HomePolítica sexta-feira, 6 de abril de 2018 15:36

Alberto Beltrame substitui Terra no ministério

A saída atende prazo previsto pela legislação eleitoral para detentores de cargos de confiança do Poder Executivo que concorrerão no pleito deste ano. Terra, que é deputado federal pelo MDB, buscará a reeleição.

O ex-prefeito de Santa Rosa, Osmar Gasparini Terra deixa hoje, 06, o cargo de ministro do Desenvolvimento Social. Sua saída atende prazo previsto pela legislação eleitoral para detentores de cargos de confiança do Poder Executivo que concorrerão no pleito deste ano. Terra, que é deputado federal pelo MDB, buscará a reeleição.

A pasta continua sob o comando de um santa-rosense. O também médico Alberto Beltrame, indicado pelo MDB, tomará posse na próxima terça-feira, 10. É filho do ex-vereador Étore Alberto Beltrame e da professora Ivone Beltrame, ambos de saudosa memória. Tanto o pai como a mãe marcaram seus nomes em diversas ações do movimento comunitário de Santa Rosa.

O novo desafio não deverá trazer nenhum problema de adaptação ao titular do MDS, afinal, Alberto é secretário-executivo da pasta desde 19 de maio de 2016. Ele foi indicado para o cargo por Osmar Terra, com a concordância de Eliseu Padilha, Chefe da Casa Civil da Presidência da República.

Alberto Beltrame é médico formado pela Faculdade de Medicina da UFRGS na turma de 1982 e especialista em Pediatria. Possui pós-gradução em administração hospitalar pela PUC/RS, em 1994, e mestre em gestão de sistemas de saúde pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, em 2002.

Na área pública, exerceu cargos de relevância para o sistema público e privado de saúde, com abrangência estadual e nacional, desde o antigo INAMPS até o processo de implantação e consolidação do SUS. Dentre estes cargos se destaca a condução da Secretaria Nacional de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, exercido por duas vezes, entre dezembro de 2008 e janeiro de 2011 e entre outubro 2015 e maio de 2016.

Na área privada, atuou como diretor-geral e consultor de gestão e governança em diversos hospitais gerais e especializados. Foi membro do Conselho Consultivo do Instituto Nacional do Câncer (INCA). Integrou os conselhos de Administração da Empresa Brasileira de Sangue e Emoderivados (Hemobrás) e da Fundação Universitária de Cardiologia.

Faça seu comentário