HomePolícia sexta-feira, 9 de junho de 2017 08:06

Polícia ouve testemunhas da morte de bebê em creche

Delegado não quis antecipar as conclusões, apenas disse que está sendo feito um trabalho responsável e minucioso para apurar as causas do fato.

O titular da 2ª Delegacia de Polícia de Santa Rosa, delegado Tiago Tescke, segue ouvindo testemunhas na investigação que apura as causas da morte do menino de 11 meses, Rafael Perin, que ocorreu na tarde de segunda-feira, 29 de maio, na Escola de Educação Infantil Paulo Freire, da Vila Progresso. Nesta semana Tiago ouviu profissionais do posto de saúde, monitores e professores da escola, faltando ainda à equipe médica do hospital que atendeu e concedeu o atestado de óbito.

Ao Jornal Noroeste, Tiago não quis antecipar as conclusões, apenas disse que está sendo feito um trabalho responsável e minucioso para apurar as causas do fato.

O delegado teve de intervir no caso, pois a criança foi levada ao hospital e após ser constatada a morte foi liberado aos familiares, inclusive com atestado de óbito.

Tiago explica que teve informações que a criança estava em óbito na escola e por isso sentiu a necessidade de encaminhar o corpo para o Instituto Médico Legal. O delegado foi até o velório que já tinha iniciado e conversou com familiares e o corpo foi levado ao IML.

Segundo laudo inicial a criança morreu por obstrução das vias aéreas causadas por um liquido. “Nosso objetivo é esclarecer o fato, por isso iremos ouvir os envolvidos e investigar”, garantiu.

Faça seu comentário