Política

Rodrigo Colla propõe distrito para pequenas indústrias

Pré-candidato a prefeito pelo PSDB veio ao estúdio da Rádio Noroeste na manhã desta quinta-feira (21).

Publicado em 21/05/2020 10h11 - Atualizado há 7 dias - de leitura
Rodrigo Colla diz que o gestor público deve aproveitar mais o espírito empreendedor e de associativismo do morador de Santa Rosa. / Foto: JN

Trabalho e renda são os principais pilares do plano de governo que a chapa Colla-Marcão (PSDB/PSB) está construindo. Mais especificamente a primeira proposta é a de criar um distrito industrial voltado exclusivamente para pequenos empreendimentos. Terrenos de 500 m² seriam distribuídos para os interessados. “Precisamos pensar no que Santa Rosa fará no pós-pandemia, quando certamente os recursos de socorro federal terminarão ou serão reduzidos”, justificou Colla.

“Será um modelo novo, além de ampliarmos o que já existe. O pequeno empreendedor não precisa de uma área de 5 mil m². Com os 500 m² que estamos propondo, pequenas metalúrgicas e oficinas, por exemplo, resolvem seus problemas. Algumas estão hoje mal instaladas, outras, inclusive, até sem alvará em função da localização”, acrescentou Marcão. E se a empresa crescer, “terá condições de buscar outro local”, disse.

Rodrigo Colla disse que as propostas de governo estão sendo elaboradas, mas nada é definitivo. E explicou: “temos as linhas gerais, mas precisamos aguardar um debate mais amplo com os partidos que pretendemos contar como aliados”.

Sobre saúde Colla admitiu que há muitos acertos no cenário local, mas podem ser melhorados na questão de profissionais. Ele defende um médico para todos os postos de saúde e mexer com o horário de funcionamento de cada unidade. Nessa área, citou os nomes de Luis Antônio Benvegnú, Dagmar Zamboni e Paulo Mix na avaliação e sugestões.

Sobre educação, o líder tucano elogiou a Projeto Conecta, mas fez uma ressalva: “não avançou nos treinamentos de professores e, principalmente, faltou um estudo da área pública para dimensionar quantas crianças têm acesso à internet”. Disse que vai priorizar vagas nas EMEIs “sem cumprir determinações do Ministério Público, o que considera uma intervenção”.

URGENTE

Falta um projeto para o município, o que é constatado nas últimas gestões, para dar rumo futuro a Santa Rosa, na visão de Colla. “Pretendemos construir projetos de médio e longo prazo, envolvendo a comunidade”. E, como desafio urgente, projeta a necessidade do Governo Municipal não atrapalhar a vida das pessoas, sendo ausente em questões que, mesmo parecendo banais, incomodam. Citou como exemplo as paradas de ônibus. “Por que não reforçar o asfalto em frente às paradas? Em dia de chuvas o ônibus chega e molha o usuário que está esperando”. Outro exemplo: “por que esperar uma ponte cair para só depois construir outra?”. Disse que isso só ocorre porque falta um projeto amplo.



Últimas notícias

VER MAIS NOTÍCIAS



Top Vídeos

:: assista aos destaques

Sistema de Monitoramento de Santa Rosa

Zelindo Cancian entrevista no Programa Noroeste Repórter a Major Vanessa Peripolli, que fala a respeito do Monitoramento de Santa Rosa.

há 2 dias


Comercial | Gov RS - Não Podemos se Entregar pro corona

há 3 dias


Entrevista com o Deputado Federal Osmar Terra

há 3 dias