HomeSaúde quinta-feira, 12 de outubro de 2017 13:36

“Outubro Rosa é para conscientizar e não estimular mamografia”

Gabbardo reuniu na sexta-feira os 19 coordenadores regionais de Saúde.

A frase partiu do secretá­rio estadual da Saúde, João Gabbardo dos Reis, que tra­tou dos objetivos do Outubro Rosa e as diretrizes para pre­venção do câncer de mama apresentados aos 19 Coorde­nadores Regionais de Saúde, na sexta-feira, 06. “O Outubro Rosa deveria focar no acesso à informação, na prevenção e no diagnóstico precoce, e não na mamografia. O exa­me representa diagnóstico, e não prevenção”, ressaltou Gabbardo.

A mamografia é indicada para mulheres assintomá­ticas de 50 a 69 anos, que devem realizar esse exame de rastreamento a cada dois anos, e para mulheres sin­tomáticas ou com histórico familiar de câncer de mama. De acordo com o secretário, essas recomendações são as preconizadas pela Organi­zação Mundial da Saúde, o Ministério da Saúde e o insti­tuto Nacional do Câncer que seguem parâmetros interna­cionais de rastreamento.

Gabbardo explicou que, apesar do câncer de mama ter alta taxa de mortalida­de, é preciso observar que o exame de mamografia não é preventivo, e sem um método de diagnóstico. “A prevenção primária se dá com a mudan­ça de hábitos de vida, como alimentação adequada, ativi­dade física e a prática do alei­tamento materno”, afirmou.

Questionado sobre limita­ção de mamografias dentro do SUS, Gabbardo falou que os médicos continuam com autonomia total para prescre­ver os exames que considera­rem necessários. “Nunca vai haver bloqueio de um exame solicitado por um médico”, garantiu.

Na entrevista coletiva, o se­cretário também informou que não é mais aconselhado o autoexame da mama, pois estudos mostram que as mu­lheres descobrem tumores de forma casual, em situações cotidianas e não no autoexa­me. As mulheres devem estar atentas à presença de nódu­los, especialmente os fixos e endurecidos, ou outras alte­rações na pele ou formato da mama.

Faça seu comentário