Blog Voice, por Eunice Arsand
Blog Voice, por Eunice Arsand
Voice, por Eunice Arsand



Blog

Alfabeto Roberta Buzanello

Publicado em 23/07/2021 08h12 - Atualizado há 2 meses - de leitura

Uma mão amiga e cheia de esperança, assim Fisioterapeuta Roberta Buzanello, atua diariamente desde que iniciou a pandemia, na reabilitação dos pacientes com covid na Unidade Dom Bosco que é especializada em Doenças Respiratórias e Coronavírus de Santa Rosa.
Casada com Jeferson Ladwig, Roberta é formada em Fisioterapia pela PUCRS, e trabalha na UTI COVID do Hospital Vida e Saúde. 

Apesar da rotina cansativa e dos desafios da pandemia dentro da UTI, Roberta está na linha de frente, enfrentando e acompanhando a melhora dos pacientes, desde a fase mais crítica da internação até o período de alta. A fisioterapia tem a importante finalidade de recuperar lesões no pulmão, aumentando a capacidade respiratória, além da importância de auxiliar nas funções motoras.

Roberta conversou com a VOICE Jornal Noroeste e nos fala sobre este trabalho incansável e de pura dedicação e amor. Acompanhe a entrevista:


Roberta nos fale sobre seu trabalho na Unidade Dom Bosco e como é tratar dos pacientes com Covid? 
Estou a um ano trabalhando na linha de frente do COVID. Tenho muito orgulho de trabalhar numa instituição que tem muito reconhecimento com os seus funcionários. Para tratar pacientes com COVID temos que ser fortes. Enfrentamos tristezas e frustrações diariamente. Mas também ficamos com o coração explodindo de alegria quando os pacientes respondem ao tratamento, quando saem da UTI, quando vão para suas casas, voltam para suas famílias. Vibramos muito a cada vitória de um paciente.

Quais são os desafios diários da profissão que escolhestes dentro de uma UTI? 
São muitos. Principalmente saber lidar com as nossas emoções. Passamos por momentos de tristeza, mas não podemos baixar a cabeça. Temos que ser fortes, pois temos muitas pessoas que dependem do nosso trabalho, do nosso esforço e da nossa luta diária. Sim, é uma luta diária. Luta por mais conhecimento, o qual buscamos incansavelmente a cada dia.

A evolução dos tratamentos e fisioterapias evoluiu muito desde o início do Covid. Quais são os principais avanços?
Desde o início da pandemia os tratamentos vêm evoluindo bastante. Principalmente na área da fisioterapia. Hoje fazemos uso de terapias que não tínhamos no inicio como o uso do Helmet e da Cânula Nasal de Alto fluxo (CNAF),  utilizadas para tratamento da insuficiência respiratória hipoxêmica aguda que tem como objetivo reduzir de forma considerável a intubação. O Helmet é um capacete que tem a função de fazer uma ventilação contínua não invasiva realizado por períodos do dia alternando com outra fonte de oxigênio. Já o CNAF fornece ao paciente um alto fluxo de oxigênio aquecido e umidificado, via cânula nasal e é feito de modo contínuo. Consegue ofertar um fluxo maior do que em um cateter nasal ou de uma máscara de reservatório. 


Qual a importância da fisioterapia na ajuda no tratamento do covid? 
A fisioterapia é importante em todas as fases do tratamento do coronavírus. Em casos leves, o objetivo é evitar o agravamento dos sintomas por meio de técnicas respiratórias que previnam o acúmulo de secreções e melhorem a mecânica respiratória. Em casos moderados e graves, atuamos na titulação e desmame de oxigênio, no auxílio da intubação, no acoplamento do paciente ao ventilador, realização de pronação/supinação,entre outros. No processo de extubação também estamos presentes, em conjunto com o médico responsável pelo paciente sintonizado para um procedimento seguro e correto. Após a alta hospitalar é importante continuar com a fisioterapia para ter uma recuperação funcional mais rápida, melhora da capacidade respiratória, ganho de força e resistência que foram prejudicadas pelo tempo de hospitalização e de imobilidade no leito. 

Os fisioterapeutas estão realizando um trabalho pioneiro e importante na prevenção e recuperação de doenças relacionadas ao covid? 
Com certeza. A fisioterapia ganhou um espaço importante nessa pandemia. Em conjunto com os tratamentos multiprofissionais conseguimos promover a recuperação da capacidade pulmonar e a capacidade física do paciente reduzindo principalmente o tempo de internação desses pacientes acometidos pela COVID 19.


Quais são os exercícios mais importantes para ajudar as pessoas a se recuperarem do tratamento?
Os exercícios vão depender da fase do tratamento em que o paciente se encontra como falei anteriormente. Na fase hospitalar, por exemplo, que é a fase mais aguda serão realizados mais exercícios respiratórios, verificar necessidade de oxigênio suplementar e de uso de terapias adicionais. E na fase de alta hospitalar trabalhar mais a reabilitação funcional do paciente para reinserção do mesmo na sociedade. 

Com está sendo conversar com as famílias sobre as necessidades e adequações do paciente na volta pra casa? 
Não tenho muito contato com as famílias dos pacientes, pois, temos pacientes de várias cidades do estado. Mas sempre que um paciente tem alta da UTI, seja para sua cidade ou mesmo para a unidade de internação antes da alta hospitalar, converso com meus pacientes e oriento quanto à importância de continuar com as sessões de fisioterapia para conseguir voltar a sua rotina de maneira mais rápida. 

Se sente realizada na profissão que escolhestes?
Sou formada desde 2006 e já tive experiência em várias áreas da fisioterapia, mas há um ano posso dizer que sou realmente feliz e realizada na minha profissão. A pandemia fez eu me redescobrir dentro da minha profissão.


Com que mensagem encara o mundo? 
Encaro o mundo com determinação. Tento viver um dia de cada vez e da melhor forma possível, pois não sabemos o dia de amanhã. A pandemia veio trazendo ensinamentos e com certeza o mais importante deles pra mim é o amor. Diga que ama, o quanto ama, demonstre, fale o que sente para as pessoas. Seja carinhoso com quem realmente te importa, todos os dias. A Vida é um sopro. E nos dias de hoje, nunca sabemos quando vamos partir. 


Traço marcante da sua personalidade?  
Comunicativa, persistente, organizada, objetiva, realística. 

Do que precisa para ser feliz? 
Família 

Eu gosto, curto e adoro... 
Praia, sol, mar, piscina, amigos, viajar, ficar em casa também, dormir...


Confira um pouco mais de Roberta através do seu dicionário:


A de AMOR, é ele que nos move, move o mundo!

B de BONDADE, o mundo está precisando de mais pessoas boas.

C de CORAGEM, para encarar os desafios diários.

D de DETERMINAÇÃO, saber onde se quer chegar.

E de EDUCAÇÃO, buscar conhecimento, isso ninguém tira de nós.

F de FAMÍLIA, minha base.

G de GRATIDÃO, aos meus pais por terem me tornado o que sou hoje e a vida pelas novas oportunidades diárias.

H de HUMILDADE, de saber reconhecer nossas próprias limitações.

I de IGUALDADE, tratar as pessoas da mesma maneira que queremos ser tratados.

J de JOVEM, trabalhar contra o tempo para manter corpo e mente jovem.

K de KID (criança), e a minha paixão pela pediatria.

L de LIBERDADE, que está limitada pela pandemia. 

M de MAR, e a paz que ele me traz.

N de NOVO, que assusta, mas é desafiador.

O de ORAÇÃO, agradecer sempre a Deus!

P de PRAIA, PISCINA, PROTETOR solar. Sim, eu queria que a praia fosse mais perto!

Q de QUERER, de buscar sempre mais.

R de RECIPROCIDADE, fundamental em um relacionamento.

S de SAUDADE, dos avós, da minha infância.

T de TRABALHO, de levantar cedo e correr atrás dos sonhos.

U de UNIÃO, com a família, com a equipe de trabalho. Afinal, a união faz a força!

V de VIAGEM, de VERÃO, a minha estação!

W de WORLD, e a minha vontade de conhece-lo!

X de XÍCARA, de café, pra começar melhor o dia.

Y de YELLOW, sim, eu amo amarelo.

Z de ZELO, cuidar bem do que é meu, do que é nosso.

Últimas do Blog

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Presidente Fusiger manifesta-se sobre caso

Presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Santa Rosa/RS, Jonas Fusiger, esteve na Noroeste FM para falar sobre o caso dos servidores que foram flagrados em um automóvel de propriedade da FUMSSAR, fazendo sexo em horário de expediente.

há 5 horas


A telemedicina e seus avanços

há 5 horas


Carla Backes no Com Elas

ontem