segunda-feira, 9 de março de 2015 08:33

MULHER NO SÉCULO XXI

Acredito que datas com dias marcados, servem sim, para chamar a atenção de causas, atitudes, fatos, os quais deveriam ser um norte para todos os dias do ano, formando a trilha de nossa caminhada. Datas marcam os anos que passam, e lembram acontecimentos. Mas como hoje estamos falando sobre a data que lembra nós mulheres, não posso fugir do assunto.
As questões da alma e do corpo feminino não podem ser tratadas tentando esculpí-las de forma adequada a uma época, a uma cultura inconsciente. Somos desde Eva, motivo de temas, debates, estudos, pressões, enfim, ótimo assunto para ser escrito, falado e até hoje divergindo opiniões.
Nosso corpo é como um planeta. Ele é terra por si só. Como qualquer paisagem, ele é vulnerável, ao tempo e as mudanças que nos rodeiam. Me parece tão simples. Somos diferentes e queremos ser iguais. Temos seios que amamentam, geramos filhos, iguais? Iguais podemos ser na ética, na honestidade, na educação, no trabalho, na cultura, enfim em muitas outras maneiras de fazermos o mundo se sustentar. Nós mulheres temos que buscar em cada uma, o que o Criador está tecendo para nós. E neste tabuleiro de xadrês, é onde devemos mover as peças, buscando a direção a um objetivo que nos leve a felicidade.
Somos grandes no amor, pessoas com uma capacidade fantástica de lutar pela vida. A vida que pulsa em nós é mais importante que todo dinheiro do mundo, que toda beleza física. Vamos atrás de nossos sonhos, a vida sem sonhos não tem brilho. Sem metas, os sonhos não têm alicerces. Sem prioridades, os sonhos não se tornam reais. Vamos sonhar, traçar metas, estabelecer prioridades e correr riscos para executar nossos sonhos. Não tenhamos medo dos tropeços da jornada. Afinal, o maior exemplo de vida de uma mulher foi aquela que gerou e deu a luz Aquele que nos ensinou o amor.


Claudete Mallmann

Empresária e rotariana

Comentários
Faça seu comentário