um profissional especializado.

    Segundo ela, antes de tudo, é preciso manter os pequenos em um local bem arejado e com sombra, baixar a temperatura do corpo com compressas de água fria e hidratá-los.

    Mas não se arrisque: na dúvida, procure um médico para que ele faça uma avaliação pormenorizada da condição da criança. Por isso, tenha sempre à mão o endereço do hospital mais próximo se viajar para uma cidade de veraneio.