HomePolítica sábado, 7 de outubro de 2017 09:29

“Sinto-me usado”

Declaração partiu do vereador Renato Schaefer (PMDB) e está relacionada à compra do Colégio Liminha pelo município.

 

A declaração partiu do vereador Renato Schaefer (PMDB) e está relacionada à compra do Colégio Liminha pelo município. “O prefeito foi à Câmara e prometeu a transferência para aquele prédio de todas as estruturas municipais que hoje consomem cerca de R$ 50 mil mensais de aluguel. E mais: garantiu a implantação de uma EMEI (Escola Municipal de Educação Infantil) no local”, justificou.

Renato diz sentir-se usado, junto com outros vereadores da oposição, por ter acatado e apoiado a proposta de compra diante de tais promessas. “Porém, fomos surpreendidos com o anúncio de uma nova escola municipal de Ensino Fundamental completo, o que jamais foi colocado em discussão”, acrescentou. O vereador peemedebista deixa claro que não é contrário à educação. “O que contestamos é o uso descabido da estrutura do Liminha, porque a cidade baixa tem escolas estaduais que atendem o turno integral para as turmas iniciais”, disse.

Renato faz mais uma observação. “Votei favorável à indicação do nosso presidente Paulinho dos Santos para a manutenção da EMEI que funciona no Colégio Dom Bosco, com a Câmara bancando os R$ 204 mil mensais de locação. No entanto, isso ocorreu sob a garantia de a Prefeitura ampliar o número de vagas de uma creche no Liminha, quando o que se projeta hoje é uma EMEI terceirizada”, concluiu.

Faça seu comentário