Blog Aquiles Giovelli
Blog Aquiles Giovelli
Aquiles Giovelli



Blog

A sina do município de Atibaia

Publicado em 27/06/2020 10h44 - Atualizado há 2 semanas - de leitura

O ministro Alexandre de Moraes, do STF, tomando as dores dos colegas Dias Toffoli e Gilmar Mendes, preside inquérito contra todos que atacaram os dois ministros. Para tanto, autorizou buscas na casa do blogueiro Allam dos Santos, do deputado Daniel Silveira e de outros na tentativa de encontrar provas de atentado à Lei de Segurança Nacional (que define a ordem política e social), como quer enquadrá-los - legislação que, até bem pouco tempo, levava o carimbo de entulho autoritário. Queixam-se os ministros de atos ofensivos à Corte, quando, em verdade, foram contra alguns dos seus membros. É que a crítica - às vezes, exacerbada - atingiu intocáveis. Nomeados para o STF pelo critério político, vivemos um surto de ativismo judicial. Salvo exceções, são torres de marfim (desvinculados do mundo real). Por exemplo, autorizam quebra de sigilos bancário e telefônico a torto e direito de outros; dos seus, jamais. A transmissão das sessões pela TV Justiça, expôs um modelo de concurso de vaidades: os holofotes mexem com o ego dos ministros. Não raro, proferem votos com centenas de laudas, que, se reduzidas a 5 ou 6, produziriam o mesmo resultado.

Dito isso, volto meu olhar para Atibaia, interior de São Paulo. Que sina! O município, que já foi epicentro de imbróglio com Lula, agora volta à cena com a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do ex-deputado estadual/RJ, Flávio Bolsonaro, hoje senador da República. Desta feita, a investida não foi no luxuoso sítio dos pedalinhos com os nomes dos netos do Lula, frequentado por Lula e sua família, reformado sob a orientação da saudosa Marisa, parte dele ocupada pela adega para a coleção de vinhos finos do ex-presidente - mas que “não é” dele; é de um generoso amigo. Aliás, a reforma também foi feita por uma generosa empreiteira. Em suma, o bicho - antes acariciado, depois rejeitado - tem boca de jacaré, dentes de jacaré, cauda de jacaré - mas não é réptil.

Em Atibaia, na semana passada, foi preso Fabrício Queiroz, acusado de rachadinhas (divisão do salário de servidores, alguns fantasmas) quando assessor de Flávio Bolsonaro na Alerj - prática antiga, vamos combinar, nas três esferas legislativas, ainda que ninguém admita. Bolsonaro é um dos 27 deputados estaduais apontados pelo Coaf com possíveis irregularidades, traduzidas em movimentações incompatível com seus ganhos, compreendendo, essa seleta lista, os seguintes partidos: PT, MDB, PRB, PSB, DEM, PSOL, PSL, Solidariedade, Democracia Cristã, PDT, PSDB, PSC e PHS. No entanto, para a Globo e seus puxadinhos tudo recai apenas sobre o filho do presidente.

Por outro lado, repercutiu a prisão de Queiroz por ter sido na casa do advogado Wassef, em Atibaia. Em verdade, a repercussão se deve: 1) o dono da casa ser um causídico ligado à família Bolsonaro; 2) Queiroz ter sido assessor de Flávio quando deputado à Assembleia/RJ. No entanto, hipocrisia à parte, vamos combinar: trata-se de prática (abrigar) antiga, embora advogado algum a admita. A questão é: seria obstrução da Justiça? A matéria não é pacífica. Para uma corrente (majoritária), à qual me alinho porquanto Queiroz não era foragido da Justiça, já que, contra ele, não havia mandado de prisão, por condenação ou preventivo. Portanto, o advogado que o abrigou - para os críticos, escondeu - não cometeu irregularidade. Segundo ele, foi gesto humanitário.

Como disse, o Coaf, um órgão federal brasileiro que visa controlar as movimentações financeiras consideradas suspeitas - dependente, por isso, de comprovação mediante o devido processo legal -, em apuração (unilateral) levantou suspeita de rachadinhas na Assembleia/RJ envolvendo 27 deputados estaduais. O estranho é que 26 deputados não interessam à mídia. Ninguém sabe seus nomes. É que Flávio - culpado ou inocente, não sei - é filho de Jair Bolsonaro.

Últimas do Blog

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Camera de segurança registra momento em que água invade residência em Santa Rosa/RS

Camera de segurança registra momento em que água invadiu a residência, de Claudio Wendland, no Bairro Sulina, em Santa Rosa/RS nesta terça-feira (7). Segundo Claudio a água derrubou o muro de seu vizinho, depois invadiu a sua residência derrubando o muro e a sua garagem. Por pouco ninguém ficou ferido. ''O Prejuízo foi grande, tenho que reconstruir minha garagem, praticamente perdi minha moto, ela era quase nova, mas vamos pra luta mesmo em tempos difíceis, não dá para baixar a cabeça, Deus tem algo maior para nós dar'' afirmou Claudio

há 4 dias


Benedetti reclama da falta de recursos para o Combate ao Câncer de Próstata

há 5 dias


Desenvolvimento de bebês através da psicologia

há 5 dias