HomeRegião segunda-feira, 3 de abril de 2017 07:17

Plenária internacional sobre segurança pública termina com anúncio de medidas concretas

O evento reuniu em Santa Rosa autoridades militares e políticas dos três países.

Na tarde da sexta-feira, 31, argentinos, paraguaios e brasileiros se encontraram em Santa Rosa, RS, para falar sobre segurança pública nas áreas de fronteira onde a FEBAP - Federação Econômica Brasil, Argentina e Paraguai atua. A plenária internacional reuniu autoridades militares e políticas. Os painelistas; comandante-geral da Brigada Militar, coronel Andreis Silvio Dal`Lago, o General Manuel Mártires Céspedes, Chefe da Polícia Provincial de Misiones, Argentina, e Marcos Daniel Aquino, chefe de ordem e segurança de polícia de Itapúa, Paraguai, representaram os três países envolvidos .

No encontro, aberto a comunidade, os painelistas falaram sobre suas estruturas e apresentaram dados dos trabalhos já desenvolvidos. Compartilharam experiências e também dificuldades enfrentadas. Eles acreditam que segurança é um dever do estado, mas é uma responsabilidade de todos. “A sociedade civil deve criticar, mas também precisa oferecer soluções.”, lembrou o comandante geral da Brigada Militar, coronel Dal’Lago. Ele relatou que a criminalidade tem aumentado, principalmente na região metropolitana. A maioria dos casos, segundo ele, envolve armas e droga que vem do contrabando trazido da fronteira. Só o Rio Grande do Sul possui 1.800 quilômetros de fronteira. “Estamos diante de uma crise, faltam recursos financeiros e humanos, mas nós não podemos ficar parados assistindo as pessoas serem mortas, violentadas, roubadas e furtadas. Precisamos nos esforçar para fazer o melhor e por isso a integração é uma excelente alternativa. No momento que você integra, você soma energia, você soma recurso e multiplica a efetividade de sua ação. Atuando na fronteira você ameniza a criminalidade. Precisamos integrar porque se não integrarmos vamos perder essa guerra.”

Para o chefe de ordem e segurança de polícia de Itapúa, no Paraguai, Marcos Daniel Aquino, encontros como este, promovido pela FEBAP, servem para valorizar a importância da segurança. “Precisamos dar garantias para que as pessoas possam viver tranquilas. Nossa prioridade é o cidadão. Quem não tem segurança política e física não pode trabalhar e colaborar para o crescimento do país.”

O General Manuel Mártires Céspedes, Chefe da Polícia Provincial de Misiones, Argentina, ressaltou que as pessoas esperam por melhorias, “O povo está pedindo medidas para que se sintam mais seguros, para que transitem mais seguros. Vamos colaborar para que isso aconteça.”

E eles estão mesmo dispostos a fazer a diferença, ir além do debate, com uma integração séria, real e ações concretas. Decidiram fazer plenárias, como esta, com mais frequência. A próxima deve acontecer no dia 29 de abril, na Fenamilho em Santo Ângelo. E o melhor, anunciaram uma medida prática. Policiais argentinos e paraguaios vão participar de um curso de operador de choque e controle de civis, que será realizado no final do mês em Porto Alegre. Vagas aos policias do Brasil e Paraguai também estão à disposição para o curso de expertise, no Centro de Inteligência da Argentina. Os comandantes querem ainda viabilizar a permanência de um oficial estrangeiro nas capitais do Rio Grande do Sul, Misiones e Itapúa. Uma forma de facilitar e agilizar o atendimento aos conterrâneos.

Para o presidente da FEBAP Brasil/Internacional, Gerson Lauermann, a plenária alcançou o objetivo e superou as expectativas. “Hoje reinventamos a FEBAP. Saímos da teoria e mostramos para a comunidade ações concretas. Agora temos perspectivas reais e projetos para o futuro.”, comemora.

Por decisão dos presidentes da FEBAP do Brasil, Argentina e Paraguai as discussões serão a partir de agora neste formato de plenária, sempre com temas de interesse e relevância para a comunidade internacional.

Fonte: Maristani Weiand.

Faça seu comentário