HomeRegião sexta-feira, 16 de junho de 2017 08:07

Projeto faz resgate histórico em Porto Vera Cruz

Clairto Martin, da Editora Café Pequeno, detalha o projeto de resgate histórico da Batalha do M’Bororé.

O “Projeto Origens” está resgatando essa história. O escritor e jornalista Clairto Martin, um dos sócios da Editora Café Pequeno, com auxílio da escritora Débora Rodrigues, deu início a um trabalho histórico, cultural e literário que será desenvolvido durante todo o ano no município de Porto Vera Cruz.
“O Projeto Origens - A Batalha no Rio” faz parte de uma iniciativa cultural coordenada pela Secretaria de Educação do município, pasta coordenada pela professora Denise da Silva. Consiste em oficinas continuadas de literatura e contação de histórias nas escolas da rede municipal, prevendo a publicação de um livro no final do ano.
Clairto escreveu uma história de ficção voltada ao público infantil que retrata a batalha ocorrida no Rio Uruguai em 1641, quando os bandeirantes paulistas atacaram as Missões do território espanhol (Argentina e Brasil atual). Durante o ano o assunto será abordado com os alunos que, posteriormente, produzirão ilustrações e pequenos textos de releitura. Esse conteúdo também estará no material impresso.
O projeto vem para complementar outras ações de resgate histórico, como o monumento e mirante da Cruz Missioneira projetado pelo artista Betto Almeida e a equipe da Oito Arquitetura. “A partir do momento que nos apropriamos deste legado, nos inserimos em um contexto muito mais amplo, o contexto da própria história das Missões e a saga dos povos guaranis. Aos poucos vamos lançando luz sobre a batalha do M’Bororé e novos elementos surgem a cada dia para ampliar as informações que já tínhamos”, argumenta o prefeito Delfor Barbieri, um entusiasta dos projetos.

Faça seu comentário

Comentários
  • anatolio pereverzieff domingo, 18 de junho de 2017 17:22

    Formam-se as lendas assim, criam-se fantasias ficcionais; sou irreverente por natureza; sempre tivemos índios por aqui, até hoje, indevidamente chamados de Bugres, seres miseráveis nas ruas; igual ao Quilombo das Luzias em Santo Antonio das Missões, onde as próprias desmentiram, nunca ouviram falar...sou mais por histórias críveis...