HomePolícia quinta-feira, 29 de março de 2018 08:11

Polícia investiga fraude na 17ª CRE

A suspeita é de que uma servidora da educação teria usado recursos público sem prestar conta.

A Polícia Civil de Santa Rosa suspeita que uma servidora que ocupava um cargo de confiança (CC) teria utilizado, de forma irregular e sem prestar contas, recursos do Estado que eram direcionados para adiantamentos e custas de forma imediata.

O delegado de Polícia, Marcelo Lech, confirmou que abriu inquérito para investigar o caso em janeiro, depois de registro policial efetuado pela coordenadora regional Roseli Schaefer.

Roseli afirmou ao Jornal Noroeste que assim que tomou conhecimento de que a prestação de conta não fechava com os valores utilizados, procurou o setor jurídico da Secretaria Estadual de Educação. “A orientação foi abrir uma Comissão de Sindicância para apurar o fato, o que fizemos. Imediatamente procurei a Delegacia de Polícia para registrar a suspeita”, acrescentou.

Roseli não cita valores, mas salienta que a ex-servidora, mesmo depois de afastada, foi procurada para prestar esclarecimentos e explicar algum suposto equívoco, mas não compareceu nas dependências da CRE.

Especula-se de que o prejuízo aos cofres públicos giram em torno de R$ 50mil. O valor não foi confirmado pela Polícia. O nome da ex-servidora não foi divulgado.

Coordenadora de Educação denunciou o caso na Delegacia de Polícia.
Faça seu comentário