HomeEducação & Cultura quarta-feira, 12 de abril de 2017 07:45

Visita à Apada proporcionou aprendizagem diferenciada aos estudantes

Acadêmicos do 1° semestre de Gestão de Recursos Humanos sobre o funcionamento e as atividades desenvolvidas.

A visita na Escola de Surdos, mantida pela APADA (Associação de Pais e Amigos de Deficientes Auditivos de Santa Rosa) foi significativamente importante para a aprendizagem dos acadêmicos do 1° semestre de Gestão de Recursos Humanos, das Faculdades Integradas Machado de Assis (FEMA).

Na ocasião, foram recepcionados pela professora Denise, Coordenadora Pedagógica da Instituição que, de forma atenciosa e gentil, conduziu ao auditório da escola para a explanação geral sobre o funcionamento e as atividades desenvolvidas. Logo após, propôs uma dinâmica muito divertida com alguns alunos que ali estavam, estudantes do 3º ano do Ensino Médio, que ensinaram algumas palavras em “libras” (Língua Brasileira de Sinais - língua utilizada pelos alunos) e que, a partir de tal ensinamento, tiveram que, de forma conjunta, formar frases que ficava a cargo dos referidos acadêmicos a decifração.

Posteriormente, a coordenadora, ao mesmo tempo em que respondia os questionamento efetuados, mostrava todos os ambientes onde estudam e realizam demais atividades os alunos da instituição.

De acordo com a professora, evidenciou-se, a partir de tal atividade, que os acadêmicos mostraram-se muito curiosos e contentes em ter conhecido a Escola de Surdos, especialmente os profissionais e alunos que a compõem, uma vez que foi possível a quebra do paradigma no sentido de que as pessoas portadoras de deficiência auditiva podem sim desempenhar inúmeras atividades em fábricas, escritórios, no comércio e, inclusive, na docência, uma vez que a própria instituição possui professores com esse tipo de deficiência.

“Acredita-se que o desenvolvimento de atividades dessa espécie é de grande valia para os acadêmicos, uma vez que desperta curiosidades e, inclusive, novas visões acerca de situações antes não tão conhecidas e que fazem a diferença para a formação profissional do Gestor de Recursos Humanos, haja vista que atuará diretamente com inúmeras situações ligadas à contratação de deficientes nos meios empresariais, questão obrigatória em razão do avanço legislativo”, destacou Maíra.

A visita foi organizada pela professora Maíra Fronza, no dia 21 de março.

 

Faça seu comentário