HomeRegião quinta-feira, 24 de agosto de 2017 18:26

Decisão proíbe licenciamento ambiental da Garabi-Panambi

Decisão vale para a cota de 130 metros, que segundo ação provocaria danos diretos e indiretos à Unidade de Conservação, incluindo alagamentos no Parque.

Uma sentença proferida na terça-feira, 22, pelo juiz federal da 1ª Vara de Santa Rosa, Rafael Lago Salapata, determina que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis-IBAMA se abstenha de dar prosseguimento ao processo de licenciamento ambiental relativo a relativo ao Complexo Hidrelétrico Garabi-Panambi, ou qualquer outra que importe danos diretos e indiretos ao Parque Estadual do Turvo.
A decisão vale para a cota de 130 metros, que segundo ação provocaria danos diretos e indiretos à Unidade de Conservação, incluindo alagamentos no Parque, onde se situa o conhecido Salto do Yucumã, local muito visitado por turistas na região. A Ação Civil é de autoria conjunta entre o Ministério Público Federal e Estadual. Da decisão cabe recurso no Tribunal Regional Federal, da 4ª Região.
A área do Parque Estadual do Turvo é de 17.491,40 há, representando quase 50% da área total do município de Derrubadas e 0,065% da área do Estado. Está incluído no Planalto de Lavas Basálticas da Bacia do Rio Paraná e apresenta altitudes que variam entre 100 e 400 metros com elevações de escarpas com grandes inclinações, e vales que se abrem para oeste e para o norte, originando a rede de drenagem natural.

Faça seu comentário

Comentários
  • Claudia Martirena segunda-feira, 28 de agosto de 2017 10:08

    Ejemplo de decisión y de sentido común por parte dela justicia brasileña. No se pueden construir represas que perjudiquen a los ambientes y a las reservas naturales, sitios arqueológicos u otros que requieran de preservación. No nos olvidemos que son hábitas naturales donde además viven personas. No se trata sólo de cuidar "plantitas" sino de la destrución de miles de hectáreas que serán inundadas con la pérdida de bio diversidad. Esto implica también la merma en la pesca y otros oficios que dependen de los rios.
  • Antonio Afonso Granich domingo, 27 de agosto de 2017 12:38

    Graças à Deus alguém olhou para oque tem que ser preservado.
  • Lucas sexta-feira, 25 de agosto de 2017 21:59

    Deveriam é proibir os biólogos que nem são profissionais de campo de atuarem na área de licenciamento.