Blog Voice, por Eunice Arsand
Blog Voice, por Eunice Arsand
Voice, por Eunice Arsand



Blog

Alfabeto Luisa Bertuol Kogler

Publicado em 10/09/2021 10h10 - Atualizado há 6 dias - de leitura

Jovem, estudiosa e cheia de projetos de vida, Luisa Bertuol Kogler é arquiteta e desenvolve suas atividades profissionais em Porto Alegre onde reside. A Santa-rosense Luisa é filha de Sandra Bertuol e Clóvis Kogler. Recém-formada pela UFRGS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul a arquiteta e urbanista trabalha no escritório South Arquitetura.

Acompanhe a entrevista de Luisa, que nos conta um pouco sobre sua vida, trajetória, gostos e desafios.  Feliz da vida, ela vai em busca de seus sonhos e de um futuro cheio de propósitos.

 

Me formei. E agora? Como responder esta pergunta?

Junto com o diploma sempre vem essa grande dúvida, o que fazer, para onde ir? Acredito que a arquitetura e o urbanismo são áreas com muitas opções de formação, então durante a faculdade você já busca a sua área de maior interesse, fazendo com que no final dos 05 anos de estudo você já saiba para que área seguir, mas não precisa ter certeza! Se depois de formado perceber que não é aquilo que você realmente gosta sempre é possível mudar e começar em outro setor.

O que te motivou ingressar na área de Arquitetura e Urbanismo. O que você mais gosta da profissão?

A arquitetura apareceu como uma opção para mim um pouco tarde, apesar do meu pai ser arquiteto só pensei nessa possibilidade no ensino médio. Acabei ingressando no curso devido a todas as diversas oportunidades que a arquitetura oferece, alguns anos depois já conhecendo muitas delas tenho certeza que fiz a escolha certa!

Quais os principais desafios quando saímos da faculdade para o mercado de trabalho?

Acredito que seja a nossa insegurança, principalmente na hora de valorizar o nosso trabalho junto ao cliente.

De quem você recebeu apoio para sua formação e conselhos na hora das decisões pós-formada?

Principalmente do meu pai, meu arquiteto preferido e principal incentivador na área! Além dele, meus chefes Hélio e o Pedro, com quem eu trabalho já há 03 anos e são minhas referências nesses últimos anos.

Há ainda aquele imaginário, que arquitetura é um serviço destinado às classes sociais com mais renda?

Infelizmente sim! Muitas vezes as pessoas nem procuram o nosso serviço já com a ideia de que vai ter um preço mais elevado e não se encaixar nos seus orçamentos. No entanto, existem vários graus de intervenções e o nosso serviço pode ir desde uma consultoria até obras mais complexas, com diferentes tipos de orçamentos.

Com a pandemia, as famílias tiveram que ficar mais em casa. Isso contribuiu para que os lares fossem reformados para o bem estar de todos?

Contribuiu muito! O nosso setor cresceu muito durante a pandemia, tivemos que nos adaptar à nova rotina dentro de casa e o espaço ao nosso redor também. Foram muitos projetos para transformar cômodos em escritórios mais confortáveis para o trabalho em casa o que muitas pessoas ainda continuam fazendo. Além de reformas gerais que muitas vezes na correria do dia a dia são deixadas de lado, mas no momento que os moradores começam a passar mais tempo em casa eles veem a necessidade de mudar.

O que é mais importante na arquitetura: solucionar o problema do cliente ou criar uma ótima experiência?

Acredito que tem que haver uma combinação entre as duas. Fazer uma obra, muitas vezes dentro da casa do cliente, é um período muito estressante e é o trabalho do arquiteto entregar um bom projeto ao mesmo tempo que coordena a obra para resolver todos os problemas. Não existe obra sem problemas! Por isso é fundamental o acompanhamento do arquiteto, para que o processo seja mais tranquilo e o resultado final como o desejado.

A arquitetura está em tudo o que vemos?

Sem dúvida! Ela está dentro das nossas casas, convivemos com ela desde o momento que acordamos até quando saímos. Ela está na relação de cada casa com seu entorno desde a escala do bairro resultando no mundo que vivemos hoje.

O que você mais se orgulha na sua profissão?

A pluralidade da profissão, de como existe um mercado com profissionais muito qualificados e com tanta variedade ao mesmo tempo que existe público para todos eles.

Qual o conselho que você daria para quem está cursando faculdade?

Comecem a estagiar o mais rápido possível! O mercado de trabalho é muito diferente da realidade da faculdade e ter essa experiência ajuda muito na própria formação como arquiteto. É um mercado muito grande, quanto mais você conhecer todas as opções que o mercado oferece e vivenciar todos os tipos de arquitetura, mais confiante e decidido você vai se formar.

O que te deixa animada?

Cada novo projeto! Todas as possibilidades que cada um oferece e de tornar ele realidade.

Eu gosto e adoro...

Juntar arquitetura com viagem, sempre uma ótima combinação para conhecer novos estilos e inspirações.

Conheça um pouco mais de Luisa através do seu dicionário.

A de Arquitetura, meu trabalho e minha paixão.

B de Bauhaus, escola de artes alemã fundada em 1919 que revolucionou o design moderno e nos influencia até hoje.

C de chuleta, minha cachorra e companhia diária.

D de desenho, nossa forma de comunicação na arquitetura.

E de empatia, tratar o outro da forma que gostamos de ser tratados.

F de família, o coração da casa.

G de grupo, trabalhar em equipe para conseguir melhores resultados juntos.

H de humildade, como forma de tratar as pessoas.

I de iluminação, um dos principais pontos de um bom projeto.

J de Japão, país com uma arquitetura e cultura muito diferenciada.

K de Kengo Kuma, arquiteto japonês que traz muitas características da arquitetura milenar japonesa para uma arquitetura moderna.

L de laje aparente, uma boa opção no lugar do forro convencional.

M de modular, construção feita em módulos se tornando mais rápida, barata e sustentável.

N de natureza, projetos mais sustentáveis para diminuir o impacto na natureza.

O de Oscar Niemayer, um dos maiores arquitetos brasileiros.

P de pais, minha base e meus maiores incentivadores.

Q de Quadro, fazem toda a diferença na ambientação dos espaços.

R de ressignificar, dar um novo uso a um objeto ou móvel antigo.

S de satisfação, pelo nosso trabalho e dos clientes no final da obra que executamos.

T de tapete, dá um toque final de aconchego no espaço.

U de Universal, arquitetura acessível para todos.

V de viajar, sempre que eu consigo estou com um pé na estrada.

W de workaholic, muitas noites viradas por causa da arquitetura!

X de xícara de café, o combustível do arquiteto.

Y de yin e yang, utilizado no Feng Shui para compor ambientes saudáveis e harmônicos.

Z de Zaha Hadid, primeira mulher a receber o prêmio Pritzker de arquitetura.

Últimas do Blog

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Presidente Fusiger manifesta-se sobre caso

Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Santa Rosa/RS, Jonas Fusiger, esteve na Noroeste FM para falar sobre o caso dos servidores que foram flagrados em um automóvel de propriedade da FUMSSAR, fazendo sexo em horário de expediente.

há 5 horas


A telemedicina e seus avanços

há 5 horas


Carla Backes no Com Elas

ontem