HomeRegião sexta-feira, 8 de setembro de 2017 16:12

O desafio de desenvolver Tuparendi

Município completa 58 anos e projetos buscam ampliar a economia e fomentar o desenvolvimento.

A origem do nome Tuparendi é complexa. Se a analisarmos a palavra em si, ela é composta por Tupã, que na linguagem indígena seria De Rendy significando luz, esplendor. Assim teríamos a interpretação como sendo ‘Luz de Deus’, ‘Deus Luminoso’, ‘Chama de Deus’, etc.

A vinda de alguns imigrantes, que chegaram por aqui de municípios como Veranópolis, Caxias do Sul, Guaporé, Agudo, Feliz e Jaguari, entre outros, formaram as primeiras aglomerações do local.

O desenvolvimento naturalmente levou à eclosão de um movimento eman-cipatório. Após polêmicas e percalços, naturais a esses processos, Tuparendi emancipou-se de Santa Rosa em 10 de Setembro de 1959. De lá para cá muita coisa mudou! Várias lideranças estiveram á frente do município e muitos passos importantes foram dados. Mas Tuparendi tem muito a avançar e para isso é necessário um trabalho conjunto de união e perseverança. Hoje com cerca de 9,6 mil habitantes a cidade quer potencializar sua principal fonte de renda que é a agropecuária, para melhorar sua educação, saúde e infraestrutura.

Buscando atingir este cenário o prefeito atual, Leonel Petry, quer instalar uma nova forma de gestão, mais participativa e atenta aos novos investimentos que o município começa a receber. Entre estas novidades está a instalação de uma unidade da Doceoli, empresa alimentícia com fabricação a partir de derivados do leite. “É a nossa menina dos olhos! O processo andou rapidamente e ainda na semana do município entregaremos o termo de instalação e o repasse da área para que a companhia encaminhe as devidas liberações junto a Fepan. Daí é só aguardar que até 2018 a Doceoli estará operando em Tuparendi”, comemorou.

Petry conta que a indústria trabalhará com 70 mil litros de leite por dia, o que irá gerar cerca de 70 empregos diretos. “Aqui ela vai fomentar principalmente a atividade agrícola, pois hoje nossa capacidade de produção é de 70 mil litros por mês, o que precisaremos ampliar consideravelmente”, destacou. Para isso acontecer Leonel conta que está sendo iniciado um programa de incentivo a sucessão familiar e ampliação da bacia leiteira. “Precisamos incentivar o jovem a permanecer em nosso município, na sua propriedade e para isso devemos garantir trabalho e renda. Com a chegada da Doceoli, toda cadeia econômica terá resultados positivos”, afirmou.

Segundo ele a busca por novas iniciativas está entre as principais demandas desta gestão, pois é isso que movimenta a sociedade em todos os segmentos: com a geração de empregos há ampliação no poder de compra, ativando a economia como um todo. Outra medida é o apoio às atividades comerciais. “Precisamos garantir que nossa gente compre aqui, garantindo os postos de trabalho já existentes e criando novos. Para isso ajudamos em campanhas com a parceria da Associação Comercial, além de ações de empreendedorismo”, afirmou.

 

Outra demanda apresentada pelo prefeito é no setor de habitação. Petry conta que nos próximos dias estará liberando um loteamento com 300 terrenos, todos com preços populares. “Nossa ideia é atrair novos moradores e para isso já enviamos projetos visando concluir o asfaltamento entre Esquina Candeia até Tuparendi, cerca de 2,3 quilômetros”, afirmou.

Hoje os tuparendienses vivem em um local tranquilo, com baixos índices de violência, o que pode atrair novos habitantes que migram de cidades mais violentas. Para garantir esta segurança a Prefeitura está concluindo um processo licitatório para a instalação de câmeras de videomonito-ramento. Já no setor de ensino as escolas municipais estão se adequando e ampliando o número de vagas na educação infantil, outro ponto a ser avaliado por possíveis novos cidadãos.

Quanto aos movimentos comunitários, há o fortalecimento das entidades, na cidade e no interior, através de um movimento de cuidado e de renovação. Quem passa pelos trevos e ruas encontra ambientes floridos e agradáveis, dando boas vindas aos visitantes e sendo motivo de orgulho aos que lá residem.

A iniciativa destas ações de embelezamento partiu das primeiras damas, Márcia Petry e Regina Kerkof, que decidiram literalmente colocar a “mão na massa” e conduzem com disposição a tarefa em parceria com a Secretaria de Obras do município. Um dos objetivos é a conscientização da população, mostrando o quanto uma cidade com boa aparência causa uma boa impressão de seu povo. O trabalho ainda envolve jovens e moradores das diversas localidades.

“É um novo momento! Precisamos deixar de esperar só pelo Governo Federal e também fazer a nossa parte. Hoje não temos adversário, apenas amigos do município e todos precisam estar juntos para fazer com que Tuparendi cresça com qualidade, garantindo boa educação, saúde e bem estar. Nossos filhos precisam ver aqui a oportunidade de crescer, evoluir e garantir seu sustento”, concluiu Leonel.

Faça seu comentário