HomeESPECIAL DIA DA MULHER sábado, 4 de março de 2017 11:04

Raquel Nenê Santos

Juíza do Trabalho, titular da 2ª Vara do Trabalho de Santa Rosa.

Através da evolução dos tempos, as mulheres construíram um caminho digno e valoroso. Ao analisar o comportamento da força de trabalho feminino no Brasil no último quarto de século, o que chama a atenção é o vigor e a persistência na conquista do espaços de participação feminina. As mulheres vêm desempenhando um papel relevante no crescimento da população economicamente ativa. Elas estão se especializando, por intermédio de estudos e qualificação profissional, promovendo assim um melhor planejamento familiar e conquistando maior respeito e admiração diante de sua posição atuante. Nos diversos papéis que ocupam ao longo de seus dias - de esposas, mães, donas de casa, professoras, advogadas, delegadas, escritoras, juízas, chefes, empresárias, profissionais liberais, e outras tantas, as mulheres revelam trajetórias marcadas por desafios, lutas e conquistas, que merecem ser comemoradas nesta data especial.

A independência e a busca por autonomia é um ganho real para a mulher e a sociedade, seja na sua relação com o trabalho produtivo ou na sua afirmação como agente político, pois durante muitos anos fomos excluídas da possibilidade de ação e inserção política.

Saímos da sombra e passamos a existir de forma plena.

Entretanto, muitos desafios remanescem. Ainda é uma realidade a existência de muitas mulheres fora do mercado de trabalho, sem que isso seja uma opção pessoal; a mulher ainda tem sido considerada uma força de trabalho secundária, mais cara e menos produtiva. Também a desigualdade salarial, pouca representatividade política e a violência são questões fundamentais que devem ser superadas para garantir a emancipação feminina. Longe de buscar tomar o lugar dos homens, esta emancipação feminina tem o objetivo de consolidar a presença da mulher no mercado de trabalho, sem nos afastarmos da consciência que para o exercício da plenitude do nosso papel precisamos, trilhar os caminhos da liberdade, respeito aos preceitos de não-discriminação e igualdade de gênero, sem esquecer da busca constante pelo conhecimento.

Raquel Nenê Santos, Juíza do Trabalho, titular da 2ª Vara do Trabalho de Santa Rosa

 

Faça seu comentário