HomeEconomia sexta-feira, 17 de novembro de 2017 19:27

Gás de cozinha é mais caro em Santa Rosa

Diferenças que chegam a R$ 20,00, relacionados com municípios vizinhos.

Um levantamento feito pela reportagem da Rádio Noroeste, em parceria com o Jornal Noroeste, mostra que o preço do botijão de gás de cozinha é mais caro aqui em relação a municípios vizinhos, com diferenças que chegam a R$ 20,00.

Quatro distribuidoras locais foram abordadas. Em três delas o valor do botijão de 13 kg está sendo vendido a R$ 85,00 quando entregue em casa pelos caminhões. Se o consumidor comprar na própria distribuidora os valores sofrem reduções que variam de R$ 10,00 a R$ 7,00. Já na quarta distribuidora o valor do produto entregue em casa é de R$ 84,00 e vendido na própria empresa por R$ 75.00.

Quando comparados com valores de municípios vizinhos a Santa Rosa, a diferença nos preços varia de R$ 12,00 a R$ 15,00 se entregues em casa, e de R$ 15,00 a R$ 20,00 comprados na empresa.

Em Tuparendi o valor do botijão é de R$ 73,00 entregue em casa e R$ 68,00 comprado na empresa. Em Giruá, o valor é ainda menor: R$ 70,00 entregue em casa e R$ 65,00 adquirido na empresa. Os mesmos valores também foram verificados em outra revendedora.

Questionadas sobre a significativa diferença, as distribuidoras de Santa Rosa alegam que só vendem com preço abaixo de R$ 85,00 aquelas empresas que trabalham na informalidade, alegação negada pelas distribuidoras pesquisadas que praticam valores menores. “O aumento abusivo ocorre porque alguns distribuidores estão aumentando em até R$ 30,00 o valor do botijão a partir do valor de compra. Eu pago para a fornecedora R$ 55,00 por botijão e acrescento R$ 10,00 para o consumidor que for comprar na empresa e R$ 15,00 para a entrega na residência”, destacou um empresário que não quis se identificar. Outra alegação está relacionada aos impostos pagos para o município, que na opinião deles seria muito elevado.

A Assessoria de Comunicação da Prefeitura informou que ao gás de cozinha no município não incide nenhum tipo de imposto municipal que possa ser diferenciado dos outros. Portanto, a majoração do preço na questão do gás, não é responsabilidade do município.

Em junho ocorreu uma redução de 4,5% no valor do botijão, no entanto nenhuma distribuidora repassou aos consumidores. Com o reajuste de 12,9% anunciado em outubro o preço do gás de cozinha (GLP) para uso residencial nas refinarias soma alta de 51,5% em 2017, segundo dados da Petrobrás.

Faça seu comentário