Blog Voice, por Eunice Arsand
Blog Voice, por Eunice Arsand
Voice, por Eunice Arsand



Blog

Fonoaudiologia na Síndrome de Down

Publicado em 26/03/2020 15h41 - Atualizado há 3 dias - de leitura

Dia 21 de março foi o dia Internacional da Síndrome de Down. A trissomia do 21, como também é chamada a síndrome (pois sua causa é a ocorrência de três cromossomos 21 em vez de dois) é a mais frequente das síndromes na população mundial, afetando diferentes regiões, raças e condições socioeconômicas.

A Síndrome de Down afeta o desenvolvimento de diferentes áreas do crescimento humano: motora, cognitiva, linguagem, socialização e autocuidados, fazendo com que seja necessário o auxílio de vários profissionais para maximizar o potencial de cada pessoa com a trissomia. Várias dessas áreas são da abrangência do Fonoaudiólogo. Assim, torna-se importante o acompanhamento com este profissional desde o nascimento.

 

Em relação à questão motora, o Fonoaudiólogo irá trabalhar com a motricidade orofacial, auxiliando nas funções de respiração, deglutição e mastigação, que podem estar comprometidas por causa da hipotonicidade muscular característica da síndrome. Esse trabalho deve iniciar-se desde o nascimento, podendo o Fonoaudiólogo auxiliar na amamentação materna e orientar os pais sobre como estimular a musculatura facial e funções.

A linguagem da pessoa com a Síndrome de Down geralmente é defasada. Quanto antes for estimulada, tanto na compreensão como na expressão, melhores serão as chances de alcançar um bom desenvolvimento. Além disso, há uma correlação muito forte entre a linguagem e a cognição, e a linguagem e o aprendizado formal. Por isso é imprescindível que o desenvolvimento da linguagem seja muito estimulado.

Outro aspecto importante da intervenção fonoaudiológica junto à trissomia do 21 diz respeito ao desenvolvimento da fala. Geralmente o desenvolvimento da fala nessas pessoas acontece num período bem tardio e às vezes nem chega a ser eficiente, se não ocorrer estimulação adequada. Por isso torna-se extremamente importante a presença do Fonoaudiólogo na intervenção dessas crianças deste a fase mais remota possível.

A socialização está muito interligada com a linguagem. Portanto, quanto melhor for o desenvolvimento desta, melhor tende a ser o desempenho naquela. Assim, o trabalho fonoaudiológico também contribui muito para a socialização. Além de que, o Fonoaudiólogo pode orientar pais, cuidadores, demais profissionais envolvidos, escola sobre como auxiliar a pessoa com Síndrome de Down em todas as áreas já citadas.

Também no momento da alfabetização este profissional pode ser muito importante, fazendo a ponte entre a linguagem e a escrita. O trabalho em conjunto com a escola é fundamental.

 

Assim, observa-se que a Fonoaudiologia tem muito a contribuir com as pessoas com Síndrome de Down, desde o nascimento até a idade adulta. A intervenção fonoaudiológica pode acontecer em diferentes intensidades e frequências, nas diversas fases da vida, dependendo das necessidades de cada fase.  Se você tem um familiar com Síndrome de Down, aproveite da experiência e conhecimentos deste profissional.

 

Dra. Beatriz dos Santos Carvalho

Fonoaudióloga, Dra. em Distúrbios da Comunicação Humana/UFSM

CRFa7 8618

Últimas do Blog

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Coronavírus: brasileira, natural de Doutor Maurício Cardoso, relata a situação na Itália

Entrevista no programa Noroeste Repórter da Rádio Noroeste, com Zelindo Cancian

há uma semana


Coronavírus: Prefeito Vicini fala do decreto de emergência em Santa Rosa

há uma semana


Santa-rosense que reside na Europa, fala sobre a quarentena na Espanha

há uma semana