HomeGeral terça-feira, 5 de dezembro de 2017 13:38

Lançada pedra fundamental para o novo Foro do Trabalho

O evento, realizado na Rua Caxias contou com a presença da presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, desembargadora Beatriz Renck.

A Justiça do Trabalho de Santa Rosa realizou na manhã desta terça-feira, 05 de dezembro, o lançamento da Pedra Fundamental das novas instalações do Foro Trabalhista de cidade. O evento, realizado na Rua Caxias contou com a presença da presidente do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, desembargadora Beatriz Renck, que juntamente com a diretora do Foro Trabalhista de Santa Rosa juíza Raquel Nenê Santos apresentaram o projeto.

A área tem 2.886m² e está situada na esquina da Rua Duque de Caxias com a Rua Teixeira Mendes. Segundo a juíza Raquel Nenê, o projeto arquitetônico do prédio está em vias de conclusão e o início das obras está previsto para o primeiro semestre de 2018. “O projeto contempla um espaço melhor para atender a comunidade, todo adaptado com acessibilidade, melhores estruturas para colaboradores, com salas para a mediação com as partes envolvidas, possibilitando assim uma ampliação futura”, afirmou. A obra está orçada em R$ 5 milhões.

Para a desembargadora Beatriz Renck é um sonho se tornando realidade. “A comunidade lutou muito e hoje o projeto começa a se consolidar. A nova sede dará condições físicas para que o atendimento seja prestado com excelência que as pessoas merecem. Todo adaptado, terá ainda salas para conciliações, amamentação, dentre outros espaços para audiências e administrativo”, reiterou Beatriz.

Atualmente, as duas varas do Trabalho do município estão dispostas em locais separados - Rua Santo Dumont, números 489 e 496, sendo o último alugado. Além da facilidade para advogados e jurisdicionados ocasionada pela união das duas unidades judiciárias em um mesmo prédio, a nova sede também proporcionará espaço mais adequado aos requisitos de acessibilidade, assim como melhores condições de trabalho a magistrados, servidores, estagiários e terceirizados.

Raquel estima que até junho de 2018 seja licitada a obra que está prevista para ser concluída em cerca de um ano e meio. “Estamos empenhando todos os esforços, junto com a juíza Mariana, para acelerar a obra e garantir a aplicação dos recursos”, garantiu Raquel.

Faça seu comentário