HomeArtigos sábado, 7 de novembro de 2015 01:27

Plano Municipal de Resíduos Sólidos

Por Francielli Werlang Puhl

Chamamos de lixo os resíduos sólidos domésticos produzidos em nossas casas e que descartamos diariamente. No entanto, o conceito de lixo é uma concepção humana, porque em processos naturais não há lixo, apenas produtos inertes.

Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública e Resíduos (Abrelpe), de 2003 a 2014 cada brasileiro produz em média 1,062 kg de resíduos sólidos por dia. E essa geração de lixo aumenta cada vez mais, em um processo que começou a partir da Revolução Industrial. O novo milênio chega com produtos novos no mercado, o consumidor busca comodidade e as indústrias buscam maiores lucros.

O resíduo urbano é um dos maiores problemas ambientais da atualidade, sendo o principal responsável pelo aumento da poluição do solo, da água e do ar. Além disso, causa danos à fauna e a flora e é foco da proliferação de vetores de diversas doenças.

No Brasil, após mais de 20 anos de debates no Congresso, a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei N° 12.305/10) nos trouxe instrumentos importantes para permitir o avanço do País no enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos. Prevê a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado).

Então, preocupado com a situação de nossa cidade, o município buscou recursos federais junto ao Ministério das Cidades para elaboração do Plano Municipal de Resíduos Sólidos. É um instrumento que envolve toda a comunidade diante da importância para o incentivo a pesquisa, e na elaboração de diversos meios complementares relacionados aos resíduos sólidos.

As medidas adotadas pelo plano são para tratar os resíduos sólidos gerados no município de Santa Rosa na área urbana e rural através de um diagnóstico, e este tem como objetivo detectar falhas pré-existentes e com isso definir soluções apropriadas no intuito de minimizar possíveis impactos ambientais e aqueles que possam afetar a saúde pública.

O Plano Municipal de Gerenciamento de Resíduos Sólidos de Santa Rosa tem previsão para ser concluído em março de 2016.

O futuro do meio ambiente depende da nossa responsabilidade no presente.

Faça seu comentário