HomeGeral segunda-feira, 17 de abril de 2017 08:12

Bolsa Família beneficia 362 mil famílias no Estado

Ao todo, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) destinará R$ 2,4 bilhões aos beneficiários.

As mais de 13,4 milhões de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família em todo o Brasil devem ficar atentas para o calendário de pagamento durante o mês de abril. O repasse começou nesta quinta-feira (13) e prossegue até o dia 28. Ao todo, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA) destinará R$ 2,4 bilhões aos beneficiários.

No Rio Grande do Sul são 362 mil famílias beneficiadas que juntas vão receber mais de 58 milhões de reais. Com o que recebe do programa, a Ivanir Mendes garante a compra do material escolar para os dois filhos. Mas para ela o Bolsa Família vai muito além disso. O compromisso de manter os filhos na escola e de estar com a vacinação das crianças em dia faz toda a diferença para quem está no programa.

O valor médio do benefício neste mês é de R$ 179,12. Para saber o dia certo em que é possível sacar o dinheiro, deve-se observar o último dígito do Número de Identificação Social (NIS) impresso no cartão. No primeiro dia, recebem as famílias com NIS de final 1. No segundo dia, os cartões terminados em 2 e, assim, sucessivamente. O valor do benefício varia de acordo com o número de membros da família, a idade de cada um e a renda declarada ao Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal.

Para receber o valor todos os meses, Ivanir e os outros beneficiários precisam cumprir as chamadas condicionalidades, que são compromissos nas áreas de saúde e educação assumidos por quem participa do programa e também pelo poder público. “Isso é bom porque mostra que o governo tem responsabilidade com a gente e com os nossos filhos também”, avalia.

Os recém-nascidos e crianças de até 7 anos devem ser pesados, medidos e estar com a caderneta de vacinação em dia. Já as beneficiárias grávidas precisam fazer o acompanhamento pré-natal. Quanto à educação, o Bolsa Família exige uma frequência escolar mínima de 85% para estudantes de 6 a 15 anos e de 75% para alunos de 16 e 17 anos.

Faça seu comentário