HomePolítica segunda-feira, 5 de fevereiro de 2018 15:01

Secretário desabafa e pede que a imprensa noticie os feitos e não somente os defeitos

Rodrigo Burkle falou na Rádio Noroeste na semana que passou.

Uma das secretarias municipais mais cobradas pela população, devido até mesmo às promessas de campanha, é a da Infraestrutura Urbana. Muitas das promessas ficam pelo caminho e na maioria das vezes são esquecidas por quem as prometeu.

Os contribuintes recorrem à imprensa para relatarem algum tipo de descaso ou mau atendimento por parte daqueles que prometeram fazer um trabalho de excelência. São muitas as reivindicações: ruas sem calçamento, bueiros entupidos, valetas que causam acidentes, lamaçal quando chove e poeira com sol, praças necessitando de cuidados e parques com brinquedos quebrados e deficiência na iluminação, sem contar a falta de calçamentos e asfaltos feitos pela metade.

No último fim de semana, moradores da Rua Germano Dockhorn procuraram a imprensa para reclamarem da situação de abandono que se encontra uma quadra que não recebeu asfalto, em estado deplorável com valetas que oferecem perigo a condutores e pedestres. A reportagem da Rádio e Jornal Noroeste foi até o local e constatou o problema e a insatisfação dos moradores. Ao entrarmos em contato com o secretário de Desenvolvimento Urbano, Rodrigo Bürkle ele fez um desabafo de quem está esgotado de tantas cobranças e poucos reconhecimentos de seu trabalho frente à pasta. Ao responder ele enfatizou: “faz uma matéria da Praça da Planalto que você me cobrou, da tubulação do final da Rua Júlio de Castilhos que reclamaram na rádio, essa Rua Germano Dockhorn que você está me perguntando não está contemplada em nenhum dos setores da Prefeitura, então publica, me dá uma mão, você sabe que o momento é difícil, que as coisas estão difíceis, melhorei a luz da Praça da Planalto, melhorei a Praça 10 de agosto, desmanchei o banheiro, melhorei a iluminação, pintei, capinei, então eu espero que vocês da imprensa também divulguem meu feitos. Eu estou refém de um monte de coisas, você me manda da Germano Dockhorn , amanhã será outra coisa. Me sugira algo, tipo de onde virá o recurso em momentos de dias difíceis, até onde a folha pode atrasar. Então publica os meus feitos que foram solicitados em off (fora do ar) e daí vamos tentar trabalhar nessa aí também (se referindo a Germano Dockhorn)”. E continuou: “o que me pedem eu faço, com dificuldade, pois a falta de recursos é grande, estou fazendo com mão de obra prisional a um custo quase zero, eu conheço todos os problemas da cidade, todos! Um dia é uma coisa no outro dia é outra. Eu estou avançando! Se você for na Praça da Planalto verá o que foi feito, só estou expondo as dificuldades que eu passo, a Germano Dockhorn é um problema sério que precisa de recursos, se você (repórter) me disser de onde vem o recurso vamos juntos. Apontar a ferida e não dizer o remédio também faço! Tem várias dentro da cidade, tá bom?”

Rodrigo finalizou dizendo estar aberto à comunidade. “Eu recebo para isso, eu trabalho para isso, mas eu quero que se converta como chega a reclamação, e também a ascensão da coisa realizada. Como você (repórter) advinha quando as coisas estão ruins e quando está boa não publica?”.

Vale ressaltar que Bürkle jamais se esquivou de responder as perguntas quando solicitado pela imprensa. Porém, seus feitos só serão noticiados se recebermos releases do departamento de Comunicação da Prefeitura, o que não ocorreu com relação às melhorias realizadas na Praça do Bairro Planalto e tubulação do final da Rua Júlio de Castilhos.

Para o repórter “Quanto à busca de recursos, a imprensa não tem acesso à gestão pública municipal e por isso não lhe cabe tal função.”

Faça seu comentário