HomeGeral sexta-feira, 3 de agosto de 2018 15:52

Apresentada proposta de investimento à ponte internacional

Está prevista a aplicação de 100 milhões de dólares e o recurso estaria garantido.

Uma reunião promovida na segunda-feira, 30 de julho, em Porto Mauá, mobilizou lideranças brasileiras e argentinas para conhecerem a proposta de investimento privado de diretores da empresa I.C.C.A.N.N. (Inter-national Contracting Client Assessment, National Network) para a construção de uma ponte ligando o Brasil e a Argentina através de Porto Mauá e Alba Posse.

Adriano Torga apresentou-se como representante dos investidores, indicando tratar-se de um fundo de investimento americano. “Prevemos a aplicação de 100 milhões de dólares e o recurso está garantido. Não viemos ao Brasil fazer só uma ponte, temos previstos outros 17 investimentos”, afirmou. E acrescentou: “temos duas mil horas trabalhadas de estudos técnicos e eles estão disponíveis e serão entregues à Fundação Pró-Ponte”. Reiterou que já foi investido mais de R$ 1 milhão em um estudo técnico.

Para Leocir Weiss, prefeito de Porto Mauá, o momento é relevante, pois com a falta de investimento público um recurso privado pode virar realidade o sonho da ponte.

O presidente da Fundação Pró-Construção da Ponte Internacional, José Muñoz, observou que o investimento deve ser 100% privado, mas ainda depende do aval dos governos brasileiro e argentino. “Estamos acompanhando de perto os passos dessa nova possibilidade de ter a obra”, disse.

Para Celso Carvalho, prefeito de Alba Posse, é o momento para assegurar apoio ao projeto nos governos brasileiro e argentino.

Na proposta do investimento privado a travessia teria seis pistas, rodoviária e ferroviária. “Do governo brasileiro já se tem o aceite, conforme o grupo investidor. O Executivo argentino ainda precisa dar aval à proposta comercial e ao termo referencial do projeto”, informou Torga.

Embora seja um projeto privado, por ser binacional ligando os dois países, a obra precisa ser licitada. Antes disso será finalizado o projeto executivo e os governos devem lançar um edital internacional de construção e de concessão da ponte.

Faça seu comentário