HomeSaúde sexta-feira, 1 de junho de 2018 08:14

Santa Rosa registrou 15 mortes por câncer de traqueia, brônquios e pulmão

O número foi apresentado na quinta-feira, 31 de maio, data que é marcada pelo combate mundial ao tabagismo.

Em Santa Rosa, segundo dados da Vigilância Epidemiológica da Fumssar, em 2017 foram registrados 112 casos de óbito por câncer, sendo 15 por neoplasia maligna de traqueia, brônquios e pulmão, doenças onde o tabagismo é considerado um fator de risco. O número foi apresentado na quinta-feira, 31 de maio, data que é marcada pelo combate mundial ao tabagismo.
Segundo a diretora da Atenção Primária à Saúde da FUMSSAR, Alice Klein Hofferber, o combate e prevenção ao tabagismo é oferecido no SUS. Em Santa Rosa está instituída a Política Municipal de Combate ao Tabagismo (PMCT). Os tratamentos são ofertados através das Unidades de Saúde e do Centro de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas - CAPS AD, e é realizado por equipes multidisciplinares.
Em 2017, foram realizados 26 grupos de combate ao tabagismo com um total de 218 participantes, destes 63 reduziram o uso de tabaco e 72 pararam de usar. Resultado muito satisfatório, uma vez que se trata de uma dependência crônica que causa doença e que altera o sistema nervoso central do usuário, modifica seu estado emocional, comportamental e físico, conforme ressaltam os coordenadores da PMCT, Marcia Quinsani e Carlos Mantei.
O presidente da Fundação Municipal da Saúde, Anderson Mantei, destaca que nos últimos anos são desenvolvidas ações educativas de comunicação e atenção à saúde, associadas à medidas legislativas e econômicas, o que, juntamente com a promoção e prevenção local desenvolvida pelos profissionais de saúde, traz respostas positivas à saúde pública.
O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde a principal causa de morte evitável no mundo. Estima-se que dois bilhões de pessoas sejam fumantes, 47% do sexo masculino e 12 % do sexo feminino (INCA - 2018).
No Brasil o tabagismo é responsável por cerca de 200 mil mortes no ano. Os cânceres de pulmão e laringe são os que mais matam. O tabagismo passivo é responsável por pelo menos sete mortes diárias. O Brasil tem prejuízo anual de R$ 56,9 bilhões com o tabagismo. Desse total, R$ 39,4 bilhões são gastos com despesas médicas e R$ 17,5 bilhões com custos indiretos ligados à perda de produtividade, causada por incapacitação de trabalhadores ou morte prematura. (INCA2018).

Faça seu comentário