HomeEconomia sexta-feira, 20 de janeiro de 2017 10:37

Indústria de máquinas mostra sinais de reação

SANTA ROSA: a reação é sentida com forte intensidade junto à AGCO do Brasil e as indústrias sistemistas. O setor é um dos que mais emprega na região.

A venda de tratores no mercado interno no mês passado deu uma arrancada de 31,8% na comparação com igual período de 2015, alcançando 4.133 unidades, mostrou a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Nas colheita-deiras, o avanço foi ainda maior, de 57%, para 530 máquinas.
A produção de tratores aumentou 26% sobre outubro de 2015 e 24% ante setembro. Nas colheitadeiras, o crescimento foi de 63,1% sobre o mesmo mês do ano passado. Em meio ao crescimento do desemprego no país, as indústrias de máquinas agrícolas criaram postos de trabalho, com avanço de 2,5% sobre setembro. Na comparação com igual período de 2015, alta de 6,6%.
O presidente do Sindicato das Indústrias de Máquinas e Implementos Agrícolas do Rio Grande do Sul (Simers), Claudio Bier, avalia que a recuperação da atividade das vendas no setor é atribuída a dois fatores. Um tem relação com a melhora no ambiente político, o que levou os agricultores brasileiros a voltarem a se sentir confiantes para investimentos de mais longo prazo. Ao mesmo tempo, apesar de os preços das commodities agrícolas já terem sido melhores ao longo do ano, estão longe de serem desestimulantes. E apostar em tecnologia, lembra Bier, representa ganho de produtividade na lavoura.
Em Santa Rosa, a reação é sentida com forte intensidade junto à AGCO do Brasil e as indústrias sistemistas. O setor é um dos que mais emprega na região.

Faça seu comentário