HomeEducação & Cultura quarta-feira, 8 de março de 2017 07:37

A extensão como oportunidade de atuação profissional

Possibilidades de atuação nas áreas de assessoria, consultoria, palestras e oficinas estão sendo apresentadas aos acadêmicos pelo coordenador da Extensão SETREM, Valsenio Gaelzer.

Mostrar aos acadêmicos a importância da extensão diante do ensino e da pesquisa na faculdade/universidade é o objetivo do coordenador da Extensão SETREM Valsênio Gaelzer, que vem explanando a questão em todas as turmas da Faculdade Três de Maio. “Também estamos buscando sensibilizá-los de modo a se voltarem para a extensão, seja como participantes de formações - visando ampliar e qualificar ainda mais o conhecimento em suas áreas, seja como os futuros profissionais que venham a atuar neste segmento, oferecendo às empresas e à comunidade ferramentas ou assuntos que tenham desenvolvido na academia”, explica.

Gaelzer ressalta que a extensão é uma oportunidade para o acadêmico e também para o egresso, que pode atuar com assessoria, consultoria, ministrando palestras ou realizando oficinas. “Nosso trabalho é para sensibilizar a cada um acerca da importância da extensão, para que tenham o conhecimento e saibam como ela funciona, pois está muito mais próxima do que eles podem imaginar”, detalha. Ao mesmo tempo, nas salas de aula está sendo aplicado questionário no qual os acadêmicos solicitam demandas de seu interesse que possam ser oferecidas enquanto cursos de extensão universitária.

 

A importância da extensão

O coordenador relata que a Extensão SETREM foi redimensionada e reposicionada diante do cenário atual e também internamente. “O chamado tripé, formado por ensino - pesquisa - extensão, forma o eixo indispensável e fundamental para a construção de conhecimento com qualidade e produtividade. Porém, ele não é devidamente suprido na academia em todo o país. Os acadêmicos passam praticamente ligados apenas ao ensino e, mesmo que também aprendam a pesquisa, poucos saem da graduação como pesquisadores. Porém, é a extensão que tem passado despercebida na maioria dos acadêmicos nas últimas décadas”, exalta.

Gaelzer defende que chegou o momento, por vários fatores, de as academias e organizações estarem mais voltadas à comunidade. “As próprias empresas não sobrevivem sem expansão e envolvimento com a comunidade, onde se encontra o potencial cliente. Como as instituições de ensino têm tido como principal cliente o acadêmico, e como ele tem ampla oferta de cursos e instituições na região, a extensão consolida-se como uma oportunidade para enfrentar e superar esta época de oscilação, seja ela social, política ou econômica. E a SETREM, comprometida com o acadêmico e com a comunidade, está avançando muito na oferta de importantes alternativas a ambos”, conclui.

Faça seu comentário