Economia

Em Santa Rosa, menor valor da gasolina é de R$ 5,27

Preço dos combustíveis dispara em 2021, sendo que o último aumento foi nesta segunda-feira, 1º de março.

Publicado em 02/03/2021 14h55 - Atualizado há 2 meses - de leitura
No diesel, menor valor encontrado foi de R$ 4,04 o litro. / Foto: Jornal Noroeste

Um levantamento feito pela reportagem do Jornal Noroeste quanto aos preços dos combustíveis em Santa Rosa/RS nos principais postos da cidade, constatou uma variação nos valores praticados. A gasolina comum mais barata é vendida a R$ 5,27 o litro (sem o desconto de fidelização), sendo a mais cara de R$ 5,54. Já a aditivada o menor valor encontrado foi de R$ 5,29 e o máximo R$ 5,63. O óleo diesel comum foi de R$ 4,04 até R$ 4,38 o mais alto.

No início do mês de março a Petrobras anunciou novo reajuste de 4,7% na gasolina e 5% no diesel. A gasolina sofreu uma alta de R$ 0,1240 nas refinarias. Já o diesel teve acréscimo de R$ 0, 1294.

O gás liquefeito de petróleo GLP (gás de cozinha) também sofreu reajustes consideráveis em 2021. Conforme levantamento da reportagem, o botijão de 13 kg do gás de cozinha varia entre R$ 78,00 a R$ 90,00.

Em uma revenda, se o consumidor retirar o botijão de 13 kg, ele fica com valor de R$ 78,00. Se for entregue na casa o valor sobe para R$ 86,00. Em outra distribuidora custa R$ 80,00, sendo que para entrega em casa cobra-se R$ 90,00 pela unidade.

Ouvintes da rádio Noroeste FM acionaram a reportagem afirmando que na segunda-feira, alguns postos de combustíveis já haviam reajustados os preços que seriam cobrados pela distribuidora somente nesta terça-feira, 2. “Isso tá um absurdo... subiu cerca de R$ 0,30 a gasolina. Não sei se isso não é caso de acionar o Procon, pois a população não pode fazer nada”, reclamava.

Como varia o preço da gasolina?

No caso da gasolina, quase 44% do preço vêm da cobrança de ICMS, cuja alíquota varia de estado para estado, além de PIS/Cofins e Cide, que são tributações federais. Já no diesel S-10, a taxação é menor, de 23%. Os impostos federais representam 15% do preço da gasolina que chega ao consumidor.

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta segunda-feira (1º) decreto no qual zerou as alíquotas de PIS e Cofins que incidem sobre óleo diesel e gás de cozinha. O decreto foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União.

A secretaria informou também que a medida sobre óleo diesel vale em março e abril; já a decisão sobre o gás de cozinha não tem prazo e vale para recipientes de até 13 quilos.  

Conforme informações da Petrobras, dados coletados entre 31 de janeiro e 6 de fevereiro deste ano mostram que o preço do gás de cozinha tem a seguinte composição: 47%: custos do próprio gás; 35%: custo de distribuição e revenda; 15%: ICMS, imposto estadual; 3%: impostos federais (PIS/PASEP e Cofins).

O preço do diesel, segundo dados da Petrobras com base no diesel S-10, a composição seda da seguinte maneira: 49%: custo do combustível na Petrobras; 15%: distribuição e revenda; 14%: ICMS (imposto estadual); 13%: custo do biodiesel; 9%: impostos federais (Cide-Combustíveis), PIS/Pasep e Cofins.



Últimas notícias

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Privatização da Corsan

Ex-prefeito de Santa Rosa, Orlando Desconsi, falou na manhã desta segunda-feira (19) sobre a privatização da Corsan.

há 17 horas


Mantei avalia os 100 primeiros dias de governo

há 18 horas


Programa Podcast Noroeste

há 18 horas